Image Map

15.10.13

Oath 26º Capítulo `` O Justin maconheiro? ´´


                              

Oi! Tudo bem pessoinhas lindas do meu coração? Espero que sim. Enfim, eu estou mais ansiosa que vocês para a festa do Justin, sério. Eu estou meio que perdida como se estivesse realmente planejando a festa. Me imaginem andando de um lado para o outro segurando uma prancheta, pois é, eu me imagino assim...
Eu também queria poder dar mais detalhes a vocês sobre a festa mais você vão ter que esperar... Mais 1 capítulo e a gente chega lá ok? Enjoy.

            Oath 26º Capítulo ``  O Justin maconheiro?  ´´
                   

2 dias depois...

Faltavam só 3 dias para o sábado, ou seja, o dia da festa. O Justin vivia desconfiado fazendo perguntas e eu tentava responder o minimo sem nenhum tipo de  `` dica ´´.
Todos os ônibus convocados já estavam lotados, ou seja, exatamente 720 Beliebers vão comparecer a festa sem falar nas que moram no Rio. Eu fiz as contas e vão ter exatamente 2.000 mil pessoas.
Eu nem estava preocupada, a chácara era gigante, o buffet tinha o triplo de comida então não iria faltar nada.
Todas as performances foram confirmadas então teríamos basicamente um festival de música. Sem falar que a Pattie, o Jeremy iriam vir para o Brasil junto com as crianças junto com o Christian, a Caitlin e o Scotter. Eu estava cada vez mais feliz esperando pela reação do Justin, como será que séria? Essa com certeza seria uma coisa que eu iria guardar para a vida toda.

- Mais Becky, se você já terminou de escrever a música e já colocou melodia você tem que gravar! - Sophia disse se referindo a música que eu escrevi para Justin, também como presente.
- Eu não quero gravar Sophia, vou cantar ao vivo e nunca mais. - Ela balançou a cabeça de um lado para o outro em desaprovação.
- Você não deveria.
- Mais como a música é minha, eu faço oque eu quiser com ela, certo?
- Certo. - Ela deu de ombros sentando em cima de suas pernas e mudando de canal compulsivamente, eu estava quase arrancando o controle de sua mão para ver se ela deixava em um canal só! - Mais além disso... - Ela virou a cabeça de volta para mim. - Esse gesto que você fez pelas fãs dele vou extremamente lindo, elas vão agradecer você eternamente. - Eu sorri de canto.
- Talvez.

Passamos a tarde inteira na sala assistindo a filmes e comendo besteiras enquanto - provavelmente - Justin estava no Bosque da Barra com os meninos, nem sei oque ela foi fazer lá. Ok, é um lugar lindo, eu amo ir lá para pensar sobre a vida e compor mais oque um garoto de 19 anos vai fazer lá? Andar? Ok de novo porque lá tem encontros diários de beliebers e segundo o site da Bieber Mania hoje tinha um encontro de beliebers/boy então lá estaria cheio.
Justin tinha me mandando uma mensagem a pouco tempo me chamando para ir com ele mais eu não respondi fingindo que estava dormindo. Pensei um pouco e acabei concordando em ir, respondi a mensagem dizendo que em 20 minutos chegava lá com a Sophia que concordou em ir.

Corri para meu quarto e adentrei o closet para tentar escolher algo descente para vestir por estava frio e oque eu mais tinha era moletom. Fiquei longos revirando todo meu armário várias vezes, desarrumando todo o meu armário e colocando tudo de novo. Quando vi já tinham se passando 20 minutos. Sophia entrou no quarto perguntou o porquê da minha demora e eu apontei para o meu armário e falei que não havia nada ali que me agradasse. Ela disse que eu tinha mais roupa que ela mesma e que tinha que ter alguma coisa que me agradasse. Depois disso ela entrou no meu closet e começou a revirar tudo mais uma vez, mais não foi que ela achou algo agradável mesmo? Ela me entregou as roupas com uma cara de: `` Nunca mais duvide de mim ´´. Fui para o banheiro e me troquei, me senti bem com oque vestia e segundo Sophia eu estava linda. Peguei meu iPod seguido de meus headphones e fui para a garagem.

