Image Map

29.9.13

Oath 21º Capítulo - `` Apaixonada ´´


                   


Oi! Bom aqui está o capítulo, provavelmente pequeno... Então não me xinguem. Queria dizer para clicarem aqui as meninas que querem postar no meu blog e desejo boa sorte para todos. Vamos ao capítulo :)

                  Oath 21º Capítulo - `` Apaixonada ´´

Estava já a um tempo no quarto. Quase levantando para ir no banheiro e cortar todo o meu braço, descontar tudo em mim mesma afinal, eu causei tudo certo? Minhas pálpebras ardiam de tanto chorar, acho que nunca chorei tanto antes. Meu coração doía em pensar que 43 milhões de pessoas me odiavam porque eu estava amando.

Quando eu ia tirar a coberta para levantar a porta do quarto abriu. Eu aproveitei a escuridão e cobri minha cabeça, tentei fingir que estava dormindo mais só de ouvir aquela voz desabei de novo.

- Becky? Becky você está chorando? - Senti quando ele invadiu a cama. Ele puxou o meu edredom então eu coloquei meu rosto entre as mãos. Senti quando ele deitou ao meu lado e tirou minhas mãos do meu rosto devagar. - Por que você está chorando? - Ele me abraçou e eu não contive as lágrimas. - Me fala. - Ele sussurrou. Deitei esse peito ficando mais calma e disse:

- O que você faria se 43 milhões de pessoas odiassem você?
- Por que você está falando isso?
- Por que é a verdade. - Fechei meus olhos com força e comprimi meus lábios fazendo com que mais lágrimas escorressem. Vi quando ele pegou seu celular do bolso e pesquisou meu user fazendo com que aparecessem mais e mais tweets de pessoas com ódio de mim...
- Não, por favor Becky não fica assim! - Ele se ajoelhou na cama e me colocou de frente para ele mais eu fiquei olhando para o chão. - Rebecca, olha para mim. - Eu subi um pouco o olhar e ele segurou meu rosto fazendo com que eu olhasse totalmente para ele. - Isso vai mudar. Você não é nada do que eles falam, você sabe disso, não fica assim! Talvez você não seja perfeita para eles, mais você é perfeita para mim e é isso que importa. - Ele ficou olhando para mim durante um tempo. - Becky, eu amo minhas fãs. Mais elas não podem escolher com quem eu devo ficar. A única pessoa que cuida da minha vida amorosa sou eu. - Ele me abraçou forte e eu olhei de relance para o lado. Vi uma das câmeras da Sophia. 
- O que a câmera da Sophia está fazendo aqui?
- Ah, eu simpatizei com aquele papo de `` gravar os nossos dias aqui ´´ e acabei subindo com ela. Deve estar ligada. - Ri um pouco. Ele me afastou um pouco dele e fez um bico perfeito pedindo beijo. Eu não resisti e dei um selinho rápido. Voltei a deitar na cama e ele deitou ao meu lado ficando de frente para mim. Colocou meu cabelo atrás da orelha e secou as poucas lágrimas que sobraram. - Não está com fome? - Neguei com a cabeça. Na verdade, nem minha barriga eu sentia mais, não sei se estava ou não com fome. Mais alguma coisa ficava repetindo na minha cabeça que se eu comesse iria vomitar. Comecei a passar minhas mãos pelo braço tatuado dele me lembrando quando só havia a palavra `` Believe ´´ ali. Que saudade daquele tempo... - No que está pensando? - Balancei minha cabeça voltando para a realidade.
- Lembrando do tempo em que você tinha essa daqui... - Passei meu dedo por cima da palavra `` Believe ´´.
- Que tempo sem graça. - Ele riu e eu sorri.
- Para mim foi o melhor... Mais todas as outras são lindas. - Deslizei minha mão pelo resto do braço dele o fazendo arrepiar. - Quem iria querer um braço desse... - Apertei os músculos dele. - Sem nenhum tatuagem para dar um charme?
- Em falar nisso... - Ele desceu a mão dele para o meu umbigo até o elástico da minha calça. - Olha oque eu descobri aqui. - Ele revelou a tatuagem que tinha na minha cintura que nem meus pais sabiam. Ela era praticamente minuscula, só uma coroa pequena.
- Como você viu?
- Becky, você tomou banho comigo. A pergunta seria oque eu não vi. - Eu corei imediatamente e então ele me deu um selinho.
- Posso te contar uma coisas constrangedoras? Mais promete que você não vai rir.
- Tá, eu prometo.
- Quando lançou o clipe de That Power eu fiquei pedindo para a minha mãe aquele cubo dourado e ela comprou uma replica idêntica. - Ele começou a rir descontroladamente e eu olhei seria para ele. - Claro que eu sabia que não iria sair um Justin de lá mais... sei lá.
- Hum, continua.
- Quando eu vi essa foto... - Peguei meu celular e mostrei a foto dele no jogo do Miame Heat com o Lil Za e o Lil Twist.

                                              

- Pedi para meu pai fazer um poster bem grande dela. Coloquei em uma parede do meu quarto e beijava todos os dias. - Falei rindo e ele já gargalhava alto. - Só que ai meu pai colocou o papel de parede por cima.
- Olha o lado bom, agora você não precisa beijar mais a parde. - Eu fui um pouco mais para cima e nós dois ficamos na mesma posição em que acordamos. Fiquei brincando com o brinco que agora era dourado na orelha dele. E ele ficou cutucando minha tatuagem como se tivesse algo contra ela. 
- Justin, porque elas não gostam de mim? - Ele respirou fundo.
- Por que elas não conhecem você como eu conheço. - Ele me abraçou e colocou a perna dele em cima das minhas. Procurei pelo controle do quarto e quando achei desliguei a luz, acordei cedo e estava morrendo de sono. Ouvi quando Justin tirou seu supras e deixou cair no chão. Ele me abraçou mais forte e acabei dormindo rápido.

[...]

Acordei com as mãos do Justin me envolvendo em um abraço.

                               

Tentei me soltar mais ele apertou mais forte. Virei um pouco e vi que ele estava dormindo mesmo. Fiz cocegas em sua barriga e ele virou para o outro lado me liberando. Sentei na cama me espreguiçando e olhei para frente. Vi a câmera e levantei. Fui até ela e sentei ao ela estava. Vi que ela hibernou a tela mais continuava gravando. Conectei-a ao meu notebook e fui no editor de vídeos. Cortei toda a parte da madrugada em que dormimos e deixei só até apagar a luz. Como eu sabia a senha do canal da Sophia, eu postei o vídeo colocando como título de que Sophia sempre colocava mais ela dividia em partes, então ficou: Carnaval no Sítio Part 5.  A câmera não tinha só gravado eu e Justin, quando estava lá em baixo eu vi eles brincando de quem conseguia jogar a comida para cima e pegar com a boca. Vi quando Justin se perdia nos pensamentos dele voltando para realidade quando Chaz dava um tapa de brincadeira na cabeça dele e eu ficando querendo saber no que tanto ele pensava...

Senti uma dor na cintura e olhei para ver o que era. Estava toda marcada pois dormi de calça jeans. Massageei um pouco para ver se parava de doer mais não parou. Então tirei minhas roupas e fui para o banheiro. Tomei banho mais como lavei o cabelo ontem não o lavei novamente, caso entrasse na piscina hoje de novo eu lavava. Terminei o banho e voltei para o quarto enrolada na toalha, Justin não se encontrava mais lá. Aproveitei e fui para o closet e me vesti. Deixei meu cabelo solto pois estava ondulado e ficava mais bonito assim. Fiz um maquiagem leve, só exagerei no delineador do jeito que eu gosto. Passei um gloss cor da boca mesmo e fiquei mais uns minutos dentro do quarto vendo os tweets maldosos ao meu respeito e coisas que eu nunca fiz inventadas. Meus olhos marejaram mais eu engoli o choro olhando para cima.

- Becky? - Justin me fez olhar para a porta e sem querer uma lágrimas escorreu. Limpei rápido e tentei disfarçar olhando para o celular. Duas lágrimas caíram quando eu abaixei minha cabeça e então Justin me abraçou. Ele roubou o celular da minha mão durante o abraço e logo depois foi rolando a página para baixo. - Eu duvido você ficar o resto dos dias aqui sem chegar perto do seu celular ou computador.
- Você sabe que isso é impossível.
- Nada é impossível. - Ele me olhou. - Você sabe que isso é pro seu bem.
- Prefiro morrer.
- Ah qual é, oque eu tenho que te dar para você ficar longe disso aqui? - Ele girou meu celular nos dedos.
- Me mata. - Disse puxando o celular das mão dele. Sai do quarto o deixando sozinho e desci as escadas, vi a mesa cheia de coisas gostosas e senti vontade de vomitar, mais não vomitei. Passei direto indo para o jardim e deixando ele rirem enquanto brincavam e comiam. Sentei na grama baixa de frente para o sol e desabei novamente.

Era horrível a sensação de ser odiada por metade do mundo. Sera que essas pessoas nunca amaram antes? Quando Justin eu vejo os olhos do Justin e aquele sorriso encantador eu sinto uma vontade incontrolável de ficar naquele ângulo para sempre, eu seria feliz vivendo de seu sorriso.

Fiquei ao que pareceram horas olhando para o nada e chorando, mais foram só 20 minutos. Eu conseguia ouvir as risadas distantes deles que estavam sentados nas cadeiras em frente a piscina. Virei um pouco para poder vê-los mais percebi que Justin vinha em minha direção. Sentou-se ao meu lado mais eu continuei olhando para o nada. Lágrimas ainda escorriam pelo meu rosto e eu soltava leve soluços.

- Eu odeio ver você chorando Rebecca, para de chorar. - Ele me puxou para seus braços e me abraçou.
- Não dá... eu não consigo. - Minha voz saiu entrecortada. Dobrei meus joelhos e coloquei eles contra meu corpo, abaixei minha cabeça e continuei chorando.
- Droga! - Ele levantou.
- O que você vai fazer? - Perguntei.
- Nada... Fica ai. - Ele gaguejou. Ele saiu correndo e entrou dentro de casa. Eu fiquei um tempo olhando para o nada sem entender mais depois olhei para frente de novo. Não queria sair dali tão cedo.

[...]

A minha cabeça latejava. Eu tinha vontade de arrancar todos os meus cabelos. Minha barriga ficava girando - não sei se de fome ou não - eu continuava com aquela sensação de quem iria vomitar se encostasse em comida. O Justin depois de sair não voltou mais. Ouvi de novo o barulho de alguém se aproximando e virei, dessa vez era a Sophia. Ela sentou do meu lado e eu fiquei esperando o largo sermão que viria.

- Você sabe que no começo com o Filipe foi difícil. Caíram várias criticas sobre a gente, dizendo que nosso namoro era por marketing, que o Micael era com quem eu deveria ficar... E você e com o Justin é basicamente isso, eles acham que você só está com ele para conseguir fama e que a Selena é com quem ele deveria ficar, mais... Esse é o problema. - Ela me abraçou de lado. - Todos nós amamos nossos fãs Becky, amamos muito! Só que eles não podem julgar todos nós sem saber. Eles não conhecem você direito. A revista da Capricho só vai ser publicada daqui mais ou menos 1 semana com o artigo sobre você. E a entrevista em vídeo também.
- Mais nem é isso. - Disse depois de muito tempo e me assustei com o fio de voz que saiu. Limpei minha garganta. - É que doí Sophia, eles me julgarem e ao mesmo tempo inventarem coisas sobre mim só porque eu estou com ele e eu fico me perguntando se essas pessoas nunca se apaixonaram.
- Awn, minha amiga está apaixonada, que lindo. - Sorri espontaneamente quando ela falou `` apaixonada ´´. - Olha aqui. - Eu subi o olhar. - Vai passar e... eles vão ver que você não é nada disso. - Ouvi de novo aquele barulho ensurdecedor de helicóptero e bufei alto.
- Aquela drog não... - Meu celular tocou e eu levantei com um pouco de dificuldade para atender. Pedi licença a Sophia e me afastei. Olhei o visor e vi que era Maísa, em seguida outra chamada da minha mãe por cima, da Larissa, algumas amigas minhas de São Paulo... Eram tantas que eu não conseguia atender. Minha barriga começou a girar de novo e minha visão ficar turva. Senti quando meu corpo fraquejou e amoleceu.

