Image Map

23.10.13

Adeus :(

                           

Bom, chegou minha hora de dizer adeus. Se eu queria? Claro que eu não queria, mas vocês não estando dando mais valor para o meu trabalho e isso me chateia. O blog tem quase 70 seguidores, cada capítulo meu tem quase 30 visualizações e ninguém comenta. Eu cansei, cansei de ficar aqui de boba para vocês, cansei.
Não queria que acabasse assim, queria que Oath acabasse com um final feliz mas eu acho que não tem ninguém lendo, por quê quem lê comenta, expressa oque achou e se quer continuação e vocês não fazem isso.

Quero agradecer aquelas que comentaram, vocês que me manterão fortes na hora em que eu queria deixar o blog, e isso já aconteceu várias vezes ;) Obrigada pelos comentários e os elogios, vocês me agradam muito.

Novamente, eu não queria que acabasse assim, mas acabou, e a culpa é de vocês, sorry. Até um dia qualquer, bye.

18.10.13

Oath 27º Capítulo - `` A pessoa e certa é você ´´

                              

Oi! Gente, eu estava muito apreensiva aqui querendo saber se vocês gostaram do capítulo anterior... Quer dizer, eu trabalhei bastante nele, tinha muito texto e ele ficou grande simplesmente por isso. E como vocês sabem a opinião de vocês é muito importante para mim, então digam se gostaram ou não ou se faltou algo... Bom, aqui está o capítulo, espero que gostem!

         Oath 27º Capítulo - `` A pessoa e certa é você ´´

POV Justin

Já estava indo embora. Depois desse dia cheio com minhas fãs oque eu mais queria era tomar banho, deitar e dormir, se eu conseguisse porque... Eu não entendi muito bem a reação da Becky. Ela desviou um beijo meu.
Ok, aquelas coisas que eu contei para ela não foram nada leves mais também não tinham nada haver com ela, eu só espero que ela não tenha se sentindo ofendida. Se for preciso eu falo para ela que aquilo foi `` passado ´´ e que eu nunca mais fária aquilo, nunca mais fária aquilo com ela. Não quero mais magoar o amor da minha vida, eu espero que ela não tenha ficado brava.

Quando estava entrando no carro meu celular começou a tocar. Eu peguei ele no bolso enquanto sentava e vi que a chamada era da... Sophia.

- Justin? - Ela estava chorando, soluçando.
- O que foi Sophia? O que aconteceu?
- A Becky!
- A Becky oque caramba? - Me alterei um pouco fazendo os garotos me olharem assustados. Ele estavam sentados na minha frente. Como eu não sabia aonde era essa tal Bosque da Barra a gente veio com o motorista que era brasileiro e conhecia a cidade.
- Ela... ela sofreu um acidente. - Eu devo ter feito uma expressão de espanto porque os garotos começaram a perguntar se eu estava bem.
- Que a-acidente Sophia? O que aconteceu com a Becky? - Já estava aflito. Queria sair correndo daquele carro e ir para a casa da Becky.
- A Keyla estava indo até o quarto dela para ver se ela estava bem porque ele entrou em casa chorando. Mais quando ela chegou lá em cima tinha sangue embaixo da porta que estava trancada. Então nós chamamos o jardineiro e ele conseguiu abrir a porta e aí...
- E aí oque Sophia? - Gritei.
- Ela estava com o pulso todo cortado, estava branca, com o rosto molhado de choro e em volta dela uma poça de sangue. Ela parecia morta.
- Mais ela não está não né? Sophia, fala que isso é uma brincadeira de mal gosto da Becky, pelo amor de Deus. - Eu não estava acreditando naquilo, impossível.
- Não é brincadeira Justin! Você tem que vir para o hospital agora. O doutor disse que se eu não achar alguém com o mesmo tipo sanguíneo que o dela em menos de 48 horas ela entra em coma.
- E qual é o tipo sanguíneo dela?
- O positivo.
- Sophia, esse é o tipo sanguíneo da mãe dela... Eu lembro que quando eu cheguei no Brasil eu fui para a casa porque eu ela iria me ajudar a conseguir a Becky de volta e ela tinha acabo de voltar de uma clinica e deixou um ficha em cima da mesa e eu como sou curioso peguei e olhei.
- Droga! Olha o endereço do hospital é...

Eu comecei a ficar desesperado. O que eu iria fazer se minha Becky entrasse em coma? Eu não tinha a menor ideia do que fazer. Peguei o endereço do hospital com a Sophia e pedi para o motorista nos levar até lá, graças a Deus não era muito distante.
Quando cheguei me assustei com a quantidade de paparazzis que tinha lá. Eu iguei para o chefe da minha segurança e pedi para ele trazer o resto da seguranças se não eu não iria conseguir passar por ali nunca.

Os minutos foram passando dentro daquele carro com os garotos falando para mim ficar calmo porque a Becky era forte e vai ficar bem e eu estava tentando colocar isso na minha cabeça.
Mais e se ela não ficasse? Era oque me assombrava.
E se a culpa disse tudo for minha? Eu disse todas aquelas coisas para ela e ela interpretou errado, do jeito que a Becky é eu não duvido... Nem dá para acreditar que eu fiz ela se cortar, derramar o sangue dela. Por que eu fui dizer aquelas coisas para ela? Que tipo de namorado eu sou? Aquele que faz ela sofrer e chorar? Pra quê tanto dinheiro se eu não podia comprar uma maquina do tempo para poder voltar e nunca ter dito aquelas coisas para ela e continuar guardando para mim como sempre.  Eu acabei com a Becky. Ela sempre foi tão feliz. O sorriso dela pelo qual eu havia me apaixonado no dia em que a vi no shopping nunca mais foi o mesmo, eu fiz dela infeliz. Se eu pudesse voltar no tempo e fazer tudo de novo só que do jeito certo, aonde não haviam lágrimas, sangue, cortes, dor... sofrimento. Eu só queria fazer a Becky feliz e nem isso eu consigo fazer direito.
Que vontade incontrolável de me matar, matar qualquer pessoa! É tudo culpa do Twist. Se eu não tivesse entrado na onde dele nada disso teria acontecido. Filho da puta, fazer festa na minha casa ele gosta, porque ele não compra uma mansão pra ele e dá uma festa na casa dele?

Depois do que pareceu uma eternidade, mais na verdade foram 20 minutos eu sai daquele carro e meus tímpanos começaram a arder com o barulho das câmeras. Me abaixei no meio do seguranças enquanto ia até a entrado do hospital. Eram tantas perguntas, pessoas gritando, me insultando, parecia que minha cabeça iria explodir a qualquer segundo. Se não fosse Ryan e Chaz eu tinha dado um soco na cara de um paparazzi.
Quando entrei no hospital eu vi Sophia, sentada num canto chorando e do lado dela a Bruna, a Letícia e a Eduarda, pra quê tanta menina?

Eu fui até ela e a abracei. Apertei ela nos meus braços como se fosse a Becky ali. Imaginei Becky chorando por algo que a machucou muito e acabei me emocionando também.

- Não chora Justin... Ela vai ficar bem.
- É tudo culpa minha... Eu não deveria ter dito aquelas coisas. - Sentei no sofá ao lado da Sophia e os meninos depois de cumprimentarem elas sentaram no sofá da frente.
- Não é culpa sua. A Becky tem esse problema de sempre se preocupar demais com outros, ela parecesse que gosta de sentir a dor alheia! - Apoiei meu cotovelos nas perna e apoiei minha cabeça nas minha mãos olhando para o chão.
Era sim, tudo culpa minha, pensei.
- Ela vai ter que levar pontos? - Falei e me assustei com o fiasco de voz que saiu, limpei a garganta.
- Só nos cortes mais fundos. - Sophia disse. Eu assenti.

O tempo foi passando naquele hospital. Trocávamos poucas palavras uns com os outros e nada do médico vir dar UMA noticia se quer. Eu ficava cada vez mais impaciente e com medo de algo de ruim acontecer com a Becky. O que eu fui fazer da minha vida quando disse aquelas coisas para ela?
A culpa me rondava e eu não podia fazer nada, apenas chorar. Sophia tentava de todo jeito falar com a mãe da Becky mais parecia que estava fora de areá e quando ligava na casa dela o telefone tocava... tocava... e ninguém atendia, até que ela gritou:

Senhora Vulcanos? - Todos olhamos para ela com esperança mais parecia que cada vez mais que a Lea falava a Sophia ia abaixando o olhar e fazendo uma expressão decepcionada, trista, derrotada... - Mais ela está correndo risco de vida, pode entrar em coma... Como nós vamos fazer? - Lágrimas começaram a escorrer pelo rosto da Sophia e ela desligou o celular olhando para o chão. Todos nós começamos a perguntar ao mesmo tempo oque a Lea tinha dito. - A Lea está dentro de um avião, eu conseguia ligar para ela pelo Skype. Ela está... está indo para o Caribe gravar um filme junto com o marido dela.
- Não, não, não... - Abaixei a cabeça desabando novamente. Todos me abraçaram ao mesmo tempo, mais parecia que meu coração explodiu em mil pedaços e só a Becky poderia remenda-lo com magica. Peguei meu celular depois de um tempo para ver se conseguia me distrair mais as minhas interações estavam cheia de perguntas sobre a Becky e isso só me fez pior. Vi a tag em segundo nos mundiais: `` #PrayForBeckyVulcanos ´´ Dei retweet em várias pessoas que postavam a tag com frases bonitas sobre a Becky e twittei:

`` #PrayForBeckyVulcanos she's need :( ´´

[...]

É torturante passar a noite inteira num hospital sem ninguém para te dar noticiais. Eu estava quase invadindo os corredores daquele hospital a procura da Becky por todos os quartos. Se ela fosse entrar em coma mesmo eu quero ver ela uma última vez.
Eram 10 horas da manhã e finalmente um médico veio até nós.

- Responsável por... Rebecca Vulcanos? - Todos nós levantamos então ele decidiu falar para nós mesmo em vez de só a Sophia. - Bom... a Rebecca não reagiu a nenhum medicamento, os batimentos cardiacos dela estão muito fracos quase parando, se continuar assim sem nenhuma doação ela pode não só entrar em coma como em óbito. - Aquelas palavras saíram e foi como uma facada na barriga. Meu olhos se encheram novamente e as lágrimas escaparam.
Quando eu achei não haviam mais esperanças pois a Lea tinha entrado em contato novamente e disse que o próximo voo do Caribe para o Brasil só iria sair de noite. Uma gritaria veio da saída do hospital interrompendo meus pensamentos que estavam a procura de uma solução rápida. Eu virei para ver oque era e quando aquela sonsa entrou pela porta eu fiquei estático, oque a Selena estava fazendo aqui?

- Eu sou O positivo, eu doo meu sangue para a Becky. - Ela disse tirando os óculos e me encarando. - Tenho certeza que ela fez isso por sua causa, parece que você não se cansa de machucar a garota! Ela tem só 18 anos e igual a mim e a você e a todos aqui ela tem sentimentos.
- Selena, certo? - O médico disse e ela mudou sua expressão brava para um sorriso de canto, e assenti. - Me acompanhe por favor. - Ela o seguiu pelo corredor. Todos pegaram os celulares inclusive eu.

Ela embarcou de madrugada, 2 horas da manhã. Ela também terminou a Stars Dance Tour a algumas semanas então estava de férias. Ninguém sabia para aonde ela estava indo até ela desembarcar no Brasil junto com o seu agente. Com certeza deve ser saído no TMZ que a Becky sofreu um acidente e a Selena viu, será que foi por isso que ela veio? Doar sangue a Becky?
Todos ficaram com uma interrogação no rosto quando a Selena voltou abaixando a manga da blusa, provavelmente cobrindo o curativo redondo.