A Sophia dirigiu até o Bosque da Barra que era `` próximo ´´ da minha casa ( um pouco distante para mandar a real ). Esse dois dias eu passei longe do Justin, tinha que trabalhar e sem falar que Diogo estava me evitando. Ontem eu fui para a Capricho e o encontrei lá...

Flashback on

Estava caminhando até a sala do Gabriel pois precisava entregar meu relatório da semana e avisei Diogo saindo do guarda-roupa. Eu estava aflita para falar com ele, então me aproximei sem que ele percebesse e acabei dando um susto nele.

- Diogo? - Ele virou em um pulo.
- Sim? - Seu tom era rude e sua expressão era de impaciência. Fiquei em silêncio durante um tempo pois parecia que as palavras fugiram de mim. Limpei a gargante e tomei minha postura.
- Por que você se afastou? Eu queria tanto falar com você e parecia que toda vez que você me via fugia. Está me evitando? - Ele mexeu no cabelo e me analisou.
- Não.
- Então, porque o afastamento, eu fiz algo a você?
- Eu só não quero mais me misturar com você Rebecca, seu namorado... - Ele revirou os olhos. - Não iria gostar. - Ele parou de falar mais eu fiquei o encarando esperando por mais alguma coisa, ele percebeu. - Só fica longe de mim, tudo bem? Acho que você já me machucou de mais. - Ele seguiu o corredor me deixando sozinha.

Fiquei parada ali por oque pareciam horas, dias, meses, anos... Eu só queria saber oque eu havia feito para deixa-lo tão frustrado. E `` machucar ´´ ele? O que eu fiz? Ele nunca demonstrou nenhum sinal de interesse em mim.
Ok, vou admitir. Eu já havia percebido que ele me olhava de um jeito diferente do qual ele não olhava para outras garotas. Os olhos dele tinham um brilho que eu só adquiria quando ele estava comigo, sem falar a tamanha educação que o garoto tinha perto de mim.
Eu senti lágrimas tomarem meu rosto e abaixei a cabeça. Ouvi passos e logo tinham várias pessoas a minha volta perguntando se eu estava bem, se eu estava passando mal, com dor... Outras traziam água essas coisas... Eu apenas dizia que estava bem. Fui para o banheiro e sequei minhas lágrimas, encarei meu reflexo durante minutos me perguntando oque tinha feito para ele me odiar tanto...
Entrei o relatório para o Gabriel e fui embora antes que eu me jogasse do último andar daquele edifício.

Eu sempre gostei do Diogo, como amigo claro. Só que se ele tivesse dito que gostava de mim antes que eu e o Justin reatássemos eu poderia dar uma chance a ele para ficar comigo mais... ele sempre ficava todo tímido perto de mim e os garotos me contavam que ele nunca parava de falar de mim! Como eu era boba... Se eu ao menos soubesse.
Eu passei o resto do dia mal com Sophia me consolando. Só que ela queria liga para o Justin e tudo oque eu menos queria e que outro garoto ficasse com raiva de mim. Por que eu já estava ciente de que se Justin soubesse que eu estava chorando por outro garoto ele iria surtar até saber que garoto é então pedi para que Sophia esquecesse esse assunto, mais ela disse que só iria se silenciar se eu prometesse que não iria chorar mais. Demorei na resposta mais prometi, em seguida sequei as lágrimas.

Se ele queria distancia de mim, tudo bem, eu não iria mais me aproximar dele. Mais tenho certeza que no final ele é quem vai se arrepender porque eu sempre fui uma grande amiga para ele e mesmo assim ele me tratou mau porque eu tenho namorado.
Não o odeio, mais tenho uma ponta de raiva pelo jeito que ele me tratou.

Flashback off 

Quando chegamos no Bosque da Barra já pudemos perceber a aglomeração. Não só de fãs como também de pessoas que iriam ali durante a semana para caminhar, levar os filhos para andar de bicicleta, ler em silêncio e apreciar a linda natureza que habitava naquele lugar. Peguei meus fones de ouvido e os deixei no meu pescoço, em seguida prendi meu cabelo em um rabo de cavalo, por estava frio e se ventasse ele não iria bagunçar.