A última coisa que eu lembro antes de fechar os olhos é do chão se aproximando.

-----------------------------------------------------------------------------------------------------
Ufa, terminei! Estava dês de ontem a tarde para terminar esse capítulo. Prometo que posto o próximo ainda hoje, mais se você acabou de ler o capítulo e está lendo isso comenta por favor? Beijos.

                                          

Oath 20º Capítulo - `` Eu tenho uma vontade enorme de morrer. ´´


                                  


           Oath 20º Capítulo - `` Eu tenho uma vontade enorme de morrer. ´´

Chegou a hora de dormir e Justin pediu para dormir comigo. Eu deixei ué, não planejava fazer nada para não tomar o terceiro banho do dia. Estávamos deitados e o único ruido do quartos era as nossas respirações Ou melhor, a respiração do Justin na minha orelha. Ele alinhava seu corpo ao meu e me abraçava por trás de um jeito protetor.

- Becky? - Ele quebrou o silêncio.
- Sim?
- Eu amo você.
- Eu amo você também Justin. - Sorri olhando para o escuro.
- Sabe... Não tem Caitlin Beadles ou Selena Gomez que me fez tão feliz quanto você me fez nesse tempo.
- Você me ofende falando assim. - Ri.
- Por que?
- Por que a Cailtin e a Selena são duas mulheres incríveis.
- Mais nenhuma delas tem esse corpo, esse sorriso maravilhoso, essa personalidade incrível... Nenhuma delas me hipnotizou dessa jeito que você fez. - Ele dizia tudo com uma voz rouca e sexy meio sussurrada. - Eu achei que eu iria viver de sexo sem compromisso para sempre com modelos. - Ele riu. - Mais eu encontrei você e vi que a vida é bem mais que isso.
- Sexo sem compromisso é? - Ri. - Que coisa mais de filme. E ainda por cima com um garoto de 19 anos...
- Eu sou um homem tá? - Ele fez cocegas na minha barriga.
- Tudo bem... - Ri. - Homem. - Revirei os olhos.
- Um garoto... - Ele fez aquela voz sexy de novo. - Não faria você gemer a tarde inteira... - Eu sorri com malicia quando ele começou a beijar meu pescoço. Eu estava cansada, não queria fazer nada agora. Sem falar que iriamos acordar cedo para aproveitar o dia, coisa que a gente não fez hoje. Ele escorregou a mão dele pela lateral do meu corpo, passou pelo short do meu pijama e depois voltou. Estremeci um pouco e ele percebeu e soltou um riso seco. Quando a mão dele entrou dentro da minha blusa eu vi que ele já estava passando dos limites.
- Boa noite Justin. - Virei e depositei um beijo em seus lábios. Deitei em seu peitoril e Justin começou a brincar com meu cabelo... Minhas pálpebras começaram a ficar pesadas e eu já via tudo sem foco...

[...]

Acordei com meu nariz roçando em alguma coisa. Abri meus olhos vendo a lateral do rosto do Justin. Estávamos deitados de um jeito fofo.

                   

Sua mão rodava meu pescoço e eu não sabia como sair dali para me trocar. Tirei seu braço com cuidado e coloquei na cama. Quando fui levantar Justin me puxou de volta.

- É horrível ter você deitada em cima de mim mais você estar dormindo.
- Então você já estava acordado?
- Sim. A um tempinho já. - Ele deu de ombros.
- Olha só, você pegou todo o meu edredom. - Ri.
- Mais você está quentinha, então tá bom. - Ficamos em silêncio por longos segundo apenas deitados até que a porta do quarto é aberta e de lá sai Sophia com sua câmera já vestida e pronta para o dia.

- Bom dia galera! - Respondemos ao bom dia. - Gente, levanta, eu fiz o café e eu quero jogar paintball!

- Você tem paintball Becky? - Justin perguntou e eu assenti. - Ótimo, então vamos, eu quero jogar. - Ele levantou depois de me dar um selinho mais eu continuei deitada. Puxei um travesseiro e me cobri. Mais Justin arrancou os dois e pediu para mim levantar de novo. Sophia saiu do quarto e Justin foi logo em seguida pois suas roupas estavam no quarto ao lado. Fui para o banheiro e fiz minhas higienes matinais, fui para o closet, me vesti e fiquei um pouco na frente do espelho. Voltei para o quarto e me deitei na cama, peguei meu celular e tirei uma foto.

                                
                           Coitado do meu cabelo... Só a Sophia para querer jogar paintball!

Desci as escadas e todos já se encontravam sentados na mesa e comendo. Olhei a mesa e vi que a mesma estava cheia de coisas gostosas. Procurei pelo Justin até que senti alguém me abraçando por trás. Três beijos foram deixados ao longo do meu pescoço e logo Justin me virou para ele e eu tive que ficar na ponta dos pés para alcançar seus lábios. Ele me deu um beijo molhado, longo e gostoso. Nossas línguas brincaram bastante ali...

Estava tão bom mais tivemos que parar primeiro porque começaram a gritar e bater palmas e segundo por falta de ar. Encerramos o beijo rindo porque causa de todos que gritavam. Ele me abraçou e ficamos assim durante um tempo. Seu abraço me dava um conforto indestrutível, queria poder ficar abraçada a ele para sempre.

Tomamos café que no caso, eu comi um panqueca com mel e tomei suco diferente de todo mundo que comeram um pouco de tudo. Não que eu esteja em dieta mais também não quero engordar, sem falar que uma panqueca já me deixou cheia. Escovei meus dentes e me joguei no sofá. Fiquei um pouco sentada fazendo digestão e Sophia sentou ao meu lado, provavelmente enviando o vídeo no qual fez essa manhã, ela não perdia uma!

Quando todos descansaram apos o café levei eles para a areá do paintball.

- Olha só gente... - Peguei uma bolinha do jogo e apertei. - As bolinhas, não são duras porque eu comecei a  jogar quando era pequena. Elas são de borracha, então vocês só tem que tomar cuidado para não se sujar com a tinta, porque as bolinhas não machucam. - Expliquei também que só poderíamos jogar mais para trás aonde tinham as árvores e para também ficar longe dos cavalos. Falei que se a bolinha for lançada e o adversário estiver próximo, por conta da força pode até doer um pouco, nada demais.

Os garotos me ajudaram a carregar as armas coisa que demorou uns 10 ou 15 minutos. Ouvi um barulho vindo lado de fora do celeiro e sai. Olhei para cima e vi um... helicóptero? Sim. Como pude esquecer? Justin Bieber está aqui, obviamente vai ter paparazzis de qualquer jeito atrás dele. Senti a presença de alguém e olhei para trás, Justin olhava para cima e eu vi um pouco de raiva em seu olhar.

- Desculpa, não queria causar isso. - Ela disse se aproximando.
- O que? Magina Justin. - Ele me abraçou de lado mais continuou olhando para cima. - Isso acontece. - Suspirei.

- Eâe galera. - Chaz me assustou destravando a arma. E logo em seguida todo mundo saiu do celeiro. Bruna me entregou uma arma e Alfredo a de Justin. Ryan Letícia iria ser a juizá. Fomos até os meio das árvores e fizemos time de meninas e de meninos, a Letícia ficou de juizá então ficou igual. Cada um tínhamos a tinta das bolinhas de cor diferente para poder diferenciar o destinado do tiro. Prendi meu cabelo em coque no alto da cabeça. Coloquei minhas luvas de couro para não me machucar no meio das árvore e finalmente peguei a arma dourada que meu pai tinha comprado especialmente para mim. Nos espalhamos pelo meio da parte de trás do sítio. Com Letícia deu o sinal de inicio depois de citar todas as regras chatas e entediantes...

Percebi que Justin mantinha sua mira em mim e vi isso a partir do vidro da academia. Ele se mantinha com o corpo atrás da árvore mais a cabeça e arma estava do lado de fora. Eu estava encostada totalmente virada para o lado oposto. Percebi a distração dele quando viu a Bruna e sai um pouco da árvore, atirei mais pegou no tronco, droga. Ouvi a gargalhada alta dele e fiquei com mais vontade ainda de ganhar. Corri para a outra árvore e Justin disparou, só que depois então não pegou em mim. Mirei em Chaz pois ele havia sido um pouco descuidado, atirei uma vez e pegou nele que logo me localizou e mirou a arma. Eu me escondi de novo e vi a bolinha de tinta passar reto. Mirei nele de novo e atirei, pegou na perna dele. Estava tão concentrado em mim que nem percebeu Bruna, que atirou e pegou na barriga dele.

- Eâe Chaz, perdendo para meninas. - Alfredo disse e eu ri alto.
- Não se preocupe, você vai perder também. - Falei.
- Vamos ver então... - Ouvi um disparo mais percebi que tinha pegado na Sophia. Devolvi o tiro e foi bem no Alfredo. Estava tão concentrada em atirar no Ryan que estava bem visível e distraído que nem percebi Justin até levar uma bolada de tinta na perna.

Ouvi um barulho pouco distante e olhei para cima, vi que helicóptero não iria desistir, provavelmente querendo pegar imagens do Justin. Fiquei com raiva e ao mesmo tempo indignada. Nem no tempo de férias o garoto tem folga dessas malditas câmeras. Olhei para Justin e percebi que ele fazia gestos obscenos com as mãos junto com Ryan, Alfredo e Chaz. Não gostava de vê-lo fazendo isso então dei um tiro nos 4.

- Ei, não valeu! - Justin disse.
- Então para de prestar atenção naquela merda e volta para o jogo. - Gritei. E foi assim que ele fez. Sacou a arma dele de novo e agachou um pouco para poder me pegar. Eu fui mais rápida e corri. Fui para trás da academia e depois dei a volta nela, tinha despistado todos. Voltei para a parte das árvore só que por trás de onde os meninos estavam. Podia ter cada um deles na minha mira mais aquele barulho de helicóptero me incomodava. Acabei atirando no Justin só para atiçar mais depois me escondi.
- Becky... - Ele cantarolou meu nome e eu pude ver a sombra dele. Fui para trás rápido e me escondi em uma árvore. Deixei minha arma apontada para cima e os passos de Justin estavam cada vez mais próximos. Ouvi um disparo e uma bolinha de tinta passou por mim. Virei rápido só que do lado oposto e atirei. Me certifiquei de que a bolinha acertou e estourou na barriga dele, sujando sua regata branca. Ele disparou mais três vezes e em um momento de distração dele eu corri para outra árvore e disparei só que ele disparou também e pegou no meu ombro. Me escondi na árvore de novo só que um pouco ofegante. Ouvi barulhos distantes de disparos e depois Letícia disse: `` Chaz e Ryan fora ´´
- Quem está ganhando agora Justin? - Gritei. - Eu jogó esse jogo a 10 anos, não tem ser humano capaz de me vencer. - Olhei por um canto da árvore e vi que ele mantinha sua mira em mim e quando me percebeu ali disparou de novo mais eu fui mais rápida e desviei. Corri rápido para outras árvore até ficar bem longe dele mais continuava com ele na minha mira. Atirei 4 vezes seguidas e 2 pegaram nele.  Ele atirou também e assim eu fui atingida uma vez.
- Uma para mim ganhar Becky. - Ele disse. Deitei no chão e rolei para trás de um arbusto. Justin não percebeu, estava em desvantagem. Coloquei o cano da arma no meio da folhas com cuidado e mirei Justin que estava ainda com a arma apontada para a arma para onde eu estava. Ele mudou o foco e desviou bem na hora que eu atirei.
- Droga! - Ele revidou o tiro mais não pegou em mim. Sai correndo de volta para perto das meninas e Justin atirou duas vezes, nenhuma pegou em mim. Virei para trás só para ver aonde ele estava, aproveitei que Alfredo queria pegar a Bruna e atirei 2 vezes seguidas nele, acertei as duas. Voltei para trás de uma árvore e percebi que Justin apontava a arma para meus pés, fui mais rápida e pulei apos seu disparo. Atirei mais duas vezes só que nenhuma pegou nele, fiz sinal para Eduarda que atirou e pegou nele. Comecei a rir muito e nem percebi Alfredo, ele atirou e eu perdi também. Justin me olhou segurando o riso, mais não aguentou muito tempo, e em poucos segundo já estava gargalhando. Tirei minhas luvas e deixei em cima do balcão do celeiro.
- Amor... toma banho comigo? - Justin venho toma manhoso e depois colocou a arma ao lado da minha.
- Não eu vou... colocar um biquíni e me molhar na ducha da piscina. - Disse saindo do celeiro. Subi para meu quarto e tirei as roupas com tinta. Coloquei me vesti do jeito adequado e peguei as roupas com tinta e desci as escadas, coloquei na lavanderia e voltei. Fui no banheiro do andar de baixo e passei protetor solar a prova d'água pois o sol estava ardente, aproveitei e passei o protetor labial para não ressecar...