- Eles vão injetar o sangue nela daqui uns 20 minutos. - Ela sorriu para todos e me fuzilou com o olhar. Levantei novamente e puxei ela para um canto.
- O que você faz aqui?
- Ajudando a Becky. Ela é uma ótima pessoa, eu só quero o melhor para ela e ela também deveria querer o melhor para ela e terminar com você Bieber. Eu tenho certeza que a Becky é uma garota inteligente e você não a merece.
- E quem é você para falar isso? A garota que queria marketing? Vai aproveitar a fama dela também por namorar o Justin Bieber? Quando que você vai ter vergonha na cara o suficiente?
- Eu não quero droga de marketing Justin! - Ela gritou sussurrando e olhando para os os lados. - Dês do dia em que você me traiu oque eu mais queria era ficar longe de você e...
- Mais você nem se importou porque aceitou a nossa separação numa boa.
- Por que eu namorei com você durante 2 anos, eu fiquei bem mais famosa, não precisava mais de você. Estava arrumando um motivo para terminar com você e você facilitou tudo, esqueci de agradecer, obrigada. - Sorriu e eu fiquei com vontade de dar um soco nela. - Mais você acha que eu também não sei que você me usou para conseguir sexo? Desculpa Justin, não sou burra. Mais além de tudo... - Ela me olhou solidária. - Eu me arrependo muito, cada dia eu tento ser mais verdadeira com meus fãs, porque eu amo eles e eu sei oque a Becky deve estar sofrendo e quero ajuda-la, ser sua amiga! - Eu abaixei a cabeça pensando no que ela disse.
- É verdade? - Levantei um pouco a cabeça.
- Claro que sim! Todos dizem que ela é uma garota incrível, além de ser linda e... gostosa. - Ela riu. - Eu prometo que vou ser verdadeira com ela. - Ela sorriu, e esse sorriso era sincero. - O médico pediu para que vocês fossem para casa, tomar um banho e dormir um pouco. Ele me prometeu que até o final do dia Becky já teria acordado. - Eu pensei um pouco mais acabei assentindo.
- Obrigada. - Disse baixinho para que só ela ouvisse e sai dali.

Fui para perto do pessoal e falei que iria para o hotel tomar um banho rápido e tirar um cochilo pois estava quase dormindo em pé. Me despedi da Sophia e sai. Selena disse que havia dormido no avião e que quando chegou tomou banho, então iria ficar de plantão junto com o agente dela.

POV Selena

Eu não menti. Eu realmente acho que eu e a Becky podemos ser amigas, eu QUERO ser amiga dela. Doei o sangue como um gesto de confiança, mais mesmo que não gostasse dela fária isso, não sou tão ruim a ponto de deixar uma pessoa morrer quando tenho a solução dentro de mim.
A Becky parece ser uma boa garota e eu adoraria ser sua amiga, se não não viria da Argentina até aqui, mais eu sei que no final de tudo vai valer a pena.

Estávamos já a umas 4 horas no médico. Eu peguei meu notebook no carro e ficava passando o tempo nas redes sociais. Meus fãs já sabiam que eu estava no Brasil e alguns fãs da Becky e as Beliebers me agradeciam por ter ajudado ela pois se acontecesse algo elas não tinham ideia de como Justin iria reagir, mais não séria algo bom. Oh, com certeza não.
Eu estava realmente preocupada com a Becky. E se não desse certo? Claro que vai dar Selena, o médico prometeu a você que ela iria ficar bem, tenha pensamentos positivos e tudo vai ficar melhor ainda!
Quando eu já estava com tédio, sem nada para fazer e sem esperanças por causa da demora o médico veio a té mim, pois já sabia que eu estava na `` guarda ´´ da Becky.

- Senhorita Selena, a Becky acordou. Ela está um pouco tonta por causa dos medicamentos, voltou a reagir e os batimentos cardíacos dela estão ótimos. Se você quiser eu posso acompanha-la até o quarto dela. - Eu assenti fechando o notebook e levantando. Ele foi até o elevador e entrou junto comigo, aperto o botão do quinto andar.
Quando chegamos lá andamos até o final do corredor e o penúltimo quarto era o da Becky. Entrei lá dentro e fechei a porta. Virei e ela fez um cara de espanto, eu sorri.

- S-Selena, oque você está fazendo aqui?
- Becky, eu vou explicar tudo. Só... fica calma, por favor. - Sentei-me na cama ao lado dela e peguei sua mão. Comecei a contar tudo oque eu sabia e que Sophia havia me contado por mensagem, pois havia me dado o seu número caso acontecesse algo. A cada palavra que eu dizia ela ia assentindo.
- Eu  não acredito que você veio da Argentina só para me doar sangue... Muito obrigada, obrigada mesmo! Eu não sei oque aconteceria se você não tivesse vindo... Minha mãe estava no Caribe e eu poderia ter morrido.
- Ei, não pensa nisso. - Apertei um pouco a mão dela. - O que importa é que está tudo bem, esquece o passado, ok? - Ela assentiu comprimindo os lábios. Alguém bateu na porta. Eu levantei e fui ver quem era dando de cara um garoto meio alto com o cabelo castanho.

- Selena Gomez? - Ele fez uma expressão confusa, eu assenti.
- E você é?
- Um amigo da Becky, Diogo. - Ele estendeu a mão e eu o cumprimentei.
- Ah, ok. - Disse saindo para que eles conversassem sozinho. Ele entrou e eu fui em direção ao elevador.

POV Becky

A Selena levantou para ver quem era na porta, em seguida o Diogo entrou. NÃO PERA! O Diogo? O que ela estava fazendo aqui? Depois daquele dia eu pensei que ele iria me odiar para sempre mais não. Ele estava segurando uma única rosa vermelha na mão e deixava aquela sorrisinho tímido de sempre no rosto. Usava um moletom da Hollister, calça jeans e um par de all-stars.

- Oi Becky. - Ele disse baixinho e se aproximando.
- Oi. - Sussurrei.
- Eu posso conversar com você? Vai ser rápido, eu prometo. - Eu assenti ainda meio contrariada. Vai que ele esqueceu de falar algo aquele dia. - Eu me arrependi aquele dia de ter dito aquelas coisas para você. Era tudo mentira, eu só estava com ciúmes de você e do Justin e com inveja do Justin por ter você porque... porque eu amo você e queria ter você para mim Becky, mais você é dele. - Sorriu me entregando a rosa que eu peguei, eu retribui o sorriso.
- Está tudo bem, eu não culpo você, eu já senti isso antes... - Balancei minha cabeça esquecendo a cena. - Mais eu quero que você saiba que eu também amo você, mais como amigo. Eu prometo para você que você vai achar alguém bem melhor que eu, que faça você feliz. - Ele assentiu olhando para o chão.
- Eu acho isso impossível, mais eu acredito em você.
- Nada é impossível. - Ficamos alguns minutos em silêncio até que o celular dele vibra. Ele olhou a mensagem e pareceu decepcionado.
- Eu tenho que ir. - Ele olhou para mim. - Almoço em família. - Revirou os olhos e eu ri.
- Entendo.
- Eu conversei com seu médico, lá embaixo. Ele disse que você vai ter alta amanhã de manhã. Ele só tem que fazer mais alguns exames para ver se você está totalmente bem e não vai ter uma recaída. - Eu assenti. Ele veio até mim e beijou o canto da minha boca e sorriu. - Fica bem princesa. - Ele estava indo até a porta mais eu o chamei fazendo ele virar. - Sim?
- Não deixa o Justin entrar, por favor. - Ele começou a me perguntar porquê e então sentou na cama em quanto eu contava oque aconteceu. Eu podia desabafar com ele porque ele sabe guardar segredo, é um bom amigo.

POV Selena

Quando cheguei na recepção do hospital já estava todo mundo lá, todos doidos para falarem com a Becky. Fui até eles e disse que a Becky estava conversando com um amigo dele e que depois o médico deixava todo mundo subir. Começaram a me perguntar se ela estava bem e eu disse que sim que o transplante de sangue deu certo e ela vai receber a alta amanhã. A Sophia fez uma cara de alivio e depois me puxou para um canto enquanto Justin conversava com o Chaz.

- O que foi? - Perguntei.
- Sábado é aniversário do Justin e a Becky alugou uma chácara, contratou buffet, alugou ônibus para virem dos estados mais populosos do Brasil com fãs do Justin, alugou dois hotéis para confortar as fãs sem falar que as pulseirinhas com a passagem tem um número que vai estar valendo um prêmio. E que ela falou para o chefe dela conseguir atrações para a festa dele. - Eu fiquei impressionada.

A garota além de ser legal, bonita e gostosa. É rica e quem saber de todo mundo feliz! Eu admito que nunca fária isso pois nunca passaria pela minha cabeça fazer isso mas eu a apoio. Isso é uma boa ação e qualquer ajuda que ela precisar eu vou estar aqui.

- Eu preciso da sua ajuda para terminar de arrumar tudo. O Justin não pode saber de nada. - Eu sorri.
- Tudo bem Sophia, eu ajudo, mais antes quero conversar mais um pouco com a Becky! Quero conhecer ela um pouco mais, quero ser amiga dela. - Ela sorriu. Um sorriso sincero e assentiu.
- Leva o celular dela. - Ela me entregou o celular da Becky.

Todos nós subimos para o andar dela e eu levei eles para o quarto. Eu acho que a Becky vai ficar bem feliz com a presença de todos eles ali. Quer dizer... se ela ainda estiver brava com o Justin, vai ficar meio feliz. Se fosse comigo e um garoto me magoasse e eu me cortasse por causa dele com certeza eu ficaria no minimo 1 semana sem falar com ele, iria para festas, beberia, comeria besteira e faria qualquer coisa para esquece-lo. E depois se eu continuasse gostando dele eu pensaria em modo para que conversássemos civilizadamente para nos resolvermos.

Mais eu tenho certeza que a Becky ama o Justin, com certeza vai perdoa-lo e se for para ser assim eu não vou ficar fazendo a cabeça dela para que ela faça o contrário e se culpe e acabe se cortando de novo, eu vou ajuda-la.
Quando eu fui abri a porta o tal do Diogo abriu ela antes de mim sorrindo como se fosse o melhor dia da vida dele. Mais quando viu o Justin fechou a cara.

- Ela está bem... E não quer ver você. - Eu olhei para trás vendo Justin que estava com uma expressão indignada no rosto.

Eu juro que fiquei com vontade de rir. Depois de muita conversa com a Sophia o Justin desistiu de entrar e sentou em uma das poltronas do corredor junto a Ryan que falava alguma coisa para ele. Nós entramos no quarto e a Becky apreciava uma rosa que estava na mão dela que... o Diogo estava segurando antes de entrar.

POV Becky

- Oi gente. - Disse quando a Sophia, a Eduarda, a Letícia, a Bruna, o Alfredo, o Chaz e a Selena entraram no quarto. Todos correram e me abraçaram com força, menos a Selena. - Calma, calma nem foi tanto tempo assim. - Disse fazendo todos rirem. A Selena entregou meu celular e como eu estava sentada coloquei ele entre minhas pernas. - Mais e aí, oque aconteceu?
- Você não lembra? - Eu alisei meu braço por cima do lençol e um choque com dor me acordou. Eu me cortei... Por causa do Justin. Tirei o lençol de cima do braço e me assustei com oque vi... Vários fiozinhos pretos na minha pele impedindo dos cortes abrirem e outros tinham ataduras em cima. - Nossa, isso está feio. - Eu assenti. - Mais com sorte, em duas semanas você já vai poder tirar os pontos. Dei uma olhada no meu celular e tinha 15 chamadas perdidas da minha mãe.

Hey hey baby you've been on my mind I knew you for a long time...

- Eu preciso mudar esse toque. - Disse para mim mesma antes de atender. - Oi senhora `` estou preocupada. - Suspirei.

