Image Map

18.10.13

Oath 27º Capítulo - `` A pessoa e certa é você ´´

                              

Oi! Gente, eu estava muito apreensiva aqui querendo saber se vocês gostaram do capítulo anterior... Quer dizer, eu trabalhei bastante nele, tinha muito texto e ele ficou grande simplesmente por isso. E como vocês sabem a opinião de vocês é muito importante para mim, então digam se gostaram ou não ou se faltou algo... Bom, aqui está o capítulo, espero que gostem!

         Oath 27º Capítulo - `` A pessoa e certa é você ´´

POV Justin

Já estava indo embora. Depois desse dia cheio com minhas fãs oque eu mais queria era tomar banho, deitar e dormir, se eu conseguisse porque... Eu não entendi muito bem a reação da Becky. Ela desviou um beijo meu.
Ok, aquelas coisas que eu contei para ela não foram nada leves mais também não tinham nada haver com ela, eu só espero que ela não tenha se sentindo ofendida. Se for preciso eu falo para ela que aquilo foi `` passado ´´ e que eu nunca mais fária aquilo, nunca mais fária aquilo com ela. Não quero mais magoar o amor da minha vida, eu espero que ela não tenha ficado brava.

Quando estava entrando no carro meu celular começou a tocar. Eu peguei ele no bolso enquanto sentava e vi que a chamada era da... Sophia.

- Justin? - Ela estava chorando, soluçando.
- O que foi Sophia? O que aconteceu?
- A Becky!
- A Becky oque caramba? - Me alterei um pouco fazendo os garotos me olharem assustados. Ele estavam sentados na minha frente. Como eu não sabia aonde era essa tal Bosque da Barra a gente veio com o motorista que era brasileiro e conhecia a cidade.
- Ela... ela sofreu um acidente. - Eu devo ter feito uma expressão de espanto porque os garotos começaram a perguntar se eu estava bem.
- Que a-acidente Sophia? O que aconteceu com a Becky? - Já estava aflito. Queria sair correndo daquele carro e ir para a casa da Becky.
- A Keyla estava indo até o quarto dela para ver se ela estava bem porque ele entrou em casa chorando. Mais quando ela chegou lá em cima tinha sangue embaixo da porta que estava trancada. Então nós chamamos o jardineiro e ele conseguiu abrir a porta e aí...
- E aí oque Sophia? - Gritei.
- Ela estava com o pulso todo cortado, estava branca, com o rosto molhado de choro e em volta dela uma poça de sangue. Ela parecia morta.
- Mais ela não está não né? Sophia, fala que isso é uma brincadeira de mal gosto da Becky, pelo amor de Deus. - Eu não estava acreditando naquilo, impossível.
- Não é brincadeira Justin! Você tem que vir para o hospital agora. O doutor disse que se eu não achar alguém com o mesmo tipo sanguíneo que o dela em menos de 48 horas ela entra em coma.
- E qual é o tipo sanguíneo dela?
- O positivo.
- Sophia, esse é o tipo sanguíneo da mãe dela... Eu lembro que quando eu cheguei no Brasil eu fui para a casa porque eu ela iria me ajudar a conseguir a Becky de volta e ela tinha acabo de voltar de uma clinica e deixou um ficha em cima da mesa e eu como sou curioso peguei e olhei.
- Droga! Olha o endereço do hospital é...

Eu comecei a ficar desesperado. O que eu iria fazer se minha Becky entrasse em coma? Eu não tinha a menor ideia do que fazer. Peguei o endereço do hospital com a Sophia e pedi para o motorista nos levar até lá, graças a Deus não era muito distante.
Quando cheguei me assustei com a quantidade de paparazzis que tinha lá. Eu iguei para o chefe da minha segurança e pedi para ele trazer o resto da seguranças se não eu não iria conseguir passar por ali nunca.

Os minutos foram passando dentro daquele carro com os garotos falando para mim ficar calmo porque a Becky era forte e vai ficar bem e eu estava tentando colocar isso na minha cabeça.
Mais e se ela não ficasse? Era oque me assombrava.
E se a culpa disse tudo for minha? Eu disse todas aquelas coisas para ela e ela interpretou errado, do jeito que a Becky é eu não duvido... Nem dá para acreditar que eu fiz ela se cortar, derramar o sangue dela. Por que eu fui dizer aquelas coisas para ela? Que tipo de namorado eu sou? Aquele que faz ela sofrer e chorar? Pra quê tanto dinheiro se eu não podia comprar uma maquina do tempo para poder voltar e nunca ter dito aquelas coisas para ela e continuar guardando para mim como sempre.  Eu acabei com a Becky. Ela sempre foi tão feliz. O sorriso dela pelo qual eu havia me apaixonado no dia em que a vi no shopping nunca mais foi o mesmo, eu fiz dela infeliz. Se eu pudesse voltar no tempo e fazer tudo de novo só que do jeito certo, aonde não haviam lágrimas, sangue, cortes, dor... sofrimento. Eu só queria fazer a Becky feliz e nem isso eu consigo fazer direito.
Que vontade incontrolável de me matar, matar qualquer pessoa! É tudo culpa do Twist. Se eu não tivesse entrado na onde dele nada disso teria acontecido. Filho da puta, fazer festa na minha casa ele gosta, porque ele não compra uma mansão pra ele e dá uma festa na casa dele?