Sai para o lado de fora e recebi a noticia de que a Sophia ganhou junto a Eduarda do Alfredo. Fiquei feliz porque pelo menos as meninas ganharam. Elas subiram as escadas dizendo que também iriam colocar a roupa de banho, peguei meus óculos escuros na sala e prendi meu cabelo que havia soltado enquanto me vestia. Fui para fora e percebi Justin sentado na borda da piscina de short. Ele sorriu aonde me ver. Eu passei reto e fui até a ducha, me molhei só para tirar o suor do jogo e a tinta na minha perna, no meu ombro e nas minhas costas. Vi que Justin me olhava mordendo os lábios como se isso fosse realmente bom. Ele se levantou e veio até mim, se junto a mim e me beijou.

- Justin, a gente não está no chuveiro do banheiro, tem um helicóptero lá em cima. - Ele bufou alto e eu desliguei a ducha. Sentei na borda da piscina e fiquei observando a água durante um tempo. Levei um susto quando todos pularam na piscina fazendo a água pular e me molhar por inteira. - Ei! - Gritei recolhendo minhas pernas e entrelaçando as mesmas.
- Qual é Becky, vai ficar ai? - Sophia disse e eu mexi a cabeça de um lado para o outro como se estivesse decidindo. Justin sentou atrás de mim então eu fiquei entre suas pernas. Ele me abraçou ficou roçando seus lábios e o nariz no meu pescoço e eu já estava me exitando, quando percebi que não era a única...
- Justin, oque é isso? - Fui me afastar para ver mais ele me puxou e riu. Quando percebi oque era ri alto. - Vem vamos entrar. - Me aproximei mais da borda e entrei na piscina.

Ficamos praticamente a tarde inteira na piscina brincando e fazendo guerras bestas e divertidas de água. Também fizemos guerras de casais - mesmo que eu e Justin eramos os únicos - Eduarda montou nos ombros de Chaz e assim podemos igualar e brincar. Quando já estava quase escurecendo começou a ficar frio e a fome bateu. Sai da piscina seguida de todos e me enrolei na toalha, me sequei perto de uma espreguiçadeira e logo em seguida entrei. Subi as escadas e fui direto para meu quarto. Tirei o biquíni molhado e deixei na pia, entrei dentro do box e liguei o registro deixando a água cair.

Durante o banho Justin não apareceu, provavelmente foi tomar banho no quarto ao lado. Quando sai do chuveiro me sequei e me enrolei na toalha. Peguei meu secador e sequei meu cabelo, quando já estava seco passei a escova algumas vezes. Fui para o closet e coloquei uma lingerie vermelha, virei para voltar ao quarto e pegar meu celular pois pude ouvir ele vibrando mais tomei um susto vendo Justin sentado na minha cama.

- Ai menino, quer me matar? - Coloquei a mão no peito.
- Claro que não, que desperdício. - Ele olhou para o meu corpo com malicia e eu corei. Ele levantou e eu percebi que estava usando um short branco, uma regata - também - branca e seus supras vermelhos. Ele veio até mim e antes que eu pudesse dizer qualquer coisa ele me beijou. Beijou com ferocidade e desejo.

Nossas línguas tratavam uma verdadeira guerra [/* devidos créditos da frase para a kim açdlkaçlskda *\] Ele começou a andar comigo, indo até a cama mais eu quebrei o beijo antes de isso acontecer.

- Eu tenho que terminar de me trocar. - Disse um pouco ofegante. Ele assentiu e me deu um último selinho. Saiu do quarto me deixando sozinha. Voltei ao closet e terminei de me vestir. Voltei para o quarto lembrando do meu celular e o peguei. Vi que eram interações no twitter então decidi pegar meu notebook para poder ver melhor, quando consegui ver, eu não acreditei que aquilo estava acontecendo de novo...

 ''  Você não cansa de usa-lo para conseguir fama? Por favor, deixei-o. ''
 '' Tinha que ser vadia mesmo para voltar com ele depois de ser chifruda, se toca garota! ''
 '' Sinto cheiro de chupa fama... Olha aqui a Rebecca, entendi o porque! ''
 '' Todos sabemos que ele é apaixonado pela Selena, deixe ele sozinho para que possam voltar! Eu tenho certeza que vai achar a pessoa certa ''

Eram tantos, de vários lugares, país diferentes e cada um me odiava por algum lado. Eu não aguentei e eu poucos segundos já estava chorando. E dessa vez, pra valer. Eu soluçava e as lágrimas caiam descontroladamente. Perdi a fome e já sentia meu rosto inchando. Desliguei o notebook e fechei a porta balcão do quarto. Desliguei a luz e fiquei no escuro deitada na minha cama.

Eu tenho uma vontade enorme de morrer.

---------------------------------------------------------------------------------------------------
Eu acho que estou mais ansiosa para o próximo capítulo do que qualquer um! Deixa eu escrever logo antes que eu morra. Beijos e comentem se der...

                            







28.9.13

Oath 19º Capítulo - `` A primeira caipirinha ´´

                         
                              

Oi! Que sorte, dois capítulos em um dia! Queria que as fanfic que eu leio fossem assim também... Espero que gostem do capítulo, beijo.

            Oath 19º Capítulo - `` A primeira caipirinha ´´

Acordei cedo para ir ao sitio. Liguei para os meninos e as meninas ( Diogo, Moíses, Lucas, Letícia, Bruna e Vanessa )  e nós marcamos de nos encontrar lá pois passaríamos o Carnaval fora. Terminei de arrumar minha mala e fui me vestir. Não demorei muito pois só iria para o sitio então não teria que me produzir, mais quando me olhei no espelho gostei do que vestia.

Confesso que fiquei morrendo de vontade de convidar o Justin mais estava com vergonha de ele me achar oferecida e que eu estou dando mole para ele.. Ninguém consegue resistir a ele e eu como ex namorada já deveria saber disso.

Terminei de me arrumar e desci com minha mala, meu celular, meu iPod e meu notebook. Cheguei na sala e vi que Sophia também já havia terminado de arrumar as coisas dela. Coloquei tudo no carro e subi de novo, coloquei meu violão dentro da capa dele. Desci de novo e coloquei dentro do carro também. Mandei uma última mensagem para todo mundo avisando que já estava indo.

O sitio ficava a mais ou menos 40 minutos da minha casa. Todo mundo queria ir para a praia, mais eu disse que meus pais tinham um sitio e que eu não gosto muito da praia e que lá tem piscina e eles acabaram concordando.

No caminho Sophia concordou em dirigir então eu fiquei no banco do passageiro ouvindo música e pensando... nele! Por que sempre ele? Por eu amo ele, fim. Sou apaixonada por ele e preciso dele, só que eu não sei admitir isso. Eu vi que as vezes Sophia me olhava de canto e dava um sorriso de lado como se sabia oque eu estava e também sabia de alguma coisa que eu não sei. Eu fiquei desesperada para perguntar o porque daquela cara mais preferi ficar quieta e esperar.

[...]

Quando chegamos ao sitio a primeira coisa que eu fiz foi me instalar, se deixasse para depois não iria fazer nunca. Vi que a caseira tinha ido as compras então os armários e a geladeira estavam cheias de guloseimas e salgados gostosos. O pessoal demorou um pouco para chegar, eu pensei que eles viriam em 2 carros, por isso que estranhei quando um terceiro chegou. Mais acabei dando de ombros, porque vai que o Moíses foi o com o carro dele e não foi com os meninos? Quando saíram as pessoas que estavam no terceiro carro eu gelei.

- O que vocês estão fazendo aqui? -


                  

Perguntei firme tentando não transparecer que estava quase derretendo vendo aqueles lábios rosados e seus óculos escuros.
- Eu os convidei. - Sophia disse com um sorriso vitorioso no rosto.

- Mais se tiver problemas nós vamos embora. - Justin falou e eu percebi que ele usava sua prótese de ouro.
- Não... - Fui um pouco desesperada. Limpei a garganta. - Quer dizer... não eu só não sabia... - Cocei a nuca e virei de costas indo até o galpão, estava doida para ver meus cavalos. Entrando lá vi a Kat e o Louis, pois é, o nome do meu cavalo é Louis! Fiz carinho nos dois, mais soltei a Kat para dar uma volta, depois fazia o mesmo com Louis. Estava com saudade deles, faz muito tempo que não os vejo. Sai com Kat do galpão e eu vi a felicidade dela em ser solta. A acariciei ela mais um pouco que brincava comigo pedindo mais carinho, depois a soltei que começou a cavalgar. Dei de ombros e entrei de novo, fiz o mesmo com Louis, o soltei também. O espaço que eles podiam correr era grande, as grades os impediam de ir para a outra parte do sitio e assim eu fico mais despreocupada em soltar eles. Tirei meus óculos e coloquei minha franja atrás da orelha, olhei para trás e vi que todos me observavam como se eu fosse um estatua. Me aproximei deles batendo uma mão na outra. - Tira foto que dura mais. - Passei reto e fui lavar minha mãos. Fui para dentro de casa e vi que Sophia já tinha ido mostrar os quartos que eram 6. Bruna, Letícia e Eduarda disseram que iria dormir juntas. Foi ai que eu percebi que... o Diogo não veio. - Ei, cadê o Diogo? - Vi a expressão no rosto do Justin mudar de um sorriso para uma cara de tédio.

- Ele não pode vir, disse estava `` doente ´´. -  Lucas disse. Fez aspas ao dizer doente.
- Como assim `` doente ´´. - O imitei.
- Ah, sei lá, mais ele não parecia doente no telefone. - Peguei meu celular e liguei para ele, chamou, chamou... ninguém atendeu. Percebi que meu o sinal do meu celular tinha acabado então levantei meu celular no alto a procura de sinal e comecei a andar. Esqueci do degrau que tinha na porta e quase cai, se Justin não tivesse me segurado... Estávamos tão próximos que se não fosse meu orgulho eu teria o beijado. - Obrigada. - Disse. Desisti de procurar sinal depois de um tempo. Sentei-me no sofá com tédio e Justin se jogou em cima de mim, joguei ele no chão e vi que Sophia havia gravado.

                 

- Ai caralho. - Ele gritou. Eu me inclinei para poder vê-lo ouvindo as risadas de todos.
- Ainda não te dei o direito de dizer palavrões comigo tá querido? - Ele se levantou e sentou em um poltrona do lado do sofá.
- Você ainda vai me pagar. - Ele trincou o maxilar.
- Se você está dizendo. - Levantei as mãos em rendimento.

- Ei, vamos jogar verdade ou desafio? - Bruna deu a ideia. Eu fiquei impressionada quando todos concordaram. - Só que... tem que ter a garrafa né?
- Deixa que eu pego. - Levantei indo até a cozinha. Vi que não tinha nenhuma garrafa vazia na cozinha. Peguei um pote grande e coloquei várias pacotes de balinha fini diferente, em outro enchi de cheetos. Peguei a garrafa de Absolut e coloquei em cima do balcão. Todo mundo veio da sala por causa da minha demora e começaram a gritar e pegar os doces e o salgadinhos.