Como assim senhora preocupada minha filha? Você quase morreu!
- Mais não morri, para falar a verdade estou bem viva. Se você quer se livrar de mim sinto em te dizer que eu sou feita de ferro. - Todos riram menos Selena porque ela não entendia.
Filha, eu e seu pai ficamos com esperanças de que a você ficaria bem e nós não iriamos precisar ir para o Brasil para eu poder doar o sangue, vai precisar ainda?
Não mãe. - Sorri para Selena que mesmo sem saber do que eu estava falando sorriu de volta.
Ah, nós voltamos daqui 1 semana e você vai ter que voltar para São Paulo para terminar de gravar o filme preguiçosa. Seu pai já está com o elenco inteiro.
Quem eu vou ter que beijar? - Revirei os olhos e eles riram.
Acho que você vai gostar.
Fala logo.
O Caio Castro. - Deixei meu celular cair e peguei o travesseiro, afundei meu rosto nele e comecei a gritar fazendo todos rirem. Peguei o celular de novo.
Não brinca, Caio Castro?
É filha, o Caio Castro!
Ah, você é a melhor mãe de todos os tempos. Eu te amo mais eu tenho que desligar.
Mais filha eu ne... - Coloquei meu celular na minha frente e apertei o botão vermelho fazendo a chamada encerrar. O quarto virou um poço de gargalhadas. - Minha mãe é muito chata.

- E você é muito sortuda! Vai beijar o Caio Castro, meu deus! Me entrega o seu papel pelo amor.

- Se eu pudesse. - Olhei para Selena que estava com uma expressão de excluída pois não entendia nada. - Eu posso conversar com vocês depois? Quero falar com a Selena! - Eles assentiram então me despedi de todo e Selena sentou na cama. - Então...

Esse `` Então... ´´ foi o começo de uma conversa infinita. Ela me contou tanta coisa e eu contei tanta coisa para ela, ficamos intimas em poucos minutos. Tudo oque ela falava era com um ar de verdade que eu ficava com inveja. Sem falar que pessoalmente ela era tão linda, eu queria abraçar ela bem forte e falar que ela sempre foi minha diva.

Ela parecia tão enfeitiçada falando comigo. Me olhava de cima abaixo várias vezes. Disse que lia artigos em sites sobre meu estilo e que eu era totalmente linda e que se um dia eu deixasse de seguir minha moda para seguir a dos outras ela me batia - eu ri.
O que pareciam anos ali com ela eram 2 horas, ela segurou minhas duas mãos e olhou no fundo dos meus olhos e disse:

- Você é a pessoa mais incrível que eu já conheci. Eu sempre me envolvi com as pessoas erradas e fiz coisas erradas, mais agora eu quero seguir o caminho certo e andar com as pessoas certas mais só tem uma pessoa certa, e a pessoa e certa é você.


--------------------------------------------------------------------------------------------------
Oi gente. Desculpa pela demora no capítulo, se vocês perceberem ele ficou bem grande, então eu espero que também tenha bastante comentários. Deixe também o URL do seu blog nos comentários e participe do blog porque eu vou estar divulgando os blogs de vocês, ok? 

                 

                                   Divulgando:

Believe
I Want Bieber
Stories With Bieber - sem querer fazer bullying com os outros blogs mais esse é o melhor

beijokas e até a próxima




15.10.13

Oath 26º Capítulo `` O Justin maconheiro? ´´


                              

Oi! Tudo bem pessoinhas lindas do meu coração? Espero que sim. Enfim, eu estou mais ansiosa que vocês para a festa do Justin, sério. Eu estou meio que perdida como se estivesse realmente planejando a festa. Me imaginem andando de um lado para o outro segurando uma prancheta, pois é, eu me imagino assim...
Eu também queria poder dar mais detalhes a vocês sobre a festa mais você vão ter que esperar... Mais 1 capítulo e a gente chega lá ok? Enjoy.

            Oath 26º Capítulo ``  O Justin maconheiro?  ´´
                   

2 dias depois...

Faltavam só 3 dias para o sábado, ou seja, o dia da festa. O Justin vivia desconfiado fazendo perguntas e eu tentava responder o minimo sem nenhum tipo de  `` dica ´´.
Todos os ônibus convocados já estavam lotados, ou seja, exatamente 720 Beliebers vão comparecer a festa sem falar nas que moram no Rio. Eu fiz as contas e vão ter exatamente 2.000 mil pessoas.
Eu nem estava preocupada, a chácara era gigante, o buffet tinha o triplo de comida então não iria faltar nada.
Todas as performances foram confirmadas então teríamos basicamente um festival de música. Sem falar que a Pattie, o Jeremy iriam vir para o Brasil junto com as crianças junto com o Christian, a Caitlin e o Scotter. Eu estava cada vez mais feliz esperando pela reação do Justin, como será que séria? Essa com certeza seria uma coisa que eu iria guardar para a vida toda.

- Mais Becky, se você já terminou de escrever a música e já colocou melodia você tem que gravar! - Sophia disse se referindo a música que eu escrevi para Justin, também como presente.
- Eu não quero gravar Sophia, vou cantar ao vivo e nunca mais. - Ela balançou a cabeça de um lado para o outro em desaprovação.
- Você não deveria.
- Mais como a música é minha, eu faço oque eu quiser com ela, certo?
- Certo. - Ela deu de ombros sentando em cima de suas pernas e mudando de canal compulsivamente, eu estava quase arrancando o controle de sua mão para ver se ela deixava em um canal só! - Mais além disso... - Ela virou a cabeça de volta para mim. - Esse gesto que você fez pelas fãs dele vou extremamente lindo, elas vão agradecer você eternamente. - Eu sorri de canto.
- Talvez.

Passamos a tarde inteira na sala assistindo a filmes e comendo besteiras enquanto - provavelmente - Justin estava no Bosque da Barra com os meninos, nem sei oque ela foi fazer lá. Ok, é um lugar lindo, eu amo ir lá para pensar sobre a vida e compor mais oque um garoto de 19 anos vai fazer lá? Andar? Ok de novo porque lá tem encontros diários de beliebers e segundo o site da Bieber Mania hoje tinha um encontro de beliebers/boy então lá estaria cheio.
Justin tinha me mandando uma mensagem a pouco tempo me chamando para ir com ele mais eu não respondi fingindo que estava dormindo. Pensei um pouco e acabei concordando em ir, respondi a mensagem dizendo que em 20 minutos chegava lá com a Sophia que concordou em ir.

Corri para meu quarto e adentrei o closet para tentar escolher algo descente para vestir por estava frio e oque eu mais tinha era moletom. Fiquei longos revirando todo meu armário várias vezes, desarrumando todo o meu armário e colocando tudo de novo. Quando vi já tinham se passando 20 minutos. Sophia entrou no quarto perguntou o porquê da minha demora e eu apontei para o meu armário e falei que não havia nada ali que me agradasse. Ela disse que eu tinha mais roupa que ela mesma e que tinha que ter alguma coisa que me agradasse. Depois disso ela entrou no meu closet e começou a revirar tudo mais uma vez, mais não foi que ela achou algo agradável mesmo? Ela me entregou as roupas com uma cara de: `` Nunca mais duvide de mim ´´. Fui para o banheiro e me troquei, me senti bem com oque vestia e segundo Sophia eu estava linda. Peguei meu iPod seguido de meus headphones e fui para a garagem.

A Sophia dirigiu até o Bosque da Barra que era `` próximo ´´ da minha casa ( um pouco distante para mandar a real ). Esse dois dias eu passei longe do Justin, tinha que trabalhar e sem falar que Diogo estava me evitando. Ontem eu fui para a Capricho e o encontrei lá...

Flashback on

Estava caminhando até a sala do Gabriel pois precisava entregar meu relatório da semana e avisei Diogo saindo do guarda-roupa. Eu estava aflita para falar com ele, então me aproximei sem que ele percebesse e acabei dando um susto nele.

- Diogo? - Ele virou em um pulo.
- Sim? - Seu tom era rude e sua expressão era de impaciência. Fiquei em silêncio durante um tempo pois parecia que as palavras fugiram de mim. Limpei a gargante e tomei minha postura.
- Por que você se afastou? Eu queria tanto falar com você e parecia que toda vez que você me via fugia. Está me evitando? - Ele mexeu no cabelo e me analisou.
- Não.
- Então, porque o afastamento, eu fiz algo a você?
- Eu só não quero mais me misturar com você Rebecca, seu namorado... - Ele revirou os olhos. - Não iria gostar. - Ele parou de falar mais eu fiquei o encarando esperando por mais alguma coisa, ele percebeu. - Só fica longe de mim, tudo bem? Acho que você já me machucou de mais. - Ele seguiu o corredor me deixando sozinha.

Fiquei parada ali por oque pareciam horas, dias, meses, anos... Eu só queria saber oque eu havia feito para deixa-lo tão frustrado. E `` machucar ´´ ele? O que eu fiz? Ele nunca demonstrou nenhum sinal de interesse em mim.
Ok, vou admitir. Eu já havia percebido que ele me olhava de um jeito diferente do qual ele não olhava para outras garotas. Os olhos dele tinham um brilho que eu só adquiria quando ele estava comigo, sem falar a tamanha educação que o garoto tinha perto de mim.
Eu senti lágrimas tomarem meu rosto e abaixei a cabeça. Ouvi passos e logo tinham várias pessoas a minha volta perguntando se eu estava bem, se eu estava passando mal, com dor... Outras traziam água essas coisas... Eu apenas dizia que estava bem. Fui para o banheiro e sequei minhas lágrimas, encarei meu reflexo durante minutos me perguntando oque tinha feito para ele me odiar tanto...
Entrei o relatório para o Gabriel e fui embora antes que eu me jogasse do último andar daquele edifício.

Eu sempre gostei do Diogo, como amigo claro. Só que se ele tivesse dito que gostava de mim antes que eu e o Justin reatássemos eu poderia dar uma chance a ele para ficar comigo mais... ele sempre ficava todo tímido perto de mim e os garotos me contavam que ele nunca parava de falar de mim! Como eu era boba... Se eu ao menos soubesse.
Eu passei o resto do dia mal com Sophia me consolando. Só que ela queria liga para o Justin e tudo oque eu menos queria e que outro garoto ficasse com raiva de mim. Por que eu já estava ciente de que se Justin soubesse que eu estava chorando por outro garoto ele iria surtar até saber que garoto é então pedi para que Sophia esquecesse esse assunto, mais ela disse que só iria se silenciar se eu prometesse que não iria chorar mais. Demorei na resposta mais prometi, em seguida sequei as lágrimas.

Se ele queria distancia de mim, tudo bem, eu não iria mais me aproximar dele. Mais tenho certeza que no final ele é quem vai se arrepender porque eu sempre fui uma grande amiga para ele e mesmo assim ele me tratou mau porque eu tenho namorado.
Não o odeio, mais tenho uma ponta de raiva pelo jeito que ele me tratou.

Flashback off 

Quando chegamos no Bosque da Barra já pudemos perceber a aglomeração. Não só de fãs como também de pessoas que iriam ali durante a semana para caminhar, levar os filhos para andar de bicicleta, ler em silêncio e apreciar a linda natureza que habitava naquele lugar. Peguei meus fones de ouvido e os deixei no meu pescoço, em seguida prendi meu cabelo em um rabo de cavalo, por estava frio e se ventasse ele não iria bagunçar.

Entramos no parque que - por mais clichê que seja - estava cheio de bolhas de sabão flutuando, crianças correndo com balões e andando de bicicleta. Adolescentes sentadas na raizes de árvores lendo `` A culpa é das estrelas ´´ , `` Fazendo meu filme ´´ , `` Minha vida fora de série ´´ entre outros...

Comecei a andar a procura do Justin até que Sophia chamou minha atenção apontando para perto do lago aonde se encontrava várias beliebers/boys sentados na grama e na frente deles também sentado Justin com um violão no colo. Mais por enquanto ele não cantava, apenas conversava com elas.
Eu dei a volta para ir por trás. Como meus óculos eram rosas provavelmente ninguém iria me reconhecer... eu acho.

Quando estava uns 5 passos do Justin já senti olhares sobre mim, claro que iriam saber quem eu sou, que burra! Tapei os olhos de Justin com as mãos antes que elas gritassem. Fiz sinal para Sophia perguntar `` Quem é? ´´ e assim ela fez.