Depois do que pareceu uma eternidade, mais na verdade foram 20 minutos eu sai daquele carro e meus tímpanos começaram a arder com o barulho das câmeras. Me abaixei no meio do seguranças enquanto ia até a entrado do hospital. Eram tantas perguntas, pessoas gritando, me insultando, parecia que minha cabeça iria explodir a qualquer segundo. Se não fosse Ryan e Chaz eu tinha dado um soco na cara de um paparazzi.
Quando entrei no hospital eu vi Sophia, sentada num canto chorando e do lado dela a Bruna, a Letícia e a Eduarda, pra quê tanta menina?

Eu fui até ela e a abracei. Apertei ela nos meus braços como se fosse a Becky ali. Imaginei Becky chorando por algo que a machucou muito e acabei me emocionando também.

- Não chora Justin... Ela vai ficar bem.
- É tudo culpa minha... Eu não deveria ter dito aquelas coisas. - Sentei no sofá ao lado da Sophia e os meninos depois de cumprimentarem elas sentaram no sofá da frente.
- Não é culpa sua. A Becky tem esse problema de sempre se preocupar demais com outros, ela parecesse que gosta de sentir a dor alheia! - Apoiei meu cotovelos nas perna e apoiei minha cabeça nas minha mãos olhando para o chão.
Era sim, tudo culpa minha, pensei.
- Ela vai ter que levar pontos? - Falei e me assustei com o fiasco de voz que saiu, limpei a garganta.
- Só nos cortes mais fundos. - Sophia disse. Eu assenti.

O tempo foi passando naquele hospital. Trocávamos poucas palavras uns com os outros e nada do médico vir dar UMA noticia se quer. Eu ficava cada vez mais impaciente e com medo de algo de ruim acontecer com a Becky. O que eu fui fazer da minha vida quando disse aquelas coisas para ela?
A culpa me rondava e eu não podia fazer nada, apenas chorar. Sophia tentava de todo jeito falar com a mãe da Becky mais parecia que estava fora de areá e quando ligava na casa dela o telefone tocava... tocava... e ninguém atendia, até que ela gritou:

Senhora Vulcanos? - Todos olhamos para ela com esperança mais parecia que cada vez mais que a Lea falava a Sophia ia abaixando o olhar e fazendo uma expressão decepcionada, trista, derrotada... - Mais ela está correndo risco de vida, pode entrar em coma... Como nós vamos fazer? - Lágrimas começaram a escorrer pelo rosto da Sophia e ela desligou o celular olhando para o chão. Todos nós começamos a perguntar ao mesmo tempo oque a Lea tinha dito. - A Lea está dentro de um avião, eu conseguia ligar para ela pelo Skype. Ela está... está indo para o Caribe gravar um filme junto com o marido dela.
- Não, não, não... - Abaixei a cabeça desabando novamente. Todos me abraçaram ao mesmo tempo, mais parecia que meu coração explodiu em mil pedaços e só a Becky poderia remenda-lo com magica. Peguei meu celular depois de um tempo para ver se conseguia me distrair mais as minhas interações estavam cheia de perguntas sobre a Becky e isso só me fez pior. Vi a tag em segundo nos mundiais: `` #PrayForBeckyVulcanos ´´ Dei retweet em várias pessoas que postavam a tag com frases bonitas sobre a Becky e twittei:

`` #PrayForBeckyVulcanos she's need :( ´´

[...]

É torturante passar a noite inteira num hospital sem ninguém para te dar noticiais. Eu estava quase invadindo os corredores daquele hospital a procura da Becky por todos os quartos. Se ela fosse entrar em coma mesmo eu quero ver ela uma última vez.
Eram 10 horas da manhã e finalmente um médico veio até nós.