- Justin, já bebeu caipirinha? - Lucas perguntou.
- Não. - Ele entortou o lábio. Já sabia que Lucas iria fazer então peguei dois limões embaixo do balcão e dei para o Lucas que começou a bolar a caipirinha que só ele sabe fazer. Depois que eu servi todos o copos com vodca pura o Moíses me desafiou a beber um copo inteiro de vodca com gelo sem respirar.

- Eu acho melhor não... - Justin disse tirando os olhos do que Lucas estava fazendo e olhando para mim.
- Por que? - O encarei cruzando os braços e sentando em cima do balcão.
- Se beber tudo de uma vez vai ficar dor de cabeça... E ficar com dor de cabeça não é legal... - Ele coçou a nuca.
- Mil reais que eu não fico com dor de cabeça. - Todos me olharam incrédulos e Justin fez uma cara de confuso.
- Oi?

                              

- Que foi Justin? Está com medo de perder? - Ele empurrou o copo cheio de gelo e vodca pura para mim.
- Bebe. - Ela falou com expressão desafiadora. Peguei o copo e percebi que a Sophia queria gravar mesmo cada segundo dessa final de semana porque ela não para de gravar dês que todos chegaram. Peguei o copo e dei um longo e calmo suspiro antes de sentir a vodca queimar pela minha garganta, foram mais ou menos 40 segundo e eu terminei de beber. Coloquei o copo de volta no balcão e umedeci meu lábios. Minha visão ficou turva por alguns segundo mas eu pisquei alguns vezes e voltei ao normal. Sem dor de cabeça.
- Você me deve mil reais. - Desci do balcão e todos riram. O Lucas terminou de fazer a caipirinha e estava na hora do Justin beber. - Vamos fazer assim? Se você beber tudo sem parar eu te dou uma ferrari vermelha. - Apoiei minha mão na mesa. Me olharam incrédulos de novo.
- Não quero fazer você falir. - Ele disse.
- Uma ferrari não é nem metade do meu salario. - Dei de ombros.
- O que aconteceu quando você bebeu a sua primeira caipirinha? - Eu ri ao lembrar oque aconteceu e Sophia riu junto, ela estava comigo.
- Bom... eu tinha 14 anos, tecnicamente quase entrei em coma alcoólico. - Ele me olhou com pavor e eu gargalhei. - Não, brincadeira, só queima um pouco.
- Posso provar primeiro? - Fiz sinal para ele provar e depois que comecei a gravar para o Instagram. Depois que ele bebeu um gole ficou degustando durante um tempo e fez uma cara de aprovação, bebeu tudo de uma vez só. Postei o vídeo no Instagram `` A primeira caipirinha ´´ - Não precisa dar a ferrari.
- Eu faço questão. - Dei de ombros. Enterrei a chave do meu carro no peito dele. - Eu comprei ela faz 2 semanas.
- Mais eu não vi nenhuma ferrari lá fora.
- Eu ando com a chave dela, mais eu vim com a Range.

- Tá legal galera, agora vamos jogar? Já vi que vou ser pobre para o resto da vida mesmo. - Letícia disse fazendo todos rirem e foi que eu percebi que Chaz. Ryan e Alfredo não estavam aqui. Fomos para a sala e eu também não vi eles dês da hora em que chegaram. Eles se acomodaram no sofá e a Sophia colocou a câmera no tripe no quanto da sala. Fui para a areá da piscina e vi os garotos lá, estavam fumando.
- Gente? - Me aproximei. - Vamos jogar?

- Ah sim. - Ryan se enrolou todo para falar. Eles foram em um canto aonde tinha um lixo e apagaram aquele negocio. Voltei para dentro de casa e eles vieram logo atras. Sentei no chão ao lado da Sophia e do outro lado Moíses. Eles avisaram que a parte de cima da garrafa indicava quem iria perguntar. Justin dobrou o joelho e o colocou junto ao corpo. A garrafa girou e caiu na Eduarda que desafiava ou pedia verdade para o Chaz. Como previsto ele pediu desafio. Ela pensou um pouco e o desafio a beijar toda a barriga da Letícia.

- Mais hein? - Ela falou quando viu o sorriso malicioso nos lábios do Chaz.
- Isso é só uma brincadeira galera, vai logo. - Sophia incentivou.
- Ai, tá bom. - Letícia cedeu e tirou a blusa. Vi que Justin abaixou a cabeça e coçou atrás da orelha para não olhar. Tomei um gole da vodca e vi que Justin fez o mesmo. A Letícia deitou no sofá e Chaz montou em cima dela, começou a beijar toda a barriga dela enquanto todos gritavam. Depois ela recolocou a blusa dela e Chaz girou a garrafa. O jogo foi indo e nada de mim ou Justin, já estava ficando até chato porque ninguém tinha criatividade até que caiu na Sophia e em mim.

- Lá vem bomba. - Abaixei a cabeça. Escolhi desafio e ela pensou um pouco sorrindo sapeca.
- Eu desafio você a ficar em um quarto com o Justin só de roupa intimas durante 20 minutos.
- Ah não...

- Eu devolvo a sua ferrari. - Ele chacoalhou a chave sorrindo malicioso. Arranquei a chave da mão dele e falei bem próximo enquanto ele olhava para meus lábios.
- É só por causa da ferrari.

- Eu vou subir para vocês darem as roupas pela porta. - Sophia disse levantando. Nós subimos escadas, eu entrei no quarto primeiro e tirei meu short, minha blusa e dei para Sophia. Deixei meu tênis junto com a meia em um canto fiquei descalça. Sentei na minha cama com meu celular, e me cobrindo com o edredom. Justin entrou logo em seguida e tirou o short dele junto a camiseta eu coloquei meu celular na frente para não ver a boxer dele e nem nada. Mais foi em vão quando ele se jogou na cama ao meu lado. Ficamos em silêncio exatamente 10 minutos até que ele disse:

- Me perdoa? - Olhei para ele sem entender.
- Pelo quê?
- Você sabe muito bem... - Ele se colocou por cima de mim se aproximando. Começou a beijar toda a espessura do meu pescoço.
- Justin... - Tentei o empurrar mais ele estava inversível. Começou a passar mão pelo meu corpo e acidentalmente arranhei o abdômen dele e senti a musculatura dele, sorri com malicia. Ele era totalmente perfeito e eu precisava daquilo, precisa de sexo... Precisava sentir ele dentro de mim... Vi que faltavam 5 minutos para dar 20 minutos então mandei uma mensagem rápida para Sophia avisando que iriamos demorar mais um pouco... Justin sorriu com malicia e pegou algo dentro da carteira dele que estava no bolso da calça. Tirou de lá um pacotinho de camisinha e deixou ao nosso lado. Sentir os lábios dele junto aos meus depois de tanto tempo foi como um milagre. O toque dele era tão macio e trazia segurança eu queria ficar ali para sempre. Ele ficou me masturbando por cima da calcinha e como faz muito tempo que eu não faço sexo eu estava muito sensível então gemia alto. Ele finalmente estourou os elásticos da minha calcinha e me penetrou com dois dedos, começou devagar mais foi aumentando a velocidade de acordo com o tempo. Vi seu sorriso de satisfação por me ver gemendo, o beijei para não ter que olhar as expressões de `` agora quem está ganhando? ´´.

Depois de um tempo eu senti que estava chegando ao meu ápice, estava quase lá...

- Awn Justin, eu vou... Vai Justin... - Ele aumentou a velocidade e senti a minha vagina se contrair e minhas pernas ficarem moles... Eu cheguei lá. Justin levou os dedos com liquido a boca e logo depois pegou o pacote com a camisinha. Eu pedi para ele esperar e subi em cima. Apertei seu membro ainda por dentro da boxer e depois fui fazendo linhas imaginarias com a minha unha, eu vi o quanto ele estava duro. Continuei provocando durante um tempo até que não aguentei a minha vontade e os gemido do Justin e livrei seu membro da boxer. Bati para ele algumas vezes ouvindo seus gemidos de satisfação. Joguei meu cabelo para um lado e abaixei até seu membro. Dei um beijo leve na cabecinha e fui descendo os beijos, depois passei toda a minha língua por sua extensão. Não aguentei mais e abocanhei o membro do Justin, os gemidos dele eram oque mais me motivavam a fazer aquilo, pois eu nunca tinha feito, mais acho que me sai bem. Suas veias engrossaram e seu liquido invadiu minha boca, não exitei em engolir por mais que não tenha um gosto lá muito agradável...

Me coloquei em cima dele e fui descendo devagar enquanto ele segurava minha cintura.

- Justin... doí... - Disse me referindo ao membro dele dentro de mim. - Doí muito!
- É que você é muito apertada. - Ele se mexeu. - Assim é mais fácil. - Ele se colocou por cima de mim de começou a me penetrar devagar mais isso também mudou.
Suas entocadas eram fundas e poderosas, me faziam gemer alto e sentir como se estivesse tocando meu útero. Eu me deliciava com aquilo, realmente, era uma das melhores sensações que uma pessoa poderia sentir, eu estava no paraíso.
Tomei as rédeas da situação e fiquei por cima dele e comecei a cavalgar enquanto ele segurava minha cintura com força. Eu aumentei os movimentos gemendo seu nome mais alto chegando ao meu ápice, eu já tinha chegado.

Caí acabada ao seu lado. O quarto estava um silêncio, o único ruído era nossas respirações ofegantes.

- Eu desejei tanto isso, só não sabia que seria tão bom.
- Dois. - Sorri. - Eu preciso tomar banho.
- Não... Fica aqui está tão bom. - Ele me abraçou por trás.
- Vem eu deixo você tomar banho comigo. - Ele vestiu a boxer e levantou. Fui enrolada no lençol até o banheiro enquanto ele mexia no celular no quarto. Liguei o registro e joguei o lençol no quarto fazendo aparecer só minha cabeça na porta. Tirei meu sutiã que ele não havia tirado também. - Vem Justin. - Fiz uma voz sexy e fiz sinal com o dedo. Ele me olhou mordendo os lábios e logo veio. Entrei dentro do box e me coloquei do outro lado do chuveiro, encostado minhas costas no azulejo gelado. Olhei atrás do vidro meio embaçado Justin tirar sua boxer, ele abriu o a porta do box de vidro entrou. Ele olhou meu corpo inteiro e deu um sorriso sapeca me fazendo corar. Me prensou contra a parede me analisando e logo depois me beijou. Escorregou suas mãos por todo meu corpo e logo me pegou no colo, entrelacei minhas pernas e volta de sua cintura e senti seu membro me cutucar. Deslizei minha mão pela lateral do corpo dele até seu membro, fiquei fazendo movimentos de vai e vem enquanto Justin beijava meu pescoço e dava chupões nada leves, já estava até imaginando as marcas roxas. Ele desceu os beijos e foi até meus seios, chupou a aureola de cada um depois ficou beijando e apertando o direito enquanto massageava o esquerdo. Gemidos escapavam de meus lábios e sua satisfação era vista em seu olhar. Pedi para que ele me penetrasse e assim ele fez, me penetrou fundo de uma vez só, mais doeu, eu continuava apertada.

Ele começou a me movimentar para cima e para baixo e também dava alguns impulsos, continua concentrado em meus seios e nos movimentos. Eu já gemia alto de novo, era tão bom. E nem a água que caia sobre nós apagava meu fogo.

- Não para Justin, não para! - Falei.
- Séria impossível parar. - Ele sussurrou. Me entocou durante mais um tempo, um longo tempo...  Tive três orgasmos e Justin só chegou lá depois...

Tomamos um banho descente apos a `` brincadeira ´´. Eu sai e me sequei, Justin ficou lá durante mais um tempo. Tempo suficiente para eu me trocar, e quando terminei fui me ver na frente do espelho, estava bonita. Quando sai do closet percebi que Justin já havia terminado seu banho e também não estava mais no quarto. Aproveitei e sequei meu cabelo junto a escova. Passei um perfume suave e peguei meu celular junto ao meu notebook. Desci as escadas e encontrei todos na sala que já não jogavam mais, olhei o relógio e vi que se passaram 3 horas.