Entramos no parque que - por mais clichê que seja - estava cheio de bolhas de sabão flutuando, crianças correndo com balões e andando de bicicleta. Adolescentes sentadas na raizes de árvores lendo `` A culpa é das estrelas ´´ , `` Fazendo meu filme ´´ , `` Minha vida fora de série ´´ entre outros...

Comecei a andar a procura do Justin até que Sophia chamou minha atenção apontando para perto do lago aonde se encontrava várias beliebers/boys sentados na grama e na frente deles também sentado Justin com um violão no colo. Mais por enquanto ele não cantava, apenas conversava com elas.
Eu dei a volta para ir por trás. Como meus óculos eram rosas provavelmente ninguém iria me reconhecer... eu acho.

Quando estava uns 5 passos do Justin já senti olhares sobre mim, claro que iriam saber quem eu sou, que burra! Tapei os olhos de Justin com as mãos antes que elas gritassem. Fiz sinal para Sophia perguntar `` Quem é? ´´ e assim ela fez.

- Odeio essa brincadeira. - Ele resmungou fazendo as fãs que o entendiam rirem. - Hum, Ryan, me ajuda? - Eu balancei minha cabeça e ele não o respondeu. - Que saudade da Selena... - Revirei os olhos e fiz cara de tédio. O Alfredo, Ryan e Chaz ficavam fazendo sinal para silenciarem as fãs que fizeram '' Awn ''. - Ô Becky, me ajuda? - Ele disse rindo e logo depois o lugar foi tomado pelas risadas das fãs dele.
- Não sabe brincar fica no útero. - Disse tirando as mãos de seus olhos.
- Na verdade. - Ele levantou. - Você que é tonta o bastante para eu achar que séria outra pessoa. - Ele segurou meu rosto com uma mão de cada lado e me beijou. Um beijo calmo, doce... Ele foi deslizando suas mãos devagar pelo meu corpo e entrelaçou elas na minha cintura. Encerrei o beijo com um selinho pois estávamos na frente de mais de 50 fãs dele. Fingi que meu celular vibrou e peguei ele, mais bem que tinha um mensagem da minha mãe.

Aquele barulho de mil e uma pessoas falando tomou o lugar então eu tive que me afastar. Minha mãe mandou a mensagem avisando que os fãs da Bahia, Minas Gerais e Ceará iriam vir hoje porque seriam dois dias de viagem e eu já sabia disso, eu até agradeci pelo meu pai ter conseguido arrumar o hotel bem antes. Olhei para o lado depois de um tempo e vi que Justin tirava fotos com fãs enquanto outras tiravam com Alfredo, Chaz, Ryan e Sophia... Eu estava sobrando. Quem dera ter o Diogo aqui para me acolher como ele sempre fazia quando me encontrava chorando por causa do Justin...

Eu olhava atentamente de longe para ter certeza que nenhuma das quais estavam ali comentariam sobre a festa dele mais parecesse que elas entendiam bem que era surpresa. Tirei meus fones de ouvido do pescoço e coloquei ele nas minha orelhas, pluguei no iPod que estava no meu outro bolso e coloquei a playlist toda para reproduzir... Começou com Gotta Be You que é do albúm Up All Night, mais como eu não gosto de todas as músicas desse albúm - só a maioria - eu achei melhor baixar só as músicas que eu gosto.

Estava entretida no iPod atualizando o Instagram várias vezes quando alguém cutuca meu ombro. Virei deparando-me com o Lucas.

- Oi. - Disse sorrindo e partindo para um abraço que foi retribuído junto ao beijo no pescoço que me fez estremecer.
- Tudo bem? - Ela perguntou. - Você parece... solitária.
- Eu estou bem. - Fiz expressão. - Solitária? É extremamente raro as pessoas dizerem isso para mim.
- Talvez seja porque você sempre está acompanhada. - Ele apontou para a Sophia e os meninos.
- É... talvez.
- Convencida. - Eu ri.
- Só um pouco. - Ele riu.
- Ouvindo oque? - Eu tinha me distraído e nem percebi que havia mudado de música.
- Feel This Moment.
- Essa é boa.
- É mesmo... - Concordei.
- Mais é do ano passado. - Ele se inclinou um pouco para falar.
- E qual é o problema?
- Nenhum... Mais você que é super moderna, iria gostar de ouvir as músicas do momento.
Heart AttackCome & Get ItSlow DownMade In The UsaTroublemakerLittle Things e outras... Vão ser lembradas sempre por mim, são músicas que eu amo muito. - Ele assentiu colocando as mãos dentro dos bolsos laterais do moletom que usava. - Um vento forte bateu e as folhas começaram a voar, dei graças por ter prendido meu cabelo no carro. Eu tinha abaixado para não entrar nenhum cisco no meu olho e quando levantei vi que o cabelo do Lucas tinha bagunçado completamente e com isso eu comecei a rir descontroladamente.
- Droga. - Ele começou a passar a mão pelo cabelo.
- Quem manda ter cachinhos. - Comecei a ajudar ele a arrumar o cabelo e tirar uns pedacinhos de folha que cairão.