- Responsável por... Rebecca Vulcanos? - Todos nós levantamos então ele decidiu falar para nós mesmo em vez de só a Sophia. - Bom... a Rebecca não reagiu a nenhum medicamento, os batimentos cardiacos dela estão muito fracos quase parando, se continuar assim sem nenhuma doação ela pode não só entrar em coma como em óbito. - Aquelas palavras saíram e foi como uma facada na barriga. Meu olhos se encheram novamente e as lágrimas escaparam.
Quando eu achei não haviam mais esperanças pois a Lea tinha entrado em contato novamente e disse que o próximo voo do Caribe para o Brasil só iria sair de noite. Uma gritaria veio da saída do hospital interrompendo meus pensamentos que estavam a procura de uma solução rápida. Eu virei para ver oque era e quando aquela sonsa entrou pela porta eu fiquei estático, oque a Selena estava fazendo aqui?

- Eu sou O positivo, eu doo meu sangue para a Becky. - Ela disse tirando os óculos e me encarando. - Tenho certeza que ela fez isso por sua causa, parece que você não se cansa de machucar a garota! Ela tem só 18 anos e igual a mim e a você e a todos aqui ela tem sentimentos.
- Selena, certo? - O médico disse e ela mudou sua expressão brava para um sorriso de canto, e assenti. - Me acompanhe por favor. - Ela o seguiu pelo corredor. Todos pegaram os celulares inclusive eu.

Ela embarcou de madrugada, 2 horas da manhã. Ela também terminou a Stars Dance Tour a algumas semanas então estava de férias. Ninguém sabia para aonde ela estava indo até ela desembarcar no Brasil junto com o seu agente. Com certeza deve ser saído no TMZ que a Becky sofreu um acidente e a Selena viu, será que foi por isso que ela veio? Doar sangue a Becky?
Todos ficaram com uma interrogação no rosto quando a Selena voltou abaixando a manga da blusa, provavelmente cobrindo o curativo redondo.

- Eles vão injetar o sangue nela daqui uns 20 minutos. - Ela sorriu para todos e me fuzilou com o olhar. Levantei novamente e puxei ela para um canto.
- O que você faz aqui?
- Ajudando a Becky. Ela é uma ótima pessoa, eu só quero o melhor para ela e ela também deveria querer o melhor para ela e terminar com você Bieber. Eu tenho certeza que a Becky é uma garota inteligente e você não a merece.
- E quem é você para falar isso? A garota que queria marketing? Vai aproveitar a fama dela também por namorar o Justin Bieber? Quando que você vai ter vergonha na cara o suficiente?
- Eu não quero droga de marketing Justin! - Ela gritou sussurrando e olhando para os os lados. - Dês do dia em que você me traiu oque eu mais queria era ficar longe de você e...
- Mais você nem se importou porque aceitou a nossa separação numa boa.
- Por que eu namorei com você durante 2 anos, eu fiquei bem mais famosa, não precisava mais de você. Estava arrumando um motivo para terminar com você e você facilitou tudo, esqueci de agradecer, obrigada. - Sorriu e eu fiquei com vontade de dar um soco nela. - Mais você acha que eu também não sei que você me usou para conseguir sexo? Desculpa Justin, não sou burra. Mais além de tudo... - Ela me olhou solidária. - Eu me arrependo muito, cada dia eu tento ser mais verdadeira com meus fãs, porque eu amo eles e eu sei oque a Becky deve estar sofrendo e quero ajuda-la, ser sua amiga! - Eu abaixei a cabeça pensando no que ela disse.
- É verdade? - Levantei um pouco a cabeça.
- Claro que sim! Todos dizem que ela é uma garota incrível, além de ser linda e... gostosa. - Ela riu. - Eu prometo que vou ser verdadeira com ela. - Ela sorriu, e esse sorriso era sincero. - O médico pediu para que vocês fossem para casa, tomar um banho e dormir um pouco. Ele me prometeu que até o final do dia Becky já teria acordado. - Eu pensei um pouco mais acabei assentindo.
- Obrigada. - Disse baixinho para que só ela ouvisse e sai dali.

Fui para perto do pessoal e falei que iria para o hotel tomar um banho rápido e tirar um cochilo pois estava quase dormindo em pé. Me despedi da Sophia e sai. Selena disse que havia dormido no avião e que quando chegou tomou banho, então iria ficar de plantão junto com o agente dela.

POV Selena

Eu não menti. Eu realmente acho que eu e a Becky podemos ser amigas, eu QUERO ser amiga dela. Doei o sangue como um gesto de confiança, mais mesmo que não gostasse dela fária isso, não sou tão ruim a ponto de deixar uma pessoa morrer quando tenho a solução dentro de mim.
A Becky parece ser uma boa garota e eu adoraria ser sua amiga, se não não viria da Argentina até aqui, mais eu sei que no final de tudo vai valer a pena.