- Ai tô cansada. - Me espreguicei sentando na poltrona e em seguida abri meu notebook.
- Nem imagino o porque. - Sophia disse sínica. Vi que todos me olhavam como se tivessem ouvido tudo. Vi uma foto em uma página do Justin no clube de Toronto junto com o Lil Za. Comecei a contar quantas garotas de biquíni tinha ali. Tomei um susto quando Justin me deu um beijo estalado no rosto e perguntou oque eu estava fazendo.
- Contando. - Dei de ombros.

- Contando mulheres? - Ele sentou na poltrona ao meu lado desajeitado [/* estava vestido assim, ok? *\]
- Sim... Algum problema? - Me virei para ele.
- Ciúmes? - Ele ergueu uma sobrancelha. Eu ri seca.
- Só no seu maravilhoso mundo da Disney. - Disse fazendo a sala inteira rir.
- Sabe... - Ele apontou para a foto. - Eu fiz todas as garotas dai... - Coloquei meu notebook na mesa centro e tapei meu ouvidos, fui até a cozinha.

Sinceramente não queria saber oque ele fez ou deixou de fazer com aquelas garotas. Não é que eu tenha ciúmes ( talvez só um pouco ) mais isso já passou, então eu não devo me preocupar. Sentei no balcão e me peguei pensando no que aconteceu... foi tudo tão rápido. Pelo menos não esperava reagir daquela forma, pelo menos não tão rápido.

Eu disse para mim mesma que não queria mais atrapalhar a vida dele mais ao mesmo tempo não consigo ficar longe dele. Por que ele me trás segurança com um abraço, amor com um beijo, malicia com um sorriso, desejo com um olhar... Eu o amo e isso eu não posso negar e eu grito para quem quiser ouvir.

Peguei meu celular e enviei uma mensagem para Diogo perguntando se ele estava bem, e o motivo pelo qual não ter vindo. Fui surpreendida pelo Justin.

- O que está fazendo?
- Conversando com meu namorado. - Zombei.
- Impossível. Meu celular está lá em cima.
- Mais quem disse que você é meu namorado? - Virei e o encarei.
- Eu disse. - Ele se aproximou.
- Pois estava errado. - Sussurrei. Eu seu olhar era desafiador, parecia que ele iria me agarrar a qualquer segundo. Eu desci da bancada e estava saindo da cozinha, indo para o jardim quando ele me prensou contra a porta de vidro e começou a beijar todo o meu pescoço. - Justin para... - Ri.
- Por que você quer que eu pare? - Ele sussurrou continuando com os beijos.
- Por que é errado, a casa está cheia.
- Eu não me importo. - Ele desceu os beijos para meus seios e ficou os beijando enquanto me abraçava.
- Mais eu me importo. - Tentei me desvencilhar dele.
- Eu solto você... Se você dizer que eu... Justin Bieber... Faço amor como ninguém, e deixei você louca na cama. - Ele falou como um voz que eu senti minha intimidade gotejando. Eu estava ofegante sem saber o porque. Ele escorregou a mão dele pela lateral do meu corpo até chegar a minha coxa, da qual ele apertou  e levantou e encaixado na cintura dele.

- Justin é melhor a gente... - Ele me calou com um beijo.

---------------------------------------------------------------------------------------------
Meu segundo/terceiro hot! Me desculpem, eu sei que está uma merda até porque eu nem sei escrever direito então me perdoem ok? Eu não tenho aula amanhã então pretendo postar ainda nessa madrugada, beijo.

                         






Oath 18º Capítulo - `` Me dá uma segunda chance ´´


                              
   

Oi! Mais um capítulo aqui para vocês... Eu queria pedir que vocês comentem nesse capítulo porque eu demorei 1 dia e meio para escreve-lo. Ele me deu realmente muito trabalho, é o maior dês do começo da fic, então comentem!!

      Oath 18º Capítulo - `` Me dá uma segunda chance ´´
                                                3 dias depois...

POV Becky

Terminei de me arrumar a pouco tempo para a festa da Capricho. Depois de tudo oque Sophia me falou sobre essas festas eu fiquei até mais animada. Fui para a frente do espelho e tirei uma foto para o Instagram. Demorei no minimo umas 2 horas - ou mais - para me arrumar. Mais no final fiquei bonita ( eu acho ). Desci para a sala e Sophia estava lá com Filipe, já pronta!

- Me passa um pouquinho dessa sua beleza Sophia?
- Pra quê? Você não precisa.

- Também acho... - Percebi que Filipe não tirava seus olhos para mim. Sophia olhou para ele fazendo cara feia. Ele a beijou. - Ela está linda, mais você está perfeita. - Eu revirei os olhos e peguei meu celular.

Acredita que eu só fiquei sabendo ontem que o Justin iria para essa festa? Eu quase matei o Gabriel! Eu disse que não iria ir mais ele quase se ajoelhou se tanto implorar junto com Diogo, Lucas e Moíses. Eu acabei cedendo, mais disse que não iria ficar muito tempo.

Finalmente Filipe e Sophia terminaram de gracinhas amorosas e foram primeiro. Eu fiquei mais uns 10 minutos em casa pensando se iria mesmo. Por que eu sabia que ele iria querer falar comigo e eu não iria conseguir dizer não para ele...

Eu acabei derrubando algumas lágrimas então tive que subir para limpar ser manchar o resto, oque acabei conseguindo. Antes de sair de casa respirei fundo.
Seja forte, falei para mim mesma.

[...]

Quando cheguei ao endereço do Salão de Festas me espantei com tanta beleza. Estava cheio de carros e pessoas na frente, fotógrafos e paparazzis do outro lado da rua. Eu parei meu carro e um cara veio na janela, mostrei meu convite e ele chamou um manobrista. Eu sai do carro e escondi meu rosto com a bolsa até entrar dentro do salão que era... era incrível! Tinha uma pista de dança, um telão, varias mesas, garçons andando de um lado para o outro e famosos que eu sempre quis conhecer!

Eu olhei em volta procurando por Diogo, Lucas, Moíses ou Sophia mais quem eu encontrei foi a Bruna e a Letícia. Ela me viram e fizeram sinal para que eu fosse até elas. Eu fui e as cumprimentei com beijinhos no rosto. Elas inventaram um assunto depois de alguns segundo de tédio e nós começamos a conversar, e com o tempo o salão ia ficando mais cheio e meu tédio ia aumentando por não ver Sophia e nenhum dos garotos.

O barulho das câmeras que eram tiradas fotos que iriam para revistas e sites aumentaram e eu conseguia ver lá de fora os flashes. E quem entra pela porta? Justin Drew Bieber, Chaz Somers, Ryan Butler e Alfredo Flores. Quando vi ele minhas pernas estremeceram, e minha cabeça começou a girar. Bruna viu que eu não estava muito bem e pegou um copo d'água e pediu para mim sentar.

Eu fiquei um tempo sentada ouvindo `` Você está bem? ´´, `` Não quer que eu a leve para casa? ´´ ... Mais oque me chamou mais atenção mesmo `` Eu vou matar esse Bieber! Becky, você está bem? ´´ A cadeira que ficava ao meu lado foi puxada e na frente dela sentou o Diogo.

- Eu estou bem. - Respondi olhando para seus olhos de preocupação. Sorri fraco e abaixei a cabeça. - Só não... acho que sou forte o bastante depois do que aconteceu. - Levantei a cabeça e vi que ele prestava bastante atenção em mim. - Ainda doí. - Fechei meu olhos com força e algumas lágrimas escorreram. Diogo me abraçou e a Bruna também. - Licença, eu vou no banheiro. - Forcei um sorriso e fui em direção o banheiro. O tempo inteiro eu sentia que estava sendo observada... por ele. Entrei no banheiro e retoquei minha maquiagem e sequei meu rosto. Passei mais um pouco de pó compacto e o rímel incolor. Dei graças a Deus por não ter passado lápis de olho e só ter passado o delineador a prova da água.

Vi que tinha uma porta de vidro no banheiro que era areá para fumantes. Fui até lá só para pegar um ar. Fiquei ali durante longos 20 minutos até a porta do banheiro ser aberta e de lá sair Sophia. Ela veio até mim com expressão solidaria e disse:

- Sabe porque você está assim? - Ela me abraçou de lado. Acenei com a cabeça para que ela falasse. - Por que... você ainda ama ele.
- Eu sei disso... - Abaixei a cabeça.
- Então... - Ela começou a me empurrar para fora do banheiro. - Deixa isso para lá durante 1 hora, e vai dançar, se divertir, beber... - Eu dei um longo suspiro e peguei a primeira bebida que veio com um garçom, Whisky. Voltei para o Salão e vi que estavam terminando de instalar algumas coisas no palco. Fiquei observando e me perdi um pouco. Só acordei quando as luzes abaixaram e o Gabriel subiu lá em cima com um microfone:

- Bem-vindos a Capricho pessoal! Antes de falar qualquer coisa queria agradecer pela incrível presença de Justin Bieber  com a gente hoje. Quero que saiba que é a sua presença aqui é muito importante!- Ele falou e começaram a bater palmas, assoviaram e gritar. Vi que Justin deu um aceno. - Também quero uma salva de palmas para a nossa linda diva da Capricho Rebecca. - Eu corei imediatamente vendo que todos olharam para mim batendo palmas, e gritando algo que eu não consegui entender, mais todos gritavam em coro, então entendi `` Linda, linda, linda ´´ Eu gesticulo um `` Obrigada ´´.  Depois Gabriel voltou a falar. - Bom, agora nós vamos ter um sequencia de shows, e entre esses estão, Pollo com Ivo Mozart... - Assovios e gritos fizeram ele parar de falar mais ele logo continuou. - Trio YEAH, - Mais gritos. - Manu Gavassi, - Agora nem tantos, mais bastante. - E o David Guetta. - Eu sabia que ele estava no Brasil, sabia! Foram tantos gritos que meus tímpanos doeram e eu dei uns passos para trás e bati em alguém. Eu virei para me desculpar e vi que era o Ryan.

- Me desculpa. - Falei baixinho, acho que ele nem ouviou.
- Está tudo bem. - Sorriu. Ficamos no encarando por alguns segundo.
- Gostando da festa? - Sorri.
- Sim, está bem legal! Quero ver agora como é a música brasileira. - Ele esfregou as mãos animado e eu ri. Vi Sophia em um canto.
- Ah, então, vou falar com uma amiga. Aproveite a festa. - Saí andando o deixando sozinho. Revirei os olhos para mim mesma, que `` conversa ´´ besta. Fui até Sophia, conversamos um pouco e depois o show do Pollo com o Ivo começou. Todos estavam cantando junto e percebi que Justin e seus amigos se concentravam bastante na música. A primeira música foi Vagalumes, por isso Gabriel falou do Ivo. Mais depois o Adriel cantou Piritubacity. Olhei para Justin de novo e vi que ele estava gostando dessa música, estava até gravando com o celular. Eu também lembrei que tinha um então peguei ele, vi que Justin postou o tal vídeo no Instagram.

Voltei a atenção para o show e logo depois o Trio YEAH subiu, dessa vez eu tive certeza de que Justin iria gostar da música deles. Fiquei também meia apreensiva quando João me viu e piscou, eu já havia ficado com ele algumas vezes, nada público e que afetasse o Trio. Eles também cantaram duas músicas que foram Vira-Lata e Mais um beijo. Olhei de relance para o Justin de novo e vi que ele estava até dançando! Sabia que ele iria gostar. Eu conheço meu... Quer dizer, eu conheço o Justin.

[...]

Finalmente David Guetta subiu ao palco depois que todos o equipamentos que ele usará foram instalados. Quando ele começou a tocar Titanium todo mundo partiu para a pista que fica na frente do palco e começou a dançar. Eu não fiquei fora dessa não é mesmo?