- Odeio essa brincadeira. - Ele resmungou fazendo as fãs que o entendiam rirem. - Hum, Ryan, me ajuda? - Eu balancei minha cabeça e ele não o respondeu. - Que saudade da Selena... - Revirei os olhos e fiz cara de tédio. O Alfredo, Ryan e Chaz ficavam fazendo sinal para silenciarem as fãs que fizeram '' Awn ''. - Ô Becky, me ajuda? - Ele disse rindo e logo depois o lugar foi tomado pelas risadas das fãs dele.
- Não sabe brincar fica no útero. - Disse tirando as mãos de seus olhos.
- Na verdade. - Ele levantou. - Você que é tonta o bastante para eu achar que séria outra pessoa. - Ele segurou meu rosto com uma mão de cada lado e me beijou. Um beijo calmo, doce... Ele foi deslizando suas mãos devagar pelo meu corpo e entrelaçou elas na minha cintura. Encerrei o beijo com um selinho pois estávamos na frente de mais de 50 fãs dele. Fingi que meu celular vibrou e peguei ele, mais bem que tinha um mensagem da minha mãe.

Aquele barulho de mil e uma pessoas falando tomou o lugar então eu tive que me afastar. Minha mãe mandou a mensagem avisando que os fãs da Bahia, Minas Gerais e Ceará iriam vir hoje porque seriam dois dias de viagem e eu já sabia disso, eu até agradeci pelo meu pai ter conseguido arrumar o hotel bem antes. Olhei para o lado depois de um tempo e vi que Justin tirava fotos com fãs enquanto outras tiravam com Alfredo, Chaz, Ryan e Sophia... Eu estava sobrando. Quem dera ter o Diogo aqui para me acolher como ele sempre fazia quando me encontrava chorando por causa do Justin...

Eu olhava atentamente de longe para ter certeza que nenhuma das quais estavam ali comentariam sobre a festa dele mais parecesse que elas entendiam bem que era surpresa. Tirei meus fones de ouvido do pescoço e coloquei ele nas minha orelhas, pluguei no iPod que estava no meu outro bolso e coloquei a playlist toda para reproduzir... Começou com Gotta Be You que é do albúm Up All Night, mais como eu não gosto de todas as músicas desse albúm - só a maioria - eu achei melhor baixar só as músicas que eu gosto.

Estava entretida no iPod atualizando o Instagram várias vezes quando alguém cutuca meu ombro. Virei deparando-me com o Lucas.

- Oi. - Disse sorrindo e partindo para um abraço que foi retribuído junto ao beijo no pescoço que me fez estremecer.
- Tudo bem? - Ela perguntou. - Você parece... solitária.
- Eu estou bem. - Fiz expressão. - Solitária? É extremamente raro as pessoas dizerem isso para mim.
- Talvez seja porque você sempre está acompanhada. - Ele apontou para a Sophia e os meninos.
- É... talvez.
- Convencida. - Eu ri.
- Só um pouco. - Ele riu.
- Ouvindo oque? - Eu tinha me distraído e nem percebi que havia mudado de música.
- Feel This Moment.
- Essa é boa.
- É mesmo... - Concordei.
- Mais é do ano passado. - Ele se inclinou um pouco para falar.
- E qual é o problema?
- Nenhum... Mais você que é super moderna, iria gostar de ouvir as músicas do momento.
Heart AttackCome & Get ItSlow DownMade In The UsaTroublemakerLittle Things e outras... Vão ser lembradas sempre por mim, são músicas que eu amo muito. - Ele assentiu colocando as mãos dentro dos bolsos laterais do moletom que usava. - Um vento forte bateu e as folhas começaram a voar, dei graças por ter prendido meu cabelo no carro. Eu tinha abaixado para não entrar nenhum cisco no meu olho e quando levantei vi que o cabelo do Lucas tinha bagunçado completamente e com isso eu comecei a rir descontroladamente.
- Droga. - Ele começou a passar a mão pelo cabelo.
- Quem manda ter cachinhos. - Comecei a ajudar ele a arrumar o cabelo e tirar uns pedacinhos de folha que cairão.

- Becky? - Justin me chamou e eu virei.
- Sim? - Sorri. Ele virou um pouco para ver o Lucas e logo fez um expressão de alivio. Veio até nós e cumprimentou ele com aqueles toque de mão estranhos. - Justin?
- Sim? - Ele me imitou e eu revirei os olhos.
- Cadê os seus seguranças? Você sempre anda com eles e hoje... - Olhei em volta.
- Na verdade Becky, eles estão ali. - Ele apontou para um árvore aonde tinha um homem de preto. - Ali. - Ele apontou para um banco. - E ali. - Ele me virou e apontou para perto do lago.
- Por que distantes?
- Por que eu pedi um pouco de liberdade.
- Awn, coitado. Não tem liberdade. - Abracei ele que fez um bico do tamanho do mundo. Não resisti e o beijei.

- Então galera, eu tenho que ir.
- Mais já? - Disse me virando para ele.
- Pois é... - Ele coçou a cabeça. - Tenho que consolar um cara aí. - Na hora que fiquei com vontade de saber quem é esse `` cara ai ´´.

Mais e se fosse o Diogo? Depois daquela `` discussão ´´ ele ficou mal? Se arrependeu? Claro que eu iria perdoar ele no mesmo segundo em que ele se desculpasse ( caso se desculpasse ). Mesmo depois de tudo eu o desculparia porque o Diogo é um grande amigo que sempre me acolheu quando eu precisei sem falar que são poucas as pessoas que trazem a minha felicidade com um sorriso e fazem minha barriga girar com um olhar... NÃO, NÃO MESMO! Claro que eu não gosta do Diogo como uma paixão, ele só é... quer dizer, era meu amigo... Nunca temos e nunca vamos ter nada de especial. Talvez um dia ( se ele voltar a falar comigo, claro ) nós tenhamos uma amizade especial de beijar a bochecha, abraçar, andar de cavalinho ou um aperto na bunda mais... selinho, beijo de língua, quatro paredes e porta fechada, nunca.

- Becky? - Justin me acordou pois eu estava viajando longe. Balancei minha cabeça voltando para o mundo real. - No quê estava pensando?
- Nada. - Menti dando de ombros. Ele me olhou desconfiado mais logo deu de ombros também. - Tchau Lucas. - O abracei e ele fez o toque estranho com Justin de novo e logo saindo andando.
- Você não estava pensando em nada, no quê estava pensando?
- Por que quer tanto saber?
- Ah, esquece. Vem, vamos. - Ele pegou minha mão e me puxou para perto das fãs dele que agora estavam conversando.

Eu achei isso meio estranho, quer dizer, nós estamos no Brasil. Qualquer fã pulava em cima dele o beijava, abraçava e... Elas estavam tão calminhas. O tratavam como se fosse uma celebridade que elas viam todos os dias. Sem gritos. Apenas um `` I LOVE YOU ´´ com sotaque estranho e uma foto linda.
Ok, tinham algumas que choravam mais Justin acalmava elas com um beijo, um abraço e elas diziam que achavam que nunca iria conhece-lo e ele retribuía com um `` Never say Never ´´ e outro diziam que não estava acreditando que estavam que estava o conhecendo e ele dizia `` Believe ´´ me fazendo sorrir espontaneamente.

Sentamos no gramado junto as fãs novamente e começamos a conversar. A toda do Bieber Mania estava ali fazendo perguntas tanto para o Justin como também para mim, Sophia, Chaz, Ryan e Alfredo. Estava tão entretida que deixei meu celular de lado junto com meu iPod. Meu fones estavam pousados em meu pescoço enquanto eu prestava atenção no que a Deise falava.
Conseguia ver de canto os paparazzis `` escondidos ´´. Eles se misturavam no meio das pessoas mais como elas viam os seguranças do Justin não se aproximavam muito.

- Becky, oque é... - Ela começou a rir e eu já imaginava oque ela iria falar. - Jerry? - O lugar foi tomado por gargalhadas de todos, inclusive de Justin.
- Eu não sei. - Disse quando silenciaram um pouco. - Você sabe Justin? - Virei para ele que estava com os olhos lacrimejando de tanto rir. Ele dobrou o indicador e passou em baixo do olho.

- Yay, o brinquedo é seu. Você que tem que saber ué. - Eram tantas risadas que algumas pessoas olhavam para nós com uma cara estranhas. Alfredo, Ryan, Chaz e Sophia deitaram na grama de tanto rir. A Deise estava chorando e tinha outras que reclamavam de dor na barriga mais continuavam rindo. Ok, vou admitir, eu ri bastante também, fui a primeira a parar e respirar fundo.
- Eu... Eu não sei oque é. - Respirei fundo e sem querer mordi o canto do meu lábio enquanto colocava a minha franja atrás da orelha. Então tiveram vários `` Hum, sei ´´. Olhei para Sophia ao meu lado que estava com a câmera dela vendo algumas fotos. Ela abraçou seu corpo pois aparentava estar morrendo de frio.

- Já chega! Vou pegar outra blusa no carro, já volto. - Ela levantou e saiu andando.
- Becky?

- Sim? - Disse sorrindo para Deise que já olhou a pergunta no iPad que segurava e depois me olhou.
- Pode vir aqui?
- Claro. - Levantei e agachei ao seu lado lendo a pergunta que ela apontou. Comecei a rir. - Dá pro gasto. - Disse a fazendo rir. Estava escrito: `` O Justin é bom de cama? ´´
- Sério? Só... `` dá pro gasto? ´´. - Fui até o ouvido dela.
- Não, mentira. É muito bom. - Ela riu. Voltei a sentar ao lado do Justin que me encarava com uma interrogação na cara. Revirei os olhos e voltei a olhar para Deise.
- Becky, é verdade que você tem o cubo de That Power? - Como eles descobriram? Esse era meu segredo, meu tipo... Maior segredo. Eu iria sofrer bullying se soubessem disso.
- Como descobriram? - Olhei para Justin que coçou atrás da orelha e virou a cabeça para o outro lado. Eu decidi não discutir agora. Estávamos na frente de vários fãs e eu não queriam que achassem que aquilo acontecia com muita frequência. Respirei fundo e assenti. - Tenho sim. - Sorri. Vários `` Oh ´´ surgiram. - Inclusive, está no meu carro. - Peguei meu celular e mandei uma mensagem rápida para Sophia pedindo para ela trazer o cubo de ouro que guardava no porta luvas. Poderia vender aquilo por 200.000 mil reais.

- Como você conseguiu? - Um garoto que estava sentado na frente perguntou.
- Eu... Ah... Meu pai conseguiu na verdade.  - Sorri meio tímida. - Eu era muito chata, insisti tanto que ele que ele acabou comprando. Mais eu vou doar para um instituição. Eu não tenho mais porquê para ter ele.
- Justin... no clipe... o cubo era de ouro?

- Sim! Era muito pesado... - Ele abaixou a cabeça. - Eu não conseguia pegar ele.
- Becky, enquanto a Sophia não chega com o cubo deixa eu perguntar uma coisa que em vários sites brasileiros de famosos estão confirmando. - Assenti. - É verdade que você fez uma participação no filme que seu pai está dirigindo?

- Sim. É um garota que vai fazer intercâmbio, vai para a Inglaterra, conhece um cara lá e se apaixona, mais ela tem que voltar para estudar e o garoto tem que ficar. Eles tem uma especie de amor a distância, é bem legal! Logo vou ter que voltar para São Paulo, para terminar de gravar.
- Eu vou assistir esse filme, com certeza. Mais... eu não sabia que você era atriz.
- Eu não sou... quer dizer, não formada. Quando eu tinha 7 anos comecei a fazer teatro, ai com 10 anos eu fiz uma programa infantil durante 1 ano e depois minha mãe não deixou mais eu atuar para que eu dedicasse mais ao estudos. Mas quando eu completei 17 anos eu comecei o filme e vou fazer a faculdade de Artes Cênicas.