- Becky? - Justin me chamou e eu virei.
- Sim? - Sorri. Ele virou um pouco para ver o Lucas e logo fez um expressão de alivio. Veio até nós e cumprimentou ele com aqueles toque de mão estranhos. - Justin?
- Sim? - Ele me imitou e eu revirei os olhos.
- Cadê os seus seguranças? Você sempre anda com eles e hoje... - Olhei em volta.
- Na verdade Becky, eles estão ali. - Ele apontou para um árvore aonde tinha um homem de preto. - Ali. - Ele apontou para um banco. - E ali. - Ele me virou e apontou para perto do lago.
- Por que distantes?
- Por que eu pedi um pouco de liberdade.
- Awn, coitado. Não tem liberdade. - Abracei ele que fez um bico do tamanho do mundo. Não resisti e o beijei.

- Então galera, eu tenho que ir.
- Mais já? - Disse me virando para ele.
- Pois é... - Ele coçou a cabeça. - Tenho que consolar um cara aí. - Na hora que fiquei com vontade de saber quem é esse `` cara ai ´´.

Mais e se fosse o Diogo? Depois daquela `` discussão ´´ ele ficou mal? Se arrependeu? Claro que eu iria perdoar ele no mesmo segundo em que ele se desculpasse ( caso se desculpasse ). Mesmo depois de tudo eu o desculparia porque o Diogo é um grande amigo que sempre me acolheu quando eu precisei sem falar que são poucas as pessoas que trazem a minha felicidade com um sorriso e fazem minha barriga girar com um olhar... NÃO, NÃO MESMO! Claro que eu não gosta do Diogo como uma paixão, ele só é... quer dizer, era meu amigo... Nunca temos e nunca vamos ter nada de especial. Talvez um dia ( se ele voltar a falar comigo, claro ) nós tenhamos uma amizade especial de beijar a bochecha, abraçar, andar de cavalinho ou um aperto na bunda mais... selinho, beijo de língua, quatro paredes e porta fechada, nunca.

- Becky? - Justin me acordou pois eu estava viajando longe. Balancei minha cabeça voltando para o mundo real. - No quê estava pensando?
- Nada. - Menti dando de ombros. Ele me olhou desconfiado mais logo deu de ombros também. - Tchau Lucas. - O abracei e ele fez o toque estranho com Justin de novo e logo saindo andando.
- Você não estava pensando em nada, no quê estava pensando?
- Por que quer tanto saber?
- Ah, esquece. Vem, vamos. - Ele pegou minha mão e me puxou para perto das fãs dele que agora estavam conversando.

Eu achei isso meio estranho, quer dizer, nós estamos no Brasil. Qualquer fã pulava em cima dele o beijava, abraçava e... Elas estavam tão calminhas. O tratavam como se fosse uma celebridade que elas viam todos os dias. Sem gritos. Apenas um `` I LOVE YOU ´´ com sotaque estranho e uma foto linda.
Ok, tinham algumas que choravam mais Justin acalmava elas com um beijo, um abraço e elas diziam que achavam que nunca iria conhece-lo e ele retribuía com um `` Never say Never ´´ e outro diziam que não estava acreditando que estavam que estava o conhecendo e ele dizia `` Believe ´´ me fazendo sorrir espontaneamente.