Eu não sou convencida, mais sabia que todos os garotos de lá estavam de olho em mim. Bruna se juntou comigo na dança. Rebolávamos até o chão segurando o cabelo oque chamava mais atenção ainda. Aquela sensação de ser observada voltou quando olhei para frente e vi Justin um pouco mais afastado também dançando. Eu continuei a minha dança, mais não tirei os olhos dele que estava com Alfredo.

                                             

As luzes coloridas passavam pelo rosto dele o iluminando. Olhei em volta e vi que várias meninas estavam com o mesmo foco que eu. Não queria parecer indiferente nem viciada, então fiquei só mais um tempo olhando.

                                              

A câmera da Capricho apareceu gravando esse momento de umas das melhores festas do ano então Justin começou a fazer as graças dele e ser um pouco mais atirado, confesso que fiquei com ciúmes...

                                              

                                              

                                              

                                              

Quando aquela garrafa de água subiu a boca dele eu fiquei meia impressionada. Como um ser humano ficou doido bebendo água? Quer dizer... não sei se ele estava bêbado mais deu a leve impressão que estava. Eu tinha parado de dançar prestando atenção nele mais logo voltei a rebolar chamando atenções. Percebi que agora gravavam  a `` diva ´´ da Capricho então me soltei mais. Eles ficaram um bom tempo me gravando e eu senti o olhar do Justin sobre mim.

A música passou de uma para a outra e começou a tocar She Wolf, continuei dançando junto a Bruna, mais acabei cansando no fim da música e comecei a caminhar de volta a mesa. Meu braço foi puxado e eu virei.

                   

Justin mordia seu lábio inferior bem próximo a mim e eu sentia sua respiração ofegante de tanto dançar. Eu me tentei me afastar mais ele chegou de novo e eu o empurrei mais ele continuou vindo.

                 

- Eu preciso falar com você. - Virei a cabeça com desgosto mais ele me fez olhar para ele novamente.

                  

- Olha para mim que eu estou falando com você. - Ele disse serio. Dei de ombros e virei de costas para ele procurando por Sophia mais ele me agarrou por trás e começou a beijar meu pescoço inteiro. Decidi então irritar ele, para ele achar que está ganhando mais no final ver que não chegou nem perto de `` ganhar ´´. Comecei a rebolar ainda de costas para ele que entrou no meu joguinho e começou a passar a mão pelo meu corpo. Continuei assim durante um tempo mais depois virei para ele e continuei dançando junto a ele que tentou me beijar várias vezes mais eu virava o rosto. Quando vi que eu tinha o exitado sussurrei no seu ouvido `` Trouxa ´´ e gargalhei alto saindo de perto dele. Dei uma olhada para trás e vi que ele me olhava com ódio.

Achei Sophia um tempo depois que me alertou que câmera da Capricho pegou toda aquela cena. Eu dei de ombros. Ficamos mais um tempo nos divertindo e fazendo dancinhas estranhas que nos faziam rir. O celular dela parece ter vibrado e ela olhou, era uma mensagem. Ela respondeu rápido e disse que já voltava. Olhei para ver aonde ela estava indo e vi que foi até... Justin? Dei de ombros, eles devem ter ficado amiguinhos. Virei indo até Diogo. Percebi que o show do David acabou e começou a tocar uma música mais lenta. Cutucaram meu ombro e eu virei. Diogo. Sorriu e ele me chamou para dançar. Coloquei uma mão em seu ombro ele colocou uma na minha cintura. Entramos em sincronia com a música e eu vi que ele dançava muito bem. Quando estávamos já com o rosto próximos um do outro eu aquela sensação de ser observada voltou, então quando ele foi me beijar eu virei o rosto e abaixei a cabeça para ele não ficar sem graça. Quando a música acabou usei a desculpa que iria pegar uma bebida e sai sem graça. Sentei no banco do bar e desabei ali mesmo, oque eu estava fazendo?

Minha mãe, Sophia, Bruna... Todos tinham razão, eu amava ele. Tinha que ficar ele, por que ele era o certo. Não consigo nem chegar perto de um garoto que já sinto que eu estou usando ele para esquecer Justin, mais eu sei que não vai funcionar, então eu fujo. Depois sinto a culpa em cima de mim por `` tentar ´´ usar o garoto e choro, desabo, tento me matar... Eu odeio minha vida. Sequei meu rosto com a mão e percebi a presença de alguém na minha frente, olhei para cima e vi Justin que estava com os braços cruzados e me analisava.

- Eu não quero falar com você. - Disse me levantando.
- Eu não perguntei. - Ele segurou meu braço. - Eu vou falar com você. - Ele começou a me puxar e nós fomos até a escada. Eles não estavam usando o andar de cima porque o de baixo já era gigante e não tinha porque usar. Tinham várias portas e eu vi uma aberta, parecia um... quarto? Ele segurou a porta e fez sinal para mim entrar, eu estranhei mais acabei entrando. Ele fechou a porta e eu vi ele trancou. Ele virou e cruzou os braços de novo, se encostou na porta e ficou me analisando durante um tempo.
- Me trouxe aqui para ficar me olhando? Avisa. - Ele revirou os olhos.
- A gente precisa se resolver.
- Já nos resolvemos, cada um está seguindo sua vida. Todos estamos felizes. - Forcei um sorriso.
- Você não me engana Rebecca.
- Odeio quando me chamam assim, meu nome é Becky. B-E-C-K-Y. - Ele deu de ombros.
- Olha só, vou ser rápido, não quero tirar o tempo da `` diva da capricho ´´. - Eu joguei meu cabelo para o lado.
- Aqui é outro nível meu amor. - Disse fazendo uma voz sexy. Ele sorriu de canto e se desencostou da porta se aproximando.
- Não provoca.
- Está legal. - Sentei em uma poltrona que havia atrás de mim na qual ficava encostada nas cortinas. - Fala logo.
- Becky, você sabe que eu não tenho quase nada para dizer... - Eu levantei.
- Atá, então você vai me ouvir. - Fui para mais perto dele. - Primeiro, você fala que está apaixonado por mim, me pede em namoro. Sabe porque eu aceitei Justin? Por que eu não só sou apaixonado por você como amo você! - Ele me olhava com atenção, não tirava seu foco de mim. Umedeceu os lábios e fez sinal para que eu continuasse.

                  

- Eu... Eu acho que passei o melhor tempo da minha vida com você, fui nos lugares mais legais, me diverti tanto e parece que pra você não foi nada!
- Você sabe muito bem que não foi nada!
- Parece que sim porque... Você me traiu. - Doeu muito dizer aquilo, e o pior não é nem dizer, e sim saber que foi verdade. - E mentiu. - Sussurrei vendo que ele mantinha a cabeça abaixada e pela primeira vez pude ver seus olhos embaixo dos óculos essa noite.

               

- Eu tinha bebido muito aquela noite Becky... Eu não queria fazer aquilo, eu me arrependo até hoje, até agora! Você sabe que eu amo você, nenhuma outra garota. - Dessa vez foi ele que se aproximou. - Eu só queria poder voltar no tempo, não ter ido para aquela boate... - Eu comprimi os lábios e fiquei encarando os óculos dele, porque os olhos já não estavam mais visíveis. - Por favor Becky, me dá uma segunda chance. Uma segunda chance para fazer você feliz, para me fazer feliz! - Ele se aproximou de novo. - Me dá uma segunda chance para mim mostrar que aquilo foi um erro, um acidente que nunca vai acontecer.

Eu abaixei minha cabeça pensando... Será que é verdade? Eu o amo tanto, não quero que ele simplesmente brinque com meus sentimentos. Eu percebi que ele tirou os óculos e olhava atentamente para mim. Quando eu tive a visão perfeita dos olhos dele foi como se o mundo tivesse parado e apenas nós dois estávamos um universo paralelo. Não queria entregar logo tudo para ele, então eu respirei fundo e disse roçando o salto do meu sapato na perna:

- Posso pelo menos pensar?
- Claro. - Ele sorriu. Ficamos alguns segundo em silêncio.
- Acho melhor eu ir.
- Vai primeiro, eu vou ficar aqui se não vão estranhar. - Eu assenti saindo do quarto e antes de subir da porta dei uma olhada para trás.
Como eu amo você, pensei.

Quando cheguei ao andar de baixo achei Sophia e disse que não estava bem. Ela disse que também estava enjoada, então eu me despedi de todos e fui embora com Sophia. Nos já tínhamos combinado na começo da semana que iria para o sitio de meus pais esse final de semana e eu achei aquilo ótimo por poderia pensar com mais calma.

Chegando em casa tomei um banho e tirei a maquiagem, coloquei um pijama solto e cai na cama.

---------------------------------------------------------------------------------------------------
Nossa, nossa hein! Eu juro por Deus que nunca fiz capítulo tão grande, que sorte a de vocês... Bom, eu não tenho muito oque falar aqui. Só queria agradecer pelas visualizações que o blog vem tendo dês do começo... Vocês é que me fazem escrever todos os dias :) beijo.

                               






                                       





27.9.13

Oath 17º Capítulo - `` Eu só não quero me machucar de novo. ´´


                              


                           Oath 17º Capítulo - ``  Eu só não quero me machucar de novo.  ´´
                     1 semana depois...

Eles me deram mais 1 semana para aproveitar meu cabelo ruivo ( caso eu quisesse, eu concordei ). Tirei tantas fotos que a memoria do meu celular encheu. Postei tudo no Instagram e depois apaguei as que haviam no meu celular...

No final, quando sai daquele camarim e vi meu cabelo castanho quase tive um infarto de felicidade. Cara, eu fiquei tão linda! Aproveitei e fiz um vídeo para o Instagram.

Eu realmente gostei muito do resultado! Aproveitei que Sophia foi ao banheiro e fiz um vídeozinho para o Instagram só para mostrar o resultado mesmo.

http://instagram.com/p/durYYWSWXf/ `` Obrigada Sarah, eu amei meu cabelo, ficou do jeitinho que eu queria ´´

Tinham alguns modelos na sala e começaram a fazer danças estranhas e a partir do espelho pude ver e ri. Eu havia trocado de roupa pois iria com Sophia na praia aonde iria encontrar Diogo, Moíses e Lucas. Mesmo com um pouco de receio de encontrar Justin por lá... É, ele desembarcou ontem de tarde no Rio.

Eu fui tão forte nesses últimos tempos, sei que se ele voltar tudo vai por água abaixo. E isso não pode acontecer, eu tenho que continuar forte. O meu coração continua com uma ferida que eu tenho certeza que nunca vai ser cicatrizada.

As vezes eu ainda chorava de madrugada ouvindo Pray. Pensando em como seria diferente se ele não tivesse me traído...

Quando terminei de colocar o maio, coloquei meu vestido por cima e calcei minha sapatilhas. Fiquem em modesta parte bonita. Sophia deixou no carro antes de virmos o protetor solar em spray e toalhas. Quando chegarmos na praia só precisávamos alugar as cadeiras e um guarda-sol... Sai do camarim e a Sophia estava me esperando sentada em um sofá.

- Vamos? - Perguntei. Ela assentiu levantando e pegando a chave do carro. Deixei meu celular desligado, porque minha mãe começou a me ligar todos os dias dessa semana sem querer saber oque eu havia feito, se eu estava gostando do trabalho, meu cabelo... Ela só perguntava sobre o Justin! E eu já estava começando a ficar nervosa comigo, ela estava mais preocupada em saber se eu ainda gostava dele, se eu ainda era apaixonada por ele, se eu ainda o amava... Saber de mim que é bom nada!