- Por que não me contou? - Sorri ironicamente para Justin.
- Pelo mesmo motivo do qual contou para suas fãs que eu tinha um cubo.

- Cheguei... Aí, alguém me ajuda. - Sophia estava segurando o cubo com a maior dificuldade do mundo. Eu sabia que aquele negocio era pesado. Levantei e peguei ele e coloquei em cima de meu braços como se fosse um bebê. Sentei de novo e o coloquei no gramado.
- Pega Justin. - Apontei para o cubo. Ele ficou meio receoso encarando o cubo como se fosse um monstro. Ele pegou o celular dele e tirou uma foto do cubo fazendo todos rirem, inclusive ele.

Ele finalmente decidiu se pegava ou corria. Mais eu achei que ele iria correr. Ele puxou o cubo com certa dificuldade mais quando colocou ele em suas mãos ficou analisando ele durante um tempo. Parecia que ele iria morrer pela cara de força que ele estava fazendo. Ele entregou o cubo para o Gustavo que - por mais que fosse meio magrelo - pegou o cubo numa boa. Ok, no começo ele deixou o braço escorregar algumas vezes mais se equilibrou.

Depois de quase todos verem o cubo eu deixei ele entre minhas pernas. Conversamos mais um pouco e quando eu vi já eram 5 horas da tarde. Algumas pessoas já tinham ido embora depois de se despedir de Justin e outras pareciam que iriam ficar até o final. Quando a Deise começou a perguntar sobre Selena para Justin vi seu tom de impaciência. Estava num tédio chato, lembrei-me de meus fones e os coloquei, mais um eu deixei atrás da minha orelha para poder ouvir oque ele respondia. Nada de interessante, respostas secas, tédio, chata, tédio, controladora, tédio, ciumenta, tédio, ronca, tédio, não chega aos meus pés, té... NÃO PERA!

- O que você disse?
- Disse que não chega aos seus pés, ou melhor, a verdade.
- Como você tem coragem de dizer isso depois de 2 anos de namoro? Se ela é tudo isso porque namoraram durante 2 anos? - Ele se aproximou.
- Já disse a você que homens tem suas necessidades? Pois é, com a minha idade só podia ter sexo fixo. Mais aí eu completei 18 anos e era praticamente independente. Traí ela ela com a Milyn e elas terminou comigo mais era tudo por marketing e eu sabia isso dês de o começo Becky. Selena queria fama, eu não fui o único que estava com ela só por uma coisa. - Ele sussurrou tudo aquilo no meu ouvido com uma voz rouca e sexy fazendo minha intimidade latejar. Ele deixou um beijo molhado no meu pescoço e depois voltou a prestar atenção no que a Deise falava e todos que estavam ali optaram por fingir que aquele clima estranho não surgiu do nada.

Quando eram umas 6 horas anunciei que iria embora. Me despedi de todos, todos mesmo! Desviei o beijo que Justin iria me dar na boca a deixei um beijo rápido no seus rosto fazendo que todos me olhem de boca aberta. Sai de lá com `` Skyscaper ´´ tocando no último volume em meus fones. Não consegui segurar e antes de entrar no carro as lágrimas já estavam escorrendo.



dá play aqui p vocês chorarem rçrçrçrç zoera


Como ele teve coragem de falar aquelas coisas para mim? Depois de tudo oque ele fez... Ele confirmou todos os fatos! Durante meses tentei colocar na minha cabeça que ele não havia traído Selena, que ele não havia fumado maconha, que ele não bebeu sizzurp que é uma bebida fatal... Eu não acredito que ele confirmou tudo aquilo. E ainda por cima, confirmou para mim.
Claro que ele sabe que eu fui ( sou belieber ), até porque fui no meet, no show e no camarim dele! Só porque eu virei namorada dele ele iria achar que eu iria agir diferente? Não iria querer o melhor para ele? Não iria chorar ao saber que ele usou drogas e transou com uma qualquer? Ele só pode ser louco...
Depois de perdoar ele, transar com ele, assumir que estávamos juntos, sofrer as criticas das fãs... Eu finalmente conheci o Justin de verdade? O Justin maconheiro? Eu não acredito. Eu sei que ele achava que as palavras não iria surgir efeito em mim mais surgiu, surgiu muito. Doeu saber aquelas coisas. Eu queria ter me afastado na hora em que ele se aproximou! Eu daria de tudo para voltar no tempo e nunca mais ouvir aquilo, nunca. Sophia disse que eu estava sendo infantil mais... Qualquer fã que o ama realmente choraria, se cortaria ao saber daquilo, e eu não fiz diferente.

Tranquei a porta do quarto e escorreguei por ela até o chão. Me encolhi e desabei totalmente. Socava o chão, bagunçava meus cabelos, puxava eles, soluçava... Gritava implorando por morte. Meus olhos já ardiam e minha cabeça estava explodindo. Levantei e cambaleei acidentalmente para o lado parecendo uma bêbada e bati na parede sem querer. Encontrei a porta do banheiro e acendi a luz fazendo meus olhos fritarem. Me acostumei com a claridade e mexi em todas as gavetas, revirei tudo até achar a lâmina que eu tanto procurava.
Ela era a única que poderia tirar minha dor, talvez me levar para um lugar aonde eu não sofra e nem chore por garotos... Um lugar aonde havia paz diferente desse mundo em que eu vivia hoje. Voltei para aonde eu estava sentada, ou seja, atrás da porta aonde menos tinha luz.

Fechei os olhos com força deixando mais lágrimas caírem enquanto eu deslizava a lamina pelo meu braço o rasgando. Era a primeira que eu fazia aquilo, nunca senti dor maior na minha vida. Abri meus olhos e doeu mais ainda enquanto eu via meu sangue escorrendo. Fechei meus olhos novamente para amenizar a dor que era bem pior quando eu tinha a visão completa daquilo.

Eu só pensava no Justin, no que nos vivemos juntos. Os nossos momentos sozinhos, o sorriso dele, seus olhos viciantes, sua boca rosada... Não importa em que situação eu esteja, eu sempre vou lembrar dele por ele simplesmente ser o amor da minha vida, o cara pelo qual sou apaixonada e sempre vou ser. Mas, por mas que doa admitir... O culpado da minha ação. Dos meus pulsos agora machucado e do meu coração estilhaçado.
Será que acabaria aqui? Agora? Eu, uma lâmina e sangue? Seria assim que eu iria acabar? Eu não conseguia pensar em meus pais, na Sophia... Nos meus amigos. Era o Justin, o Justin era o culpado daquilo. E eu preferia morrer ao admitir isso novamente. Eu nunca me senti tão mal na minha vida. Por que era tão difícil amar sem dor? VIVER sem dor? Por que a vida não podia ser perfeita igual aos filmes e livros? Por que a MINHA vida não podia ser perfeita?
A esse ponto eu só queria meu cargo de fã de volta e nunca ter me apaixonado por ele antes, para não sofrer tudo oque eu sofri do nosso primeiro beijo em diante.

Comecei a me sentir mais fraca, como se estivesse me esgotando, deixando minha alma sair do meu corpo... Meu corpo já estava totalmente mole. Em volta de mim um poça de sangue, minhas lágrimas e fios de meu cabelo que com certeza estavam uma bagunça, mais era com oque eu menos me importava.
Já não sentia meu corpo então larguei a lâmina depois do decimo corte. Estava tremendo, meu corpo gelado... Não havia mais cor na minha pele. Fui tombando minha cabeça devagar para o lado e tudo estava perdendo o foco... Bati minha cabeça em algo e meus olhos se fecharam por completo.

--------------------------------------------------------------------------------------------------
Ufa, terminei. Esse ficou grande hein! E olha que não tem nenhum tipo de gif, só um vídeo. Desculpa a demora e obrigada pelo comentários do capítulo anterior, podem verificar que eu respondi todos com conteúdo, mil beijos e até o próximo.

                                        

14.10.13

Fanfic no Anime

                       Fanfic / Fanfiction de Ariana Grande - Darkness To Vampires


Oi pessoal, aqui é a Lia ( sim, a que escreve Oath ). Bom, eu passei por aqui só para deixar o link da minha fanfic que eu escrevo no AnimeSpirit. Ela é de vampiros, lobisomens, feiticeiros etc... Eu não sou muito boa em escrever fanfic mais eu acho que por enquanto essa é a minha melhor fanfic, essa é a sinopse:

Ariana era uma garota solitária, com poucos amigos... Não ligava para aparência e muito menos com oque os outros achavam dela. Para ela, o mundo era uma droga, ela nunca deveria ter existido e se continuasse assim a existência dela iria acabar em pouco tempo. Foram tantas vezes que a garota tentou se matar que a mãe dela não sabia se a deixava fazer oque quisesse ou a internava em um manicômio.Quando ela dizia que tinha sonhos estranhos, por mais estranho que pareça, eles acreditavam nela e tentavam apoia-la, mais as vezes era loucura acreditar no quê ela falava. A garota também dizia que via vultos pelo quarto e isso dificultava sua convivência com as pessoas com quem ela tentava se identificar mais acidentalmente acabava assustando elas contando de sua vida.Ser solitária não fez muito bem para ela, sua mãe dizia que ela devia se soltar mais, mostrar que ela realmente era... Ah, como ela era ingênua, achava que a filha era a esquisita porque queria. A vida de Ariana ia de mal a pior até que ele chegou... Também meio estranho, quieto e desejado. Mal ela sabia que seus sonhos e pesadelos existiam por causa dele.Quando Ariana percebeu, estava apaixonada por alguém que nem conhecia direito. Sim, era estranho. Mais com ele por perto, ela se sentia segura. O primeiro toque acidental dele foi como se a garota o conhecesse a anos, era inacreditável mais com tudo oque aconteceu ela acreditava em si mesma como se fosse sua própria melhor amiga.Mal sabia ela que ele era seu amor de vidas passadas, também apaixonado por muito mais tempo e ao mesmo tempo com medo de poder machucar a garota de algum jeito. Ela corre perigo e precisa dele para ser salva.

Ficou interessado, quer ler? É só clicar aqui. Um milhão de beijos e até a próxima ><

13.10.13

Oath 25º Capítulo `` Sabe oque ele me disse? ´´


                           


Oi! Eu não sei quando eu estou postando esse capítulo porque eu começo a escrever num dia e termino dois dias depois então... É, eu não sei se hoje é sábado, domingo ou segunda, mais isso não importa. O que importa é que o capítulo está aqui para vocês!

                Oath 25º Capítulo `` Sabe oque ele me disse? ´´

A mãe da Gabriela veio buscar ela junto a seu pai e a encontraram ainda dormindo com o Justin. Então tiveram que tirar ela bem devagarzinho de lá para levar até o carro, o que não foi um problema.
Justin continuou num sono profundo, dormia igual a um bebê, dava até dó de acorda-lo para que ele subisse para o quarto. Aproveitei a deixa e liguei para o Ryan, disse que o Justin iria dormir aqui em casa hoje.
Ele já começou cheio de malicia mais eu disse que não era nada daquilo, simplesmente ele dormiu no sofá. Ryan acabou concordou e disse que amanhã de manhã vai acordar ele na chinelada, eu ri.

Fiquei deitada no outro sofá procurando por algum filme interessante até que parei na Fox, e eu vi que estava passando Never Say Never. Deixei nesse filme mesmo, eu gosto dele, me trás boas lembranças da época em que ele era só um garoto que cantava por diversão.
Keyla apareceu e se despediu, disse que amanhã no horário dela estaria de volta. Eu me despedi dela e ela foi embora.
Continuei vendo o filme até que eu fiquei com sede. Me levantei e fui até a cozinha. Peguei uma caneca e despejei leite, peguei o nescau e uma colher. Mexi os dois e depois coloquei no microondas. Voltei para a sala durante esse meio tempo e percebi Justin se mexendo no sofá. Ele resmungou alguma coisa me fazendo rir baixo e logo depois afundou a cabeça dele nos travesseiros. Ouvi o microondas apitar e voltei. Peguei meu suposto `` chocolate quente ´´ e voltei para a sala.
Peguei no armário que ficava perto da dispensa um manta aconchegante e voltei para o sofá. Me enrolei nela enquanto assistia o filme e bebia meu chocolate.