Sentamos no gramado junto as fãs novamente e começamos a conversar. A toda do Bieber Mania estava ali fazendo perguntas tanto para o Justin como também para mim, Sophia, Chaz, Ryan e Alfredo. Estava tão entretida que deixei meu celular de lado junto com meu iPod. Meu fones estavam pousados em meu pescoço enquanto eu prestava atenção no que a Deise falava.
Conseguia ver de canto os paparazzis `` escondidos ´´. Eles se misturavam no meio das pessoas mais como elas viam os seguranças do Justin não se aproximavam muito.

- Becky, oque é... - Ela começou a rir e eu já imaginava oque ela iria falar. - Jerry? - O lugar foi tomado por gargalhadas de todos, inclusive de Justin.
- Eu não sei. - Disse quando silenciaram um pouco. - Você sabe Justin? - Virei para ele que estava com os olhos lacrimejando de tanto rir. Ele dobrou o indicador e passou em baixo do olho.

- Yay, o brinquedo é seu. Você que tem que saber ué. - Eram tantas risadas que algumas pessoas olhavam para nós com uma cara estranhas. Alfredo, Ryan, Chaz e Sophia deitaram na grama de tanto rir. A Deise estava chorando e tinha outras que reclamavam de dor na barriga mais continuavam rindo. Ok, vou admitir, eu ri bastante também, fui a primeira a parar e respirar fundo.
- Eu... Eu não sei oque é. - Respirei fundo e sem querer mordi o canto do meu lábio enquanto colocava a minha franja atrás da orelha. Então tiveram vários `` Hum, sei ´´. Olhei para Sophia ao meu lado que estava com a câmera dela vendo algumas fotos. Ela abraçou seu corpo pois aparentava estar morrendo de frio.

- Já chega! Vou pegar outra blusa no carro, já volto. - Ela levantou e saiu andando.
- Becky?

- Sim? - Disse sorrindo para Deise que já olhou a pergunta no iPad que segurava e depois me olhou.
- Pode vir aqui?
- Claro. - Levantei e agachei ao seu lado lendo a pergunta que ela apontou. Comecei a rir. - Dá pro gasto. - Disse a fazendo rir. Estava escrito: `` O Justin é bom de cama? ´´
- Sério? Só... `` dá pro gasto? ´´. - Fui até o ouvido dela.
- Não, mentira. É muito bom. - Ela riu. Voltei a sentar ao lado do Justin que me encarava com uma interrogação na cara. Revirei os olhos e voltei a olhar para Deise.
- Becky, é verdade que você tem o cubo de That Power? - Como eles descobriram? Esse era meu segredo, meu tipo... Maior segredo. Eu iria sofrer bullying se soubessem disso.
- Como descobriram? - Olhei para Justin que coçou atrás da orelha e virou a cabeça para o outro lado. Eu decidi não discutir agora. Estávamos na frente de vários fãs e eu não queriam que achassem que aquilo acontecia com muita frequência. Respirei fundo e assenti. - Tenho sim. - Sorri. Vários `` Oh ´´ surgiram. - Inclusive, está no meu carro. - Peguei meu celular e mandei uma mensagem rápida para Sophia pedindo para ela trazer o cubo de ouro que guardava no porta luvas. Poderia vender aquilo por 200.000 mil reais.

- Como você conseguiu? - Um garoto que estava sentado na frente perguntou.
- Eu... Ah... Meu pai conseguiu na verdade.  - Sorri meio tímida. - Eu era muito chata, insisti tanto que ele que ele acabou comprando. Mais eu vou doar para um instituição. Eu não tenho mais porquê para ter ele.
- Justin... no clipe... o cubo era de ouro?

- Sim! Era muito pesado... - Ele abaixou a cabeça. - Eu não conseguia pegar ele.
- Becky, enquanto a Sophia não chega com o cubo deixa eu perguntar uma coisa que em vários sites brasileiros de famosos estão confirmando. - Assenti. - É verdade que você fez uma participação no filme que seu pai está dirigindo?