Quando chegamos na praia, eu estacionei o carro ao do outro lado da rua. Eu sai dele e tirei minhas sapatilhas e calcei as Havaianas. Sophia colocou o protetor em spray na bolsa e as toalhas. Eu fui em um dos quiosques e aluguei as 5 cadeiras. Liguei meu celular só para avisar ao Diogo aonde estávamos e depois desliguei de novo. A praia de Copacabana nunca fica muito cheia, pois só vão ali os atores, atrizes e essas coisas... Só vou nela mesmo por que é a praia mais próxima ao meu emprego e a minha casa. Eu e Sophia achamos o lugar perfeito depois de caminhar um pouco, ajeitei as cadeiras e com a ajuda de um homem que trabalha no quiosque arrumamos os dois guarda-sois. Sentei na cadeira e tirei meu vestido. Dobrei ele e o coloquei dentro da bolsa. Passei o protetor solar e liguei meu celular pegando os fones dentro da bolsa.

Fiquei ouvindo música durante bom tempo, só tirei meu foco quando os garotos chegarem. Levantei e cumprimentei eles se sentaram com a gente. Eu pedi um coquetel de frutas no quiosque sem alcool pois quem iria dirigir era eu... Ficamos conversando até a hora em que Diogo nos convidou para ir na água. Eu vi que não tinham muitas ondas hoje e que tinha também pouca gente, mais mesmo assim não queria.

- Ah, quem sabe depois? - Me recostei na cadeira.
- Becky, eu preciso falar com você... Vamos? - Sophia me puxou me fazendo levantar. Eu já estava sem os chinelos e percebi que ela também. Então ela me levou para perto da água.
- Fala.
- Eu vi o Justin.
- Ah, não... - Abaixei minha cabeça.
- Você acha que eu não estou sabendo daquelas suas conversar com a sua mãe? Admiti que você ama ele logo e para de drama, por favor.
- É que... Agora que meu coração já está cicatrizando... Eu só não quero me machucar de novo.

POV Justin

Eu cheguei de São Paulo ontem acabado. Nessa semana eu fui em tanta boate e clube que perdi até os nomes. Eu dormi até umas 2 horas da tarde, eu estava bem cansado mesmo. Eu recebi no meio da semana um convite da tal revista Capricho para um festa que vai ter um outro clube no Rio de Janeiro, e como a Becky trabalha lá tudo vai ocorrer do jeito que eu planejei.

Depois de tomar café da manhã eu fui para a praia junto com os moleques. E quem eu encontro lá? Pois é. Rebecca Vulcanos Castellino de maio. Eu confesso que fiquei morrendo de vontade agarrar ela ali mesmo mais eu tinha que seguir um plano. Também fiquei morrendo de raiva com percebi que a Sophia me viu e contou para  Becky e fiquei com mais raiva ainda quando percebi que um dos cara que estavam com elas estava dando em cima da Becky.

Eu já sai com tantas modelos na minha vida, já consegui conquistar tanta mulheres mais mesmo assim eu estou com duvida sobre a Becky.... Ela era tão diferente das outras garotas. Todas em que eu estive até hoje foram compradas, mais a Becky? Eu tive que conquistar ela. E ainda pior faz birra para ver quem vai pagar. Mais oque realmente mais me atraia nela e o sorriso... Tenho certeza que ela conquista qualquer homem sorrindo.

Eu também percebi que ela já pintou o cabelo e ficou mais perfeita ainda...

Eu preciso conquistar essa mulher de qualquer jeito. Não importa oque eu tenha que fazer para ter ela de volta.

--------------------------------------------------------------------------------------------------
Olha, eu consegui postar esse capítulo. O que significa que eu não fiquei de castigo ( ainda ). É por que não contei para meus pais e também não fui para a escola hoje. Eu estou morrendo de medo! Alguém ai tem um concelho para me dar? rs Espero que tenham gostado desse capítulo que eu sei que ficou uma merda, beijo.

                 

Divulgando um blog divo para vocês: http://heartattackfanficsjb.blogspot.com.br/ visitem, vocês vão amar, eu amei <3


                                     

Oath 16º Capítulo - `` A partir de hoje minha vida vai mudar ´´


                              
                                                   

Oi! Aqui está mais um capítulo! Obrigada por comentarem, continuem assim que eu vou ficar muito feliz do que eu já sou. Espero que gostem desse capítulo, eu fiz ele 1 hora antes de me arrumar para a escola!

               Oath 16º Capítulo -  `` A partir de hoje minha vida vai mudar ´´

- A gente não terminou. Demos um tempinho porque eu fui para São Paulo. - Ela disse antes de dar mais um selinho nele que por educação levantou e me cumprimentou com beijinhos no rosto.
- Prazer conhecer você Filipe. - Sorri.

- O prazer é todo meu.
- Sabe oque eu fiquei sabendo Becky? - Eu acenei com a cabeça para ela falar e sentei em uma poltrona. - O Justin desembarcou hoje em São Paulo.

- Espero que ele fique por lá. - Falei mais para mim do que para ela.
- Atá! Ele deve ter ido para lá procurar por você! Quando ele d... - Meu celular interrompeu a explicação dela. Olhei o visor e vi que era minha mãe.
- Minha mãe, mas... - Atendi ao telefone.

Filha?
- Pode falar. - Ouvi um eco. - Ei, que eco foi esse?
- É que eu estou na academia. - Ela gaguejou, hum.
- Atá. Então... porque ligou?
- Eu preciso falar com você, é importante. Você está com alguém ai? - Pedi licença e subi para meu quarto.
- Agora não. Mais... é tão importante mesmo? Eu acabei de voltar da praia! Você não vai acreditar. Eu conheci o novo colírio da Capricho! Ele é tão lindinho. Fiquei com vontade de trazer ele para casa.
- Ok, depois você me conta, mais oque eu tenho para falar é muito importante.
- Pode falar. - Me joguei na minha cama e ela começou a falar.

Sabe oque ela me falou? Você não vai acreditar. Ela começou a falar sobre o Justin. Se eu tinha certeza de que queria ficar longe dele mesmo, se eu realmente não gostava mais dele, se eu não era mais apaixonada por ele. Sabe oque eu respondi? Eu fui bem verdadeira. Nunca menti para minha mãe e não seria agora que eu iria mentir.

Sabe mãe... Eu não vou mentir. Você sabe o quanto eu sofri sem ele! Mais é claro que eu gosto dele ainda, gosto não eu... eu ainda sou totalmente apaixonada por ele. Mais eu não sou correspondida, entende?

POV Justin

Como assim não é correspondida? A Rebecca só pode estar brincando comigo! Eu venho para a casa dela, peço para a mãe dela me ajudar a ter a minha pequena de volta e ela fala que não é correspondida? Eu vou passar 1 semana aqui em São Paulo e depois vou para o Rio. Tenho que pensar em plano para pegar ela de volta.

E qual era aquela história de colírio da Capricho que ela queria levar para casa? Hum.

- Espero que eu tenha ajudado Justin. - A mãe dela disse apos desligar o telefone. A mãe dela era igualzinha a Rebecca cara, até o corpo. A Rebecca podia ser um clone dela só que um pouco mais jovem.
- A senhora ajudou muito!
- Ah, por favor, não me chame de senhora, eu me sinto muito velha. Me chame de Lea.
- Como quiser Lea. - Sorri.
- Não sei como minha filhinha não perdoo um menino tão angelical como você. - Alfredo e Chaz riram.
- Eu também não.

- Convencido. - Chaz zombou.
- Enfim, nós temos que ir para o hotel nos instalar. Obrigada mesmo Lea! - Me despedi dela com um beijo no rosto. Chaz e Alfredo fizeram o mesmo.

Voltamos para o hotel e eu não arrumei as malas no armário porque só iria passar 1 semana aqui mesmo então não tinha motivos algum para arrumar tudo aquilo.

Tomei um banho longo e coloquei um boxer preta. Cai na cama sem menos secar o cabelo. Amanhã quero ver como ele vai acordar!

POV Becky

Que mundo eu estou hein? Lógico que o Justin foi fazer a cabeça dela para que ela falasse aquelas coisas para mim! Jogo baixo. Aquela bicha oxigenada vai ver só.

Acordei cedo para me arrumar. Fiz hidratação no meu cabelo e no meu rosto. Fiquei longas horas na banheira e depois fui para o chuveiro. Acordei a Sophia que fez uma escova perfeita no meu cabelo. Me arrumei e fiz minha maquiagem. Fui para a frente do espelho e tirei uma foto para o Instagram.

                            
                                    Partiu capricho! Obrigado por me darem essa chance.
     
Desci as escadas e vi que Keyla acabara de arrumar a mesa de café da manhã. Me sentei e comi uma salada de frutas. Fui escovar meus dentes. Quando vi que Sophia já estava pronta. Aproveitei a deixa e puxei ela para tirar uma foto.

                              
                              [/* becky é a ruiva ( avá ) e a sophia é a morena \*]

Não colocamos legenda. Peguei a chave do carro e nós duas partimos para a central da Capricho.

[...]

Depois de dar a chave do carro para o manobrista nós duas entramos no prédio. Fomos até o balcão da recepcionista e ela perguntou meu nome, porque a Sophia ela já conhecia. Quando terminei de dizer meu nome ela disse:

- Ah, então é você a nova diva da Capricho? - Tá, eu não sabia que iria ser diva também. - O diretor Gabriel fez uma palestra de 2 horas falando de você. Eu acho que ele virou uma mosquinha e foi fuçar a sua vida porque eu nunca vi um ser humano saber tanto sobre uma garota que nem conhece. - Eu dei de ombros. Eles devem conhecer todo mundo. Ela nós deu um crachá que dava a permissão para subir.

Fomos para o vigésimo sexto andar. Estavam me esperando para uma reunião. A Sophia foi me guiando e explicando tudo e eu fiquei muito feliz quando todos acenavam para mim sem ao menos me conhecer. Entramos na tal sala da reunião e como previsto uma mesa gigante com várias pessoas sentada em volta.

                         

Eu segui as pessoas sentadas nela vendo o Diogo e seus amigos que sorriram ao me ver. Tinham várias pessoas e lá no final em pé um totalmente incrivelmente gato! Aquele era o diretor Gabriel?  Ele era novo, parecia ter a idade do Diogo e seus amigos ( 19, 20 ). Ele veio até mim e me cumprimentou sorrindo. Fui até o Diogo e cumprimentei junto a Lucas e Moíses. Sentei ao lado da Sophia que foi liberada para me acompanhar na reunião pois estava meio nervosa. Eu deixei meu celular desligado caso minha mãe ligasse.

Para falar a verdade. A reunião foi bem tranquila. O Gabriel me deixou bem a vontade, se apresentou e eu vi que não era meu dia de sorte porque ele tinha 26 anos e era casado... Tudo bem, ele era bem legal e amizade entre homens e mulheres não é crime. Ele falou mostrou na televisão que tinha na parede da sala o meu blog do qual que teria que postar pelo menos uma vez por dia sobre moda, tutoriais ou oque eu quiser.
Ele também falou que eu teria que fazer um book de 100 fotos hoje.

- E tem também essa parte da qual eu não sei se você vai gostar, você não é obrigada a fazer, é só se você quiser. Nós todos achamos você linda assim mais do outro jeito vai ficar perfeita.
- Ela já é perfeita. - Diogo disse me fazendo corar.

- Que jeito? - Perguntei.
- Com o cabelo castanho. - Ele apertou um botão no controle dele e apareceu um photoshop meu com o cabelo castanho. Eu olhei bem analisei cada parte para ver se iria ficar bom mesmo. Olhei a cor do meu cabelo e vi que já deu. Ruivo saiu de moda.
- Eu topo. - Sorri.

- M-Mais Becky seu cabelo é tão lindo! Para quê pintar?
- Sei lá, eu fiquei tão linda. - Fiz uma expressão sonhadora olhando para a foto fazendo alguns rirem. - Eu gostei! Quando eu pinto?

- Hoje mesmo se você quiser!
- Ótimo. - Sorri. - Vai que o Justin não me reconhece mais. - Olhei para Sophia que riu.

A partir de hoje minha vida vai mudar. Vou ter meu emprego, amigos, um chefe legal e amigo. Espero que Justin desista de mim por mais que eu NÃO queira isso. Mais se for para ele me magoar de novo, eu prefiro que ele se afaste mesmo. Ele vai encontrar alguém que o faça realmente feliz.