Vi que já eram 22:00 horas então decidi acordar o Justin para subir. Me sentei no sofá ao lado dele e comecei a cutuca-lo que resmungava coisas sem sentidos me fazendo rir. Aproveitei e peguei meu celular. Abri o gravador de vídeo do Instagram e dei play. Comecei a cutucar o Justin falando para que subíssemos pois estava tarde. Ele não acordava por nada, então eu sussurrei um `` Já sei ´´ ! Corri até a escada ainda gravando e subi no topo dela, quando estava lá gritei:

- Droga! Derrubei tinta no boné do Justin, ele vai me matar! - Esperei alguns segundo até que obtive resposta.
- Ainda que você sabe, é melhor tu correr. - Eu desci vendo ele já sentado no sofá esfregando o rosto. Logo depois colocou seus supras e levantou. Levantei o celular e fui andando para trás. Abri a porta de vidro e ele começou a correr, fiz o mesmo. Me coloquei do outro lado da piscina.
- É brincadeira Justin, só gritei pra acordar você.
- Filha da puta. - Ele começou a correr de novo até mim que fui mais rápida indo até a rua de paralelepípedo aonde tinham as outras casas, e eu vi que mais para o meio tinha uma rodinha de violão.
- Espera aí Justin. - Parei o vídeo e postei ele assim mesmo com a seguinte legenda: `` Como acordar seu namorado ;) ´´ Apoiei minhas mãos no joelhos me abaixando um pouco para recuperar o folego perdido nessa pequena corrida. Levantei minha cabeça vendo Justin que não sorria. - Que é Justin? Eu acordei você para a gente subir, você ia dormir no sofá? Caramba, eu assisti Never Say Never inteiro e metade de Amizade Colorida, tinha que acordar você! - Ele revirou os olhos e depois sorriu.
- Vamos então. - Ele voltou a andar para dentro de casa e eu fui atrás dele. Quando entramos eu tranquei a porta de vidro que era a única aberta, pois era a que mais usávamos. Coloquei minha caneca na pia e desliguei tudo no andar de baixo enquanto Justin subia.

Depois de um tempo subi também e encontrei ele esparramado na minha cama. Fui para o closet e coloquei uma camisola curta de cetim preto com decote de renda branco. Voltei para o quarto e Justin  parecia estar realmente dormindo. Fechei a porta e deitei ao seu lado. Me cobri com o edredom e virei para o outro lado.
Senti quando Justin virou e me abraçou por trás, beijou meu rosto e sussurrou `` Eu amo você ´´. Sorri espontaneamente e logo depois senti o sono chegando, minha pálpebras pesarem e meus olhos fecharem...

[...]

Acordei com uma alegria indescritível, uma vontade absoluta de fazer tudo que eu sempre quis.
No começou eu estranhei aquela disposição pois fui dormir um pouco tarde, mais entendi o porque...

Eu tinha que pensar em algo para dar de aniversário para o Justin. Mais eu não tinha a menor ideia do que dar para uma pessoa que já tem tudo e se não tivesse poderia comprar a qualquer hora ou simplesmente mandar para que comprassem.
Aí fica mais difícil para mim! Eu vou ter que arriscar algumas perguntas discretas só para ter uma ideia do que ele gostaria. Eu conheço Justin o suficiente para saber que ele é um garoto inteligente, claro que ele vai sacar na hora! Eu preciso de ajuda, Sophia, Maísa, Bruna, Eduarda, Letícia, Alfredo, Ryan, Chaz... Nem que eu tenha que ligar para a Pattie, mais eu tinha que dar o presente perfeito, o que série difícil pois não conseguiria fazer um clone do Justin para dar a ele...

Senti quando ele se mexeu. Virei para o outro lado e vi que ele já estava acordado, mais mantive meus olhos fechados para ver se ele tomava alguma iniciativa. Quando virei meu edredom saiu, e eu vi que hoje o dia estava muito frio. Me abracei a Justin de um jeito preguiçoso e me encolhi um pouco. Dei graças quando ele me cobriu e em seguida beijou minha cabeça e ficou afagando meu cabelos. Naquele tempo que eu fiquei com minha cabeça repousada sobre o peito de Justin eu fiquei pensando no presente perfeito...

- Justin?
- Sim?
- O que você gostaria de ganhar de aniversário? - Ele ficou longos minutos em silêncio.
- Eu gostaria de conhecer todas as minhas fãs brasileiras, como se fosse uma convenção cheia delas, cada uma delas... Isso só não séria um presente perfeito como também um sonho realizado. - Eu sorri e imediatamente tive uma ideia. Uma incrível e ótima ideia. Mais eu tenho pouco tempo para bolar tudo, iria precisar da ajuda de todos dos quais conhecia.
Eu fiquei tão feliz que enchi ele de beijos, cada parte de seu rosto cada detalhe e ele não me impedia, ele só ficava descendo e subindo suas mãos nas minhas costas.
Quando parei encarei seus olhos castanhos que estavam brilhantes.
- Você não vai trazer todas as minhas fãs do Brasil e fazer um convenção, vai?
- Talvez eu não consiga... Mais eu vou tentar. - Sorri sapeca.
- Eu amo você. Amo seu jeito de ser, seus olhos, sua boca, sua maneira de falar, sua vontade de fazer todos felizes e mais que tudo amo o quanto você me faz feliz. - Eu sorri.
- Multiplica tudo isso por mil e você não vai nem conseguir chegar perto do tanto que eu amo você. - Beijei seus lábios calmamente pois não queria que aquela momento não acabasse nunca. - Bom, agora eu tenho que levantar. - Sentei na cama e me espreguicei, ele não me impediu. Pelo contrário, ele levantou também.

Fui para o banheiro e fiz minhas higienes matinais, prendi meu cabelo em rabo de cavalo e fui para o meu closet. Fiquei procurando algo descente para esse maldito dia de frio e finalmente me decidi. Quando terminei de me vestir me olhei no espelho e vi que estava legal! Não sabia por onde começaria, eu precisava da ajuda da Sophia.

POV Justin

O resto do dia a Becky estava meia estranha. Falava o necessário comigo e vivia centrada no celular dela que não parava de tocar durante um segundo, aquilo já estava me irritando. O Chaz, o Ryan e o Alfredo ficavam de segredinho com ela que as vezes fazia cara de aprovação e as vezes de reprovação.
Os três também não saiam da merda do celular e quando eu fui pegar o meu a Becky me impediu. Eu não estava entendendo exatamente mais nada. Nem no meu notebook ela deixava eu mexer, Ryan inventou de conversar sobre o Christian. Dizendo que estava com saudade dele da Caitlin e eu me identifiquei com o assunto dizendo que também estava com saudade dos meu amigos. Falei também que queria poder passar o meu aniversário com eles e minha família. Quando disse isso Ryan pareceu ter uma ideia e logo voltou a merda da atenção para o celular e isso já estava ficando chato.
Eu estava me sentindo excluído.

- Gata, me dá um beijo? - Chamei a atenção da Becky que me olhou e sorriu meio tímida. Mais logo se aproximou e me selou devagar. Ela se afastou lambendo os lábios e pegou o notebook dela em cima da mesa de centro, ele já estava aberto. Ela pegou seus fones e plugou nele. Ela se recostou em mim e abriu o mixer de músicas.  Ela começou a fazer um Mash-Up de Boyfriend com Heart Attack e eu só prestava atenção para saber oque ela estava fazendo.
Percebi que ela tamborilava os dedos no notebook ao ritmo da música que era possível ouvir além dos fones pois estava alto.
Algumas vezes ela se irritava consigo mesma por ter feito algo errado e resmungava qualquer coisa que eu não entendia.
Acho que ela tinha terminado o mash porque ela foi para o editor de vídeo e junto a capa de Boyfriend e a capa de Heart Attack. Colocou uns efeito de inicio desfocados para o vídeo que iam melhorando enquanto encachava na tela. Ela colocou a música e ouviu umas três vezes, e quando ela viu oque eu já tinha percebi a muito tempo gritou:

- Desafio feito. - Eu não entendi no começo mais ela explicou. - No twitter, uma garota me desafiou a fazer um mashup de duas músicas que eu gostava muito, eu só... fiz... - Eu assenti orgulhoso de mim mesmo por ser a voz predileta da Becky. Ela postou o vídeo com a tag #DesafioFeito e o user da tal garota.
- Quer ouvir? - Ela tirou os fones e eu os peguei e em seguida coloquei em mim.


[/* eu amo esse mash-up but não fui eu quem fiz ;) *\]

O mash ficou incrível, nem dava para acreditar que a Becky... Quer dizer, uma garota o fez. Enquanto ouvia fiquei pensando em uma coisa...
A Becky é linda, tem uma boa família, é educada, humilde, bondosa, gostosa, sabe cantar, tocar violão, guitarra, baixo e piano. Também sabe mexer com mixers... Eu tenho é sorte de ter essa garota, sem mais.
Fiquei alguns segundos pensando na merda que eu fiz a 2 meses atrás... Trair ela? Só por causa da bebida mesmo, pois se eu estivesse em sã consciência nunca teria feito aquilo.

Olhei para Ryan que se mantinha focado no celular igual aos outros dois, pelo menos a Becky já havia cessado. Coloquei seus notebook de volta na mesa de vidro depois que terminei de ouvir e a puxei fazendo com que deitasse em meu colo.
Ela me encarava com aqueles olhinhos brilhantes e mordendo levemente o canto da boca, eu adorava aquilo. Me inclinei um pouco e beijei ela que segurou meu rosto para aprofundar mais o beijo. Pedi passagem e ela cedeu sem exitar, fiquei com vontade de rir.

- E aí casal 20, dá para parar com a pegação? - Becky se afastou meio tímida e eu quase joguei o meu celular no Alfredo.
- Cara, se você não tem namorada não atazana minha vida. 

- Tédio maldito. - Becky se virou para a TV que estava desligada, mais ela a ligou. E estava na Sony, estava passando Resident Evil. - Odeio esse filme. - Ela disse erguendo o controle e mudando de canal, na Disney.
- Você só pode estar de zoa com a minha cara né? - Disse.
- Está passando Feiticeiro de Waverly Place, me deixa. - Eu olhei para a TV e revirei os olhos vendo a Selena. Tudo oque eu menos queria era ver a cara daquela sonsa aproveitadora de fama. Peguei o controle da mão da Becky e fui mudando os canais. Eu pensei que ela iria me repreender mais ela ficou quieta. 
Até pensei que Becky estava mal, com dor ou algo assim mais ela aparentava estar bem, só silenciosa.
De vez em quando ela checava seu celular e respondia a mensagens rapidamente e depois volta  prestar atenção na TV como se não tivesse feito nada.

Eu só queria saber oque tanto ela fazia naquela droga de celular que a impedia de estar gemendo meu nome agora. 
Será que ela iria realmente fazer um convenção com todas as minhas fãs do Brasil? Eu julgaria isso impossível. Quer dizer, como as fãs viriam de outros estados? Eu não sei exatamente do que a Becky é capaz mais, sei que se ninguém a impedir ela iria ir longe demais e parecia que Ryan, Alfredo e Chaz estavam aprontando junto com ela. Tenho certeza que dessa vez Becky vai me surpreender como ela sempre faz...