- Sim. É um garota que vai fazer intercâmbio, vai para a Inglaterra, conhece um cara lá e se apaixona, mais ela tem que voltar para estudar e o garoto tem que ficar. Eles tem uma especie de amor a distância, é bem legal! Logo vou ter que voltar para São Paulo, para terminar de gravar.
- Eu vou assistir esse filme, com certeza. Mais... eu não sabia que você era atriz.
- Eu não sou... quer dizer, não formada. Quando eu tinha 7 anos comecei a fazer teatro, ai com 10 anos eu fiz uma programa infantil durante 1 ano e depois minha mãe não deixou mais eu atuar para que eu dedicasse mais ao estudos. Mas quando eu completei 17 anos eu comecei o filme e vou fazer a faculdade de Artes Cênicas.

- Por que não me contou? - Sorri ironicamente para Justin.
- Pelo mesmo motivo do qual contou para suas fãs que eu tinha um cubo.

- Cheguei... Aí, alguém me ajuda. - Sophia estava segurando o cubo com a maior dificuldade do mundo. Eu sabia que aquele negocio era pesado. Levantei e peguei ele e coloquei em cima de meu braços como se fosse um bebê. Sentei de novo e o coloquei no gramado.
- Pega Justin. - Apontei para o cubo. Ele ficou meio receoso encarando o cubo como se fosse um monstro. Ele pegou o celular dele e tirou uma foto do cubo fazendo todos rirem, inclusive ele.

Ele finalmente decidiu se pegava ou corria. Mais eu achei que ele iria correr. Ele puxou o cubo com certa dificuldade mais quando colocou ele em suas mãos ficou analisando ele durante um tempo. Parecia que ele iria morrer pela cara de força que ele estava fazendo. Ele entregou o cubo para o Gustavo que - por mais que fosse meio magrelo - pegou o cubo numa boa. Ok, no começo ele deixou o braço escorregar algumas vezes mais se equilibrou.

Depois de quase todos verem o cubo eu deixei ele entre minhas pernas. Conversamos mais um pouco e quando eu vi já eram 5 horas da tarde. Algumas pessoas já tinham ido embora depois de se despedir de Justin e outras pareciam que iriam ficar até o final. Quando a Deise começou a perguntar sobre Selena para Justin vi seu tom de impaciência. Estava num tédio chato, lembrei-me de meus fones e os coloquei, mais um eu deixei atrás da minha orelha para poder ouvir oque ele respondia. Nada de interessante, respostas secas, tédio, chata, tédio, controladora, tédio, ciumenta, tédio, ronca, tédio, não chega aos meus pés, té... NÃO PERA!

- O que você disse?
- Disse que não chega aos seus pés, ou melhor, a verdade.
- Como você tem coragem de dizer isso depois de 2 anos de namoro? Se ela é tudo isso porque namoraram durante 2 anos? - Ele se aproximou.
- Já disse a você que homens tem suas necessidades? Pois é, com a minha idade só podia ter sexo fixo. Mais aí eu completei 18 anos e era praticamente independente. Traí ela ela com a Milyn e elas terminou comigo mais era tudo por marketing e eu sabia isso dês de o começo Becky. Selena queria fama, eu não fui o único que estava com ela só por uma coisa. - Ele sussurrou tudo aquilo no meu ouvido com uma voz rouca e sexy fazendo minha intimidade latejar. Ele deixou um beijo molhado no meu pescoço e depois voltou a prestar atenção no que a Deise falava e todos que estavam ali optaram por fingir que aquele clima estranho não surgiu do nada.

Quando eram umas 6 horas anunciei que iria embora. Me despedi de todos, todos mesmo! Desviei o beijo que Justin iria me dar na boca a deixei um beijo rápido no seus rosto fazendo que todos me olhem de boca aberta. Sai de lá com `` Skyscaper ´´ tocando no último volume em meus fones. Não consegui segurar e antes de entrar no carro as lágrimas já estavam escorrendo.