-----------------------------------------------------------------------------------------------------
Oi, oi gente! Nossa, esse ficou grande hein... Espero que tenha bastante comentários para quando eu chegar da escola já poder postar o próximo, beijão!

                             




26.9.13

Oath 15º Capítulo - `` Capricho ´´


                            

Oi! Galerinha, eu tô amando muito os capítulo que eu estou fazendo de Oath! E vocês? O que estão achando? Não custa nada comentar certo? Vamos ao capítulo.

                                    Oath 15º Capítulo - `` Capricho ´´
                            Los Angeles, Fevereiro 11 mp
               


POV Justin

Não acredito que a deixei ir sem fazer nada. Agora que minha turnê acabou e ela me deixou vocês acham que eu vou desistir? Sinto em dizer que estão errados, amanhã mesmo eu vou com o Chaz, Ryan e o Alfredo para o Brasil para aproveitar as férias e conseguir a MINHA Becky de volta.

Eu me arrependo totalmente do que fiz aquela noite, mais fiquei muito tempo mal por causa disso. Desmaiei em 2 shows, passei mal em uns 5 e quase cancelei um 1. Sempre quando chegava ao hospital ninguém nunca sabia oque eu tinha mais eu sabia... Becky mexeu comigo de um jeito de nenhuma outra garota me mexeu.

Eu nunca desejei tanto uma garota quanto Becky. Preciso dela para mim. Não vou obriga-la a ficar comigo e sim conquista-la de novo. Tenho 3 meses de férias, tempo o suficiente para ela admitir que ainda é totalmente apaixonada por mim!

Eu não sou convencido, mais a gente passou tanto tempo junto! O olhar dela entregava tudo de bandeja para mim assim que me olhava. Não acho que é muito cedo para falar isso mais eu a amo. E eu preciso dela comigo.

POV Becky

Acordei um pouquinho mais cedo que o normal pois vou embarcar para o Rio de Janeiro junto com a Sophia hoje.

Claro que eu não parei de pensar nele. A cada segundo eu fico me torturando mais e mais pensando que um dia ele vai voltar atrás de mim, que iludida. Só queria poder voltar no tempo e perdoa-lo. Não foi culpa dela, colocaram droga em sua bebida. Eu sou uma idiota, ela disse que foi um acidente! Mais só em pensar que `` nós ´´ acabou doí muito.

Vou para o Rio de Janeiro porque recebi uma proposta da revista Capricho. Eles viram meus vídeos e minha fotos e disseram que eu tenho um estilo muito próprio e que precisam de uma garota como em blogs de moda. Eles também disseram que querem que eu seja uma das It Girls do Lookbook deles. Eu fiquei tão feliz, vou ter alguma coisa para fazer durante o dia. Eles também deixaram bem claro que não me chamaram por eu ser a ex-namorada do Justin e sim porque a Bruna Vieira é minha amiga e me indicou para ser nova blogueira.

Sai do banheiro encontrando Sophia com a câmera de vídeo na mão. Dês que voltamos de Nova York estamos fazendo um diário de melhor amigas em vídeo.

- E aí amiga, pronta? - Ela falou mostrando meu corpo para a câmera.
- Sim. - Sorri.
- Você está linda!
- Own, obrigada. Você que é linda. - Me olhei no espelho e me certifiquei de que estava bonita mesmo.

Aproveitei quando Sophia desligou a câmera depois de fazer uma `` mini entrevista ´´ comigo e tirei uma foto para o Instagram.

                                        
                                               Lá vamos nós para o Rio de Janeiro!

Arrumei meu documentos igual quando eu fiz antes de ir para Nova York. Só que desta vez eu não tive que levar só meus documentos, tive que levar todo o meu estúdio para lá bem antes porque... Eu vou morar no Rio de Janeiro.

Meu pai tem casa lá também. Ele quase sempre tem que ir por causa de gravações, então decidiu deixar já um lar pronto para quando precisar.

[...]

- Odeio despedidas. - Resmunguei antes de abraçar minha mãe pela milésima vez. - Vamos logo Sophia, já anunciaram a penúltima chamada.
- Vamos sim! - Sorriu. - Tchau senhor e senhora Vulcanos. Bye, bye princesa Maísa. - Acenou para todos. Nós fomos para a sala de embarque e antes de entrar demos mais um tchauzinho.

Sentamos nos nossos lugares e ficamos conversando sobre tudo, eu sabia que o Rio era uma cidade magnifica por já estive lá. Sophia pegou a câmera e nós gravamos um vídeo falando da Capricho e oque eu vou ser lá até que Sophia perguntou:

- Becky, ainda não está descendo para você?
- Infelizmente sim.
- Por que `` infelizmente ´´ ? Quem dera eu me livrar de menstruação.

Pois é, não descia para mim faz duas semanas. Mais eu não estou grávida sabe porque? Por que eu e Justin não tivemos nenhum tipo de relação sexual. Então eu estou preocupada com meu corpo porque nunca aconteceu isso antes! Estou meio assustada...

O voo foi tranquilo como todos os outros pelos quais já passei. Quando chegamos ao aeroporto do Rio e fizemos o check up e fomos até o guinche pegar nossas malas. Quando pegamos todas as malas a Sophia ligou para um taxi. O homem que dirigia nos ajudou a arrumar as malas no porta malas do carro. Eu dei o endereço do condomínio onde se localiza a casa de meu pai para o homem e o mesmo seguiu até lá.

No caminho passamos pela linda praia de Copacabana. Ele parou em um sinal e eu não resisti a linda paisagem e tirei uma foto do praia, logo em seguida postei no Instagram.

                                 
                                                 Não tem como não se encantar.

Quando chegamos a casa. A primeira coisa que fiz foi me instalar logo. Melhor não deixar nada para depois porque senão não vou fazer nunca. Era tanta roupa, parecia que eu passei a tarde inteira naquele closet.

Me sentei na poltrona e fiquei lá longos e deliciosos segundo até me levantar de novo e ir para o banheiro. Coloquei a banheira para encher e joguei um sais. Dei um saída do quarto e vi Sophia ainda arrumando as milhões de roupas dela, sim, ela iria morar comigo! Eu estava tão, tão feliz. Minha melhor amiga, vai morar comigo, que incrível!

Troquei algumas palavras com ela e depois voltei par ao banheiro de meu quarto. A banheira estava quase cheia, então me despi e prendi meu cabelo em coque e tirei meus óculos. Entrei dentro da banheira e me sentei. Soltei um suspiro de alivio, a água quente era ótima em um corpo cansado igual ao meu.

Fiquei na banheira até meus dedos enrugarem, oque demorou muito. Apos sair me sequei e coloque um short jeans junto a uma blusinha bege. Soltei meu cabelo e deitei na minha cama pronta para tirar mais uma foto para o Instagram.

                                    
                                              Agora é só descansar para amanhã!

Não aguentei ficar muito tempo deitada, logo desci as escadas e fui para a cozinha. Encontrei uma senhora cozinhando. Quando percebeu minha presença ela disse:

- Olá, eu sou a Keyla. Sou a caseira da casa. - Sorri.
- Atá. Eu sou...
- Rebecca. - Ela me interrompeu e sorriu.
- Por favor, me chama de Becky.
- Como quiser. - Ficamos em silêncio por alguns segundos. - Já conheci sua amiga Sophia. Ela saiu com um dos carros.
- Me deixou sozinha. - Sussurrei.
- Acho que você também deveria sair, o dia está lindo. - Pensei um pouco e vi que era isso que eu iria fazer mesmo.
- Obrigada pela dica! - Subi as escadas e calcei meus vans cinza. Coloquei meus óculos de sol e meu celular. Desci as escada e me despedi de Keyla dizendo que voltaria em pouco tempo. Mandei uma mensagem para Sophia avisando que sair e qualquer coisa era só me ligar. Ele respondeu com um `` Ok ´´ e eu estranhei. Ela sempre me respondia com um texto gigante.

Passei no drive-thru do Starbucks pois não tinha comido nada depois do voo. Só comi um lanche no avião então estava com fome. Comprei um suco de pêssego ( meu favorito ) e um donut de chocolate. Fui comendo no carro mesmo, bebi o suco e parei. Caminhei pela longa calçada de Copacabana até encontrar um garoto estranhamente conhecido.

- Ei, eu conheço você! - Ela disse se aproximando junto com seus amigos. Eu parei.
- Eu acho que também conheço você... Diogo né?
- Becky! - Ele me cumprimentou com um beijo no rosto eu cumprimentei seus outros amigos. Ele era o nome colírio da Capricho. Conversei com ele no Facebook algumas vezes. - Esse é o Lucas e o Moíses.

- Me chama de Moisá mesmo.
- Tudo bem. - Sorri.

No final eu acabei me sentando com eles em um quiosque da praia. Diogo era um garoto bem legal. Conversei bastante com ele e seus amigos. Trocamos número de celular... Ele disse que amanhã iria para a Capricho porque tinha que fazer um Photoshoot para o site. Eu disse que também teria que ir porque tinha que dar um entrevista. Ajudar o web designer a criar o meu blog e também teria que fazer um Photoshoot para o lookbook.

- Você tem potencial para ser a nova blogueira da Capricho, eu gostei muito de você. - Eu sorri envergonhada.
- Nós gostamos de você, precisamos nos encontrar mais vezes.

- Ah, sim. Com certeza vamos. É só marcar.
- Ótimo, próximo sábado. Na minha casa. Chama a Sophia ou mais algumas amigas suas. - Lucas disse.
- Eu acabei de me mudar para o Rio, minha única amiga é a Sophia... - Fiz desenhos imaginários na mesa com minha unha e sorri fraco. Não sabia me entrosar muito bem com as pessoas, esse garotos facilitaram muito as coisas para mim.

- Agora você tem amigos. - Felipe disse me fazendo sorrir. - E aliás você vai conhecer muitas outras garotas na Capricho, lá é bem legal! A Bruna Viera é um amor.
- Ela que me indicou para eles, sou muito agradecida. - Sorri.
- Eles vão ter sorte de ter você lá. Não é todo dia que encontram uma garota como você. Que tem beleza inferior e interior. - Eu acho que eu fiquei totalmente vermelha porque ele riu um pouco.
- Obrigada. - Peguei meu celular no bolso e verifiquei para ver se tinha alguma coisa. Mais só haviam algumas notificações de comentários e likes no Instagram.

- Galera, olha só is... Becky? - Moíses me olhou meio incrédulo. - Você não falou que cantava e mixava. - Vi que ele tinha acessado meu cover vídeo no youtube que eu vi que já tinha mais de 2 milhões de acessos.
- Eu esqueci desse detalhe. - Sorri.

- Você é boa! - Eles estavam ouvindo a música.
- Tem como comprar no iTunes? - Lucas perguntou.

- Não... Eu não achei que seria necessário.
- Acho que é sim porque a maioria dos comentários é pedindo isso. - Verifiquei e vi que era verdade.
- Vou ver se eu consigo. - Dei de ombros. Olhei para o lado e vi que o por do sol já estava próximo. - Galera, eu tenho que ir. - Disse me levantando.
- Mais já? - Felipe fez uma carinha triste e eu ri.
- Sim. Eu estou cansada, já está anoitecendo e eu não quero chegar na Capricho amanhã com cara de morta, certo? - Eles riram. Me despedi deles com beijinho no rosto e depois atravessei a rua pois deixei meu carro lá.

Quando cheguei em casa vi que Sophia já chegou pois o carro do qual ele saiu estava na garagem. Entrei na sala e me deparei com ela e o Filipe aos beijos.

- Mais você não tinham terminado? - Perguntei.

-----------------------------------------------------------------------------------------------------
E aí pessoal, continua ou para? Dessa vez eu quero comentários hein! Desculpa a demora,  é que domingo eu passei praticamente o dia inteiro fora e ontem entrei no computador só para imprimir um trabalho...

Lembre-se antes de fechar a página que você é importante e que não vai doer se você gostou e escrever um '' Continua '' , certo? Beijos.

                                               



 

©código base por Ana .