POV Becky

Estava praticamente tudo pronto para o dia do aniversário do Justin. Meus pais conseguiram alugar 2 ônibus que saíram dos 5 estados mais populosos do Brasil até o Rio ( ou seja, São Paulo, Minas Gerais, Bahia, Rio Grande do sul e Ceará ). Eu consegui alugar uma chácara seguida do buffet e jogo de luzes com salão de festas.
Conversei com o Gabriel e ele vai contratar o Trio YEAH, o Pollo com o Ivo, a Manu Gavassi e outros...
Criei várias parcerias com sites brasileiros do Justin e todos fizeram uma postagem com o seguinte conteúdo:

A Becky atual namorada de Justin Bieber alugou uma chácara no Rio de Janeiro para fazer a festa do cantor. Mal ele sabe que ela também alugou mais 2 ônibus para para os seguintes estados:

São Paulo
Minas Gerais
Bahia
Rio Grande do Sul
Ceará

Se você é Belieber e mora em algum desse estados e quer ir para a festa do rei do swag preencha o formulário abaixo. 
Todas as fãs que colocarem os dados e responderem as perguntas corretamente receberam um email com a confirmação e por correio o convite e a passagem para o ônibus junto com o lugar de embarque. Não terão que pagar exatamente nada. Esse é um presente da Becky para todas as fãs mais tem um porém... Se 3 das 5 perguntas que segue o formulário estiverem erradas o convite não será enviado pois só as verdadeiras fãs irão.

A Becky fez questão de deixar toda a equipe de todos os sites brasileiros do Justin cobrir a festa e dar uma entrevista exclusiva com o cantor. Ela também disse o seguinte:

Hoje de manhã perguntei ao Justin oque ele gostaria de ganhar de presente de aniversário e ele disse: `` Eu gostaria de conhecer todas as minhas fãs brasileiras, como se fosse uma convenção cheia delas, cada uma delas... Isso só não séria um presente perfeito como também um sonho realizado. ´´ Então eu decidi convocar os sites brasileiros do Justin para anunciara a festa. Eu sei que nem todas conseguiram ir mais pelo menos eu tentei... Não quero que fiquem chateados as fãs de estados mais distantes, mais eu só convoquei os mais próximos pois seria mais fácil de chegar aqui.

Depois que recebi uma última mensagem da minha mãe dizendo que conseguiu alugar dois hotéis com mais de 300 quartos perto da chácara para hospedar as fãs antes da viagem de volta aonde elas poderiam tomar banho e comer. 
Eu estava tão cansada, decidi ir dormir. Mais antes Ryan me disse uma coisa da qual eu fiquei estatica. E se ele conseguisse? Eu iria ficar doida! Sabe oque ele me disse? Ele disse que vai tentar trazer PattieJeremyJazzyJaxonChristian, Caitlin e Scotter para o Brasil.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------
Aqui estou eu, agora são exatamente 03:27 da manhã de segunda feira. Falei que iria postar o capítulo segunda de madruga e aqui está. Espero que gostem ok? Eu acho que ele ficou um pouco pequenininho mais eu vou prometo caprichar no próximo, comentem por favor, beijos.

                                







12.10.13

Oath 24º Capítulo `` Nunca na minha vida pensei que iria esquecer ´´


                                                       

Oi! Antes que me xinguem, eu já vou assumindo: EU SEI QUE O CAPÍTULO ANTERIOR ESTAVA UMA MERDA mais vou tentar melhorar um pouco nesse. É que eu não vejo a necessidade de muito suspense em fanfics, você tem que ler porque gosta e não porque o final é tão legal a ponto de não conseguir esperar, poxa.

Espero que gostem desse capítulo.

                  Oath 24º Capítulo `` Nunca na minha vida pensei que iria esquecer ´´

Acordei no dia seguinte com alguém fazendo carinho no meu rosto. Abri meu olhos devagar por conta da claridade e vi Justin sorrindo.

- O que você faz aqui? - Disse enquanto coçava meus olhos.
- Eu estava com saudades. - Ele deitou ao meu lado.
- De mim ou de sexo? - Perguntei com um tom sínico
- Dois dois.  - Aproveitei a deixa e sentei em cima dele que segurou minha cintura. Me inclinei até a gaveta do criado mudo e tirei dela um par de algemas. Prendi Justin na cama antes mesmo que ele pudesse segurar meus pulsos.
- Sabe oque dizem Justin. - Sussurrei no ouvido dele. - Dizem que nossos sentidos ficam mais puros quando nos não conseguimos ver nada. - Depois disso vendei os olhos dele com a minha bandana que estava enrolada em cima do criado mudo.
- Isso é tortura, eu não concordo com isso. Cada a igualdade dessa sociedade? - Eu ri.
- Se você acha que isso é tortura você não viu nada ainda. - Abri o botão da calça dele e o ziper, tirei ela e fiquei massageando sem membro ereto por cima da boxer. Enquanto eu ia massageando o membro de Justin ficava mais duro ainda, iria rasgar a boxer se continuasse assim. Só que eu finalmente o livrei dela.

Justin soltou um gemido abafado seguido de um sorriso malicioso.

- Quando eu sair daqui... Você vai estar fodida. - Ele disse com um pouco de dificuldade por conta dos movimentos de vai em vem que eu vazia com a boca no membro dele.
- Ah, qual é Justin... - Esfreguei o polegar no ponta do membro dele o fazendo gemer mais. - Pensei que iriamos foder juntos.
- Se você me soltar... Quem sabe?
- Quem sabe nada. - Arranquei minha roupas só ficando de calcinha. Mas na hora que eu ia voltar a chupar o membro do Justin meu celular vibrou. - Ah não, isso é brincadeira. - Me estiquei até o travesseiro porque lá estava o celular, em cima da cabeça do Justin. Deixei cada braço de uma lado da cabeça do Justin, e nem percebi que meus seios estava na cara dele, então ele os mordeu, beijou e chupou me fazendo gemer um pouco.

Aproveitei que ainda estava com o celular na mão e twittei:

`` Aí, quando está tudo dando certo a @sophiaabrahao me manda uma mensagem avisando que não dormiu em cada hoje, como se eu não tivesse percebido ´´

Eu não percebi que tinha deixado uma mão do Justin solta. Estava tão entretida no twitter, que tomei um susto quando percebi que ele se soltou.  A algema não era de chave, era um mecanismo simples de botão. Quer dizer, vai que eu esqueço onde deixei a chave? Eu prefiro meu vezes esse botão!

Ele me agarrou ficando por cima de mim e arrancando minha última peça, a calcinha. Me estimulou com um certo desespero mais eu gostei, me fez gemer muito alto. Ele encachou dois dedos dele dentro de mim fazendo movimentos rápidos e eu meio que contorcia minha barriga na cama.
Quando cheguei ao meu orgasmo ele levou - novamente - os dedos a boca e logo depois se posicionou na minha entrada, mais em vez de acabar com aquilo de uma vez só, ele ficou roçando seu glande no meu clitóris me fazendo gemer mais ainda. Ele escorreu o membro dele pela minha intimidade e finalmente entrou dentro de mim me fazendo dar um impulso leve para trás.
Começou a se movimentar devagar porque eu tinha certeza que ele sabia que podia me machucar. Ele finalmente encontrou meus lábios e deu um beijo feroz de tirar o folego. Comecei a arranhar as costas dele sem dó sem piedade, tinha total certeza que estava fazendo um belo estrago.

Todos o prazer que ele estava me proporcionando naquele momento não era nem metade do que só um beijo dele me dava. Eu queria ficar ali para sempre, só saboreando aquela ar de sexo e os beijos dele.
Como um ser um humano consegue amar tanto o outro? Até hoje eu não tenho a resposta para isso, só sei que eu o amo muito e sou completamente apaixonada.

Ele foi diminuindo os movimentos, provavelmente estava chegando lá e eu também estava quer dizer, cheguei. Senti meu liquido escorrendo e quando eu menos esperava o liquido de Justin me preencheu de uma forma esplendida. Ele soltou um leve gemido e depois deitou ao meu lado.

- Se prepara que nosso filho está chegando. - Ele disse me fazendo rir.
- Estou no meu período fértil.
- Ah. - Ficamos em silêncio por um longo tempo. Até nossas respirações voltarem ao normal. - Temos que buscar a Gabi né? - Eu assenti. - Você quer levar ela aonde?
- Acho melhor trazer ela aqui em casa, sei lá.
- Por mim tudo bem. Eu nem estava afim de ir para a praia mesmo, e além do mais aqui tem piscina. - Ele levantou colocando a boxer, em seguida seu short. Eu me enrolei no lençol e fui para o banheiro. Tomei um longo e delicioso banho, mais não lavei meu cabelo.
Quando sai não encontrei Justin no quarto então fui para o closet e me escolhi uma roupa simples, não estava afim de colocar lente de contato em tão colocou meu óculo de grau mesmo. Também fiz uma maquiagem básica, só um lápis e rímel...

Desci as escadas e Justin estava todo esticado no sofá provavelmente com tédio e me esperando. Fui até ele e deitei em cima dele que me empurrou da mesma maneira que eu havia feito no sitio.

- Justin caralho. - Disse me levantando enquanto ele se matava de tanto rir.
- Eu disse que iria ter volta. - Eu revirei os olhos e o puxei para garagem.
- Hoje eu dirijo querido. - Peguei a chave da Range e abri o portão.
- Não gosto de ficar no banco do passageiro.
- Então vai atrás. - Ele bufou alto e entrou no banco da passageiro. Entrei no carro logo em seguida

Dirigi até a Capricho que era mais ou menos 10 minutos da minha casa. Percebi que Justin ficava me observando enquanto dirigia mais eu nem liguei. Com certeza é por causa dos óculos eu sei que não fico bem de óculos mais eu tenho que fazer novas lentes, as antigas já estão me incomodando.
Eu desci a rampa do estacionamento interno e estacionei na minha vaga que era praticamente do lado do elevador. Sai do carro e quando ouvi o barulho da porta do Justin batendo ativei o alarme.

- Já avisando que... - Apertei o botão do elevador. - Como hoje é sábado tem várias garotas e garotos para a sessão de fotos da revista e do site e a maioria deles não gosta de você por que acham... - Ri.
- Acham que? - Ela levantou um sobrancelha.
- Que você é gay. - Disse rápido. - Pronto, falei.
- Por que? Se eu tenha um namorada gostosa e sou sou gostoso? - Eu ri.
- Por causa de Baby. Aquela música arruinou sua imagem para os haters, eles tiveram mais motivos para falar mal.
- Mais eu lancei Baby em 2009!
- Para você ver como eles guardam as piores. - Ele riu e o elevador abriu. Nos entramos e eu apertei o botão do térreo aonde era a recepção. Ele ficou tentando me agarrar no elevador e fazendo cocegas. - Justin, está vendo aquela câmera? - Ele assentiu. - Então, ela pega tudo oque acontece aqui, então se você puder parar de me agarrar eu agradeço!
- Ai como você está chata hoje. - Ele virou para o espelho e tirou o boné dele olhando o cabelo mais logo colocou o boné de novo, nem sequer tirou os óculos. Revirei os olhos. O elevador finalmente abriu e como eu já não precisava mais de crachá passei reto pelo balcão da recepção. Fui até a escada rolante junto com o Justin.
- O andar de cima e a ala de moda e fotografia, então vê se não se estressa caso encham seu saco. - Ele assentiu com tédio. Quando chegamos ao andar de cima Justin entrelaçou minha mão na dele e eu sorri levemente. Fui até os armários onde provavelmente a Clara estaria. Andei um pouco até que ouvi:

- Biber! Biber! - Justin virou e lá estava a Gabriela. Ele abaixou e ela correu até ele que pegou ela no colo e a encheu de beijos. Ela estava toda animada e o Justin não parava de sorrir. Me virei e vi Clara, a cumprimentei. Ela falou que eu ficava linda de óculos e eu falei que eu precisava das minhas lentes o mais rápido possível.
- Ei, você sabe se o Diogo veio hoje?