dá play aqui p vocês chorarem rçrçrçrç zoera


Como ele teve coragem de falar aquelas coisas para mim? Depois de tudo oque ele fez... Ele confirmou todos os fatos! Durante meses tentei colocar na minha cabeça que ele não havia traído Selena, que ele não havia fumado maconha, que ele não bebeu sizzurp que é uma bebida fatal... Eu não acredito que ele confirmou tudo aquilo. E ainda por cima, confirmou para mim.
Claro que ele sabe que eu fui ( sou belieber ), até porque fui no meet, no show e no camarim dele! Só porque eu virei namorada dele ele iria achar que eu iria agir diferente? Não iria querer o melhor para ele? Não iria chorar ao saber que ele usou drogas e transou com uma qualquer? Ele só pode ser louco...
Depois de perdoar ele, transar com ele, assumir que estávamos juntos, sofrer as criticas das fãs... Eu finalmente conheci o Justin de verdade? O Justin maconheiro? Eu não acredito. Eu sei que ele achava que as palavras não iria surgir efeito em mim mais surgiu, surgiu muito. Doeu saber aquelas coisas. Eu queria ter me afastado na hora em que ele se aproximou! Eu daria de tudo para voltar no tempo e nunca mais ouvir aquilo, nunca. Sophia disse que eu estava sendo infantil mais... Qualquer fã que o ama realmente choraria, se cortaria ao saber daquilo, e eu não fiz diferente.

Tranquei a porta do quarto e escorreguei por ela até o chão. Me encolhi e desabei totalmente. Socava o chão, bagunçava meus cabelos, puxava eles, soluçava... Gritava implorando por morte. Meus olhos já ardiam e minha cabeça estava explodindo. Levantei e cambaleei acidentalmente para o lado parecendo uma bêbada e bati na parede sem querer. Encontrei a porta do banheiro e acendi a luz fazendo meus olhos fritarem. Me acostumei com a claridade e mexi em todas as gavetas, revirei tudo até achar a lâmina que eu tanto procurava.
Ela era a única que poderia tirar minha dor, talvez me levar para um lugar aonde eu não sofra e nem chore por garotos... Um lugar aonde havia paz diferente desse mundo em que eu vivia hoje. Voltei para aonde eu estava sentada, ou seja, atrás da porta aonde menos tinha luz.

Fechei os olhos com força deixando mais lágrimas caírem enquanto eu deslizava a lamina pelo meu braço o rasgando. Era a primeira que eu fazia aquilo, nunca senti dor maior na minha vida. Abri meus olhos e doeu mais ainda enquanto eu via meu sangue escorrendo. Fechei meus olhos novamente para amenizar a dor que era bem pior quando eu tinha a visão completa daquilo.

Eu só pensava no Justin, no que nos vivemos juntos. Os nossos momentos sozinhos, o sorriso dele, seus olhos viciantes, sua boca rosada... Não importa em que situação eu esteja, eu sempre vou lembrar dele por ele simplesmente ser o amor da minha vida, o cara pelo qual sou apaixonada e sempre vou ser. Mas, por mas que doa admitir... O culpado da minha ação. Dos meus pulsos agora machucado e do meu coração estilhaçado.
Será que acabaria aqui? Agora? Eu, uma lâmina e sangue? Seria assim que eu iria acabar? Eu não conseguia pensar em meus pais, na Sophia... Nos meus amigos. Era o Justin, o Justin era o culpado daquilo. E eu preferia morrer ao admitir isso novamente. Eu nunca me senti tão mal na minha vida. Por que era tão difícil amar sem dor? VIVER sem dor? Por que a vida não podia ser perfeita igual aos filmes e livros? Por que a MINHA vida não podia ser perfeita?
A esse ponto eu só queria meu cargo de fã de volta e nunca ter me apaixonado por ele antes, para não sofrer tudo oque eu sofri do nosso primeiro beijo em diante.

Comecei a me sentir mais fraca, como se estivesse me esgotando, deixando minha alma sair do meu corpo... Meu corpo já estava totalmente mole. Em volta de mim um poça de sangue, minhas lágrimas e fios de meu cabelo que com certeza estavam uma bagunça, mais era com oque eu menos me importava.
Já não sentia meu corpo então larguei a lâmina depois do decimo corte. Estava tremendo, meu corpo gelado... Não havia mais cor na minha pele. Fui tombando minha cabeça devagar para o lado e tudo estava perdendo o foco... Bati minha cabeça em algo e meus olhos se fecharam por completo.

--------------------------------------------------------------------------------------------------
Ufa, terminei. Esse ficou grande hein! E olha que não tem nenhum tipo de gif, só um vídeo. Desculpa a demora e obrigada pelo comentários do capítulo anterior, podem verificar que eu respondi todos com conteúdo, mil beijos e até o próximo.

                                        

Um comentário :

 

©código base por Ana .