- Sim, eu acabei de ver ele. Acho que foi para a sessão agora.
- Ah, não vou interromper a sessão dele, segunda nós conversamos... - Olhei para Justin que não parava de brincar com a Gabriela que eu percebi que estava com uma mochilinha pequenas nas costas.
- Vocês vão levar a Gabi aonde?
- Vamos ficar em casa mesmo. Eu e Justin não queremos ir a praia e se fossemos iria ter muito aglomeração por conta do Justin... Do jeito que essa povo é vão falar que ela é nossa filha! - Ela riu.
- Bom, você quer que eu a busque na sua casa?
- Por mim não! Eu trago ela de volta a hora que você quiser, mais se você quiser buscar não vou impedir você... Eu moro a apenas alguns minutos daqui.
- Ah, tudo bem. Então eu busco a Gabriela... GABRIELA! - Eu virei e Justin estava dando selinhos nela. Eu comecei a rir descontroladamente. Eu não aguentei e peguei meu celular gravei aquilo.
- JUSTIN, PARA DE BOLINAR A MENINA!

- Desculpa mô, é que eu estou apaixonado.
- No para Biber! - Eu comecei a rir mais ainda. Postei o vídeo no Instagram com a seguinte legenda: `` Garoto, nem criança você deixa escapar! ´´ Dei o meu número e o meu endereço para a mãe dela, conversamos mais um pouco. Pensei que ela iria dar um lista gigante de recomendações para ela apenas disse que a Gabriela dorme de tarde. Ela era uma fofa e o Justin - por mais que não conseguisse se comunicar muito bem com ela - amou ela. Nos despedimos. Quando já estávamos indo em direção a escada rolante eu ouvi alguém chamar pelo meu nome.

- Becky! - Virei me deparando com o grupinho do Tales. Revirei os olhos.
- O que foi Tales?
- Nossa, nossa hein. Cada dia mais gostosa... Que dia vou ter esse corpinho na minha cama?
- Deixa eu ver... - Coloquei a mão na cintura. - Nunca.
- Você diz isso agora.
- Olha, eu nem vou discutir com você porque eu fiquei sabendo que o Gabriel está aqui hoje, certo? - Ele mudou a expressão sarcástica dele para uma expressão séria. - Certo. Então, ele não vai gostar de saber que o Tales está dando em cima de mim. - Tombei a cabeça para o lado. - De novo.

- E nem eu. - Percebi a presença do Justin atrás de mim. Eu pensei que ele estava mexendo no celular e quando ele faz isso se perde do mundo, mas, para meu azar dessa vez ele não se perdeu.
- Quem é o guri? - Tales perguntou. Justin ficou mais alguns segundo digitando no celular mais logo depois levantou a cabeça revelando aquela cara de sofrido dele, me dava um raiva! Para completar estava de óculos, então parecia que ele iria matar o Tales a qualquer minutos.
- Você estava dizendo? - A Gabriela abraçou o pescoço do Justin e afundo a cabeça dela lá também.
- Nada não Biba.

- Olha aqui Tales, a única `` Biba ´´ que tem aqui é você. Com esse seu cabelinho de gay e essa cara toda cheia de espinha, então você  respeita meu namorado porque você não é exatamente ninguém para falar mais dele! Vai passar um acnase nessa cara e você vem aqui chamar alguém de Biba.
- Olha aqui garota... - Ele foi apontar o dedo na minha cara mais para minha surpresa Gabriel apareceu magicamente e abaixou o braço dele.

- Você dizia? - Ele falou para o Tales que se afastou e virou as costas junto com as vadias dele, quando vi já tinha sumido do corredor. - Hoje é seu dia de folga Becky, oque faz aqui?
- Vim buscar a Gabi. O Justin se apaixonou por ela.
- Nossa, eu nem vi a Gabi. - ele se aproximou dela. - Gabi? Lembra de mim?

- Tio Gablieu.
- É quase isso. - Justin riu. - Pelo menos o nome do Justin você sabe pronunciar?
- Justlin Dlew Biber.
- E o meu que é mais fácil você não consegue? - Ela negou com a cabeça. Percebi que ele carregava um iPad na mão e o mesmo vibrou. Ele olhou e disse que tinha que ir deixando eu e o Justin nos entre-olhando. Fomos para a escada rolante enquanto Justin continuava brincando com a Gabriela que não saia do colo dele por nada, e foi ai que eu vi que a Gabriela é muito parecida com a Jazzy e talvez seja por isso que ele simpatizou tanto com ela, ele está com saudade da família dele...

No caminho para casa o Justin dirigiu depois de tanto insistir. A Gabriela pareceu bem concentrada no caminho. Olhava pela janela e quase não falou nada durante o caminho. Com certeza, estava estranhando, é só uma criancinha. Mais tenho certeza que Justin vai deixa-la a vontade. Ele gostou tanto dela e ela gostou tanto dele. Eu sinto que estou sobrando.

Quando chegamos em casa eu subi com a Gabriela e ajudei ela a colocar seu mâio. Coloquei um biquíni, e um short. Aproveitei que vi meu cardigan longo e coloquei também para cobrir minha barriga mesmo que ele seja todo perfurado. Terminei e me olhei no espelho, estava adequada.
Depois de passar protetor em mim e nada Gabriela eu coloquei meus óculos de sol e prendi meu cabelo num rabo de cavalo. Abri a porta para a Gabriela e ela saiu, provavelmente já deve ter gravado o caminho. Eu não iria entrar na piscina agora, então peguei meu iPod e meus headphones para ficar ouvindo música.
Desci as escadas e já pude ouvir barulho de água e risadas vindo da piscina. Fui até a porta de vidro e sai vendo Justin brincar com a Gabriela que estava dentro de uma boia rosa que ficava dentro da piscina.
Ele ficava empurrando ela que nadava de volta com um certa dificuldade o fazendo rir.

- Que maldade Justin. - Disse o fazendo rir mais. Me deitei em uma espreguiçadeira coberta por um estofado aconchegante, com um travesseiro na altura do pescoço embutido. Tirei as havaianas e dobrei o joelho levantando minha perna. Coloquei finalmente os fones e os pluguei no iPod.
Coloquei o `` DEMI ´´ para tocar e fiquei cantarolando baixinho enquanto dava uma checada no twitter e no Instagram.
Depois de um tempo o Justin saiu da piscina e se secou, em seguida deitou na espreguiçadeira ao meu lado, na qual ficava ao lado da mesa aonde tinham alguns copos com refrigerante, com certeza ela tinha pedido para a Keyla. Fiquei olhando fixamente para o muro que separava a minha casa do mato que tinha trás, em cima tinha uma cerca elétrica e eu pude ver um movimento em uma árvore de lá. Em seguida uma câmera apareceu. Cutuquei o Justin e apontei para lá, só que bem na hora a pessoa que a segurava abaixou ela.

- O que? - Ele perguntou.
- Tem um paparazzi ali. - Ele olhou para o lugar aonde eu apontava e depois deu de ombros.
- Deixa ué.
- Nossa, nossa o garoto que arrumou briga com o paparazzi nem está ligando para isso?
- Primeiro, não sou um garoto, sou um homem. E segundo, eu não quero estragar minha tarde.
- Ok então... - Fiquei um tempo calada. - Homem. - Debochei baixinho e depois ri sozinha. Ele nem se importou. Pegou o celular dele e ficou no twitter respondendo a algumas fãs, seguindo e twittando. Aproveitou e tirou uma foto que eu logo vi no Instagram.

                                                 

- Que cara de sofrido. - Comentei o fazendo rir. Quando começou a tocar Rock N Roll da Avril Lavigne depois de um longo tempo, pois tocou todo o `` DEMI ´´ eu não resisti e comecei a cantar, aquela música era simplesmente perfeita.
- Você canta bem. - Ela falou tirando um fone da minha orelha.
- Não me iluda Bieber. - Disse recolocando o fone que novamente foi tirado, mais dessa vez meu iPod foi junto?
- Vamos ir para a piscina, agora. - Eu revirei os olhos e tirei meu cardigan seguido de meu short. Desfiz o rabo de cavalo e fiz um coque. Sentei primeiro na borda sorrindo espontaneamente quando Justin pulou na piscina fazendo Gabriela rir em seguida tentar nadar até ele. Me coloquei totalmente dentro da piscina que não estava lá muito gelada.

Ficamos brincando na piscina praticamente a tarde inteira. Eu até esqueci do tal paparazzi que estava subindo na árvore, era o de menos.
A Gabriela finalmente entendeu que o Justin fala outra língua e que ela não iria entender ele, então quando ele iam conversar eu tinha que ficar de plantão.
Quando já era umas 16:00 horas percebi que a Gabriela já estava com frio então falei para o Justin que iria dar banho nela e tomar banho também e ele concordou dizendo que iria fazer o mesmo, pois a ferrari estava na minha garagem, e lá dentro tinha um bolsa dele com roupas.

Subi com a Gabriela e abri sua mochilha que estava em cima da minha cama. Tirei de lá uma calça legging e uma bata rosa junto com um par de sapatilhas e a roupa intima dela.
Ela disse que já sabia tomar banho sozinha então dei a ela o sabonete e só tive que ir lá para a ajudar com o shampoo.
Quando ela saiu eu vesti ela e sequei seu cabelo com a toalha, em seguida o penteei. Em quanto isso pude ter a visão perfeita de seus olhinhos azuis, que garota linda! Além de ser linda, ela ficava quietinha enquanto eu arrumava ela, parecia bem concentrada no meu quarto.

- Eu gotu de vucê Becky. - Ela disse quando eu terminei.
- Eu também gosto de você meu amor. - Eu a abracei e ficamos uns minutinhos assim. - A Keyla deve estar servindo o lanche da tarde agora, você sabe aonde é a cozinha? - Ela assentiu. - Acho que a princesa do Justin vai demorar um pouco ainda. - Ela riu.
- Becky, é verdade que o Biber passa babyliss no tupetinho dele? - Eu ri.
- Sim, é verdade. - Era verdade mesmo. O topete deve ficava enroladinho na frente, e eu já peguei ele passando o babyliss nas pontas do topete dele, eu ri tanto que fiquei sem ar. - Então, você vai descer?
- Vou sim. - Ela pulou da cama. - Num demora Becky.
- Pode deixar. - Ela saiu do quarto. Fui para o banheiro e me despi. Deixei os dois biquínis molhados na pia e meu cardigan e o short eu guardei.

Tomei um banho razoavelmente demorado, lavei meu cabelo para tirar o cloro e hidratei uma vez. Sai e me sequei. Ainda enrolada na toalha peguei meu secador e sequei meu cabelo que secou rapidinho, aproveitei a presença da escova em cima da pia e passei algumas vezes. Fui para o closet e coloquei uma roupa simples, não iria sair mesmo.
Desci as escadas depois de sair do quarto e encontrei Justin e Gabriela dormindo no sofá.
Eu demorei tanto assim? Pensei.
Olhei para o lado e vi Keyla que observava os dois com um sorriso de canto.

- Eles comeram e depois deitaram, estavam assistindo desenho mais quando eu vi que eles estavam dormindo desliguei a TV. - Eu assenti e agradeci. Peguei meu celular e tirei um foto para o Instagram.

                            
                                            Dois anjinhos... É demais para mim.

Eu aproveitei que as coisas continuavam na mesa e comi um sanduíche feito por mim, ou seja, engordei bastante... Fiquei observando eles mais um tempo, e com isso ia mudando de pensamento várias vezes até que cheguei a um que nunca na minha vida pensei que iria esquecer...
Olhei meu celular para ver se era aquilo mesmo e me assustei. Como o tempo passa rápido, eu não acredito que eu esqueci! Será que ele está chateado comigo por causa disso? Ele não pode ficar, mais eu preciso de ajuda para escolher algo, não sei oque dar...

Nem dá para acreditar que falta uma semana para o aniversario do Justin!

-------------------------------------------------------------------------------------------------
Oi pessoal. Desculpa pelo demora. É que eu estava sem criatividade desde hoje de manhã. Mais eu finalmente consegui postar. 
O capítulo ficou grandinho, eu sei. Vou começar a escrever o próximo agorinha mesmo e até amanhã a noite ou segunda de madrugada eu já consigo postar, espero que tenha comentários, beijos.

                              

 

©código base por Ana .