Estávamos já a umas 4 horas no médico. Eu peguei meu notebook no carro e ficava passando o tempo nas redes sociais. Meus fãs já sabiam que eu estava no Brasil e alguns fãs da Becky e as Beliebers me agradeciam por ter ajudado ela pois se acontecesse algo elas não tinham ideia de como Justin iria reagir, mais não séria algo bom. Oh, com certeza não.
Eu estava realmente preocupada com a Becky. E se não desse certo? Claro que vai dar Selena, o médico prometeu a você que ela iria ficar bem, tenha pensamentos positivos e tudo vai ficar melhor ainda!
Quando eu já estava com tédio, sem nada para fazer e sem esperanças por causa da demora o médico veio a té mim, pois já sabia que eu estava na `` guarda ´´ da Becky.

- Senhorita Selena, a Becky acordou. Ela está um pouco tonta por causa dos medicamentos, voltou a reagir e os batimentos cardíacos dela estão ótimos. Se você quiser eu posso acompanha-la até o quarto dela. - Eu assenti fechando o notebook e levantando. Ele foi até o elevador e entrou junto comigo, aperto o botão do quinto andar.
Quando chegamos lá andamos até o final do corredor e o penúltimo quarto era o da Becky. Entrei lá dentro e fechei a porta. Virei e ela fez um cara de espanto, eu sorri.

- S-Selena, oque você está fazendo aqui?
- Becky, eu vou explicar tudo. Só... fica calma, por favor. - Sentei-me na cama ao lado dela e peguei sua mão. Comecei a contar tudo oque eu sabia e que Sophia havia me contado por mensagem, pois havia me dado o seu número caso acontecesse algo. A cada palavra que eu dizia ela ia assentindo.
- Eu  não acredito que você veio da Argentina só para me doar sangue... Muito obrigada, obrigada mesmo! Eu não sei oque aconteceria se você não tivesse vindo... Minha mãe estava no Caribe e eu poderia ter morrido.
- Ei, não pensa nisso. - Apertei um pouco a mão dela. - O que importa é que está tudo bem, esquece o passado, ok? - Ela assentiu comprimindo os lábios. Alguém bateu na porta. Eu levantei e fui ver quem era dando de cara um garoto meio alto com o cabelo castanho.

- Selena Gomez? - Ele fez uma expressão confusa, eu assenti.
- E você é?
- Um amigo da Becky, Diogo. - Ele estendeu a mão e eu o cumprimentei.
- Ah, ok. - Disse saindo para que eles conversassem sozinho. Ele entrou e eu fui em direção ao elevador.

POV Becky

A Selena levantou para ver quem era na porta, em seguida o Diogo entrou. NÃO PERA! O Diogo? O que ela estava fazendo aqui? Depois daquele dia eu pensei que ele iria me odiar para sempre mais não. Ele estava segurando uma única rosa vermelha na mão e deixava aquela sorrisinho tímido de sempre no rosto. Usava um moletom da Hollister, calça jeans e um par de all-stars.

- Oi Becky. - Ele disse baixinho e se aproximando.
- Oi. - Sussurrei.
- Eu posso conversar com você? Vai ser rápido, eu prometo. - Eu assenti ainda meio contrariada. Vai que ele esqueceu de falar algo aquele dia. - Eu me arrependi aquele dia de ter dito aquelas coisas para você. Era tudo mentira, eu só estava com ciúmes de você e do Justin e com inveja do Justin por ter você porque... porque eu amo você e queria ter você para mim Becky, mais você é dele. - Sorriu me entregando a rosa que eu peguei, eu retribui o sorriso.
- Está tudo bem, eu não culpo você, eu já senti isso antes... - Balancei minha cabeça esquecendo a cena. - Mais eu quero que você saiba que eu também amo você, mais como amigo. Eu prometo para você que você vai achar alguém bem melhor que eu, que faça você feliz. - Ele assentiu olhando para o chão.
- Eu acho isso impossível, mais eu acredito em você.
- Nada é impossível. - Ficamos alguns minutos em silêncio até que o celular dele vibra. Ele olhou a mensagem e pareceu decepcionado.
- Eu tenho que ir. - Ele olhou para mim. - Almoço em família. - Revirou os olhos e eu ri.
- Entendo.
- Eu conversei com seu médico, lá embaixo. Ele disse que você vai ter alta amanhã de manhã. Ele só tem que fazer mais alguns exames para ver se você está totalmente bem e não vai ter uma recaída. - Eu assenti. Ele veio até mim e beijou o canto da minha boca e sorriu. - Fica bem princesa. - Ele estava indo até a porta mais eu o chamei fazendo ele virar. - Sim?
- Não deixa o Justin entrar, por favor. - Ele começou a me perguntar porquê e então sentou na cama em quanto eu contava oque aconteceu. Eu podia desabafar com ele porque ele sabe guardar segredo, é um bom amigo.

POV Selena

Quando cheguei na recepção do hospital já estava todo mundo lá, todos doidos para falarem com a Becky. Fui até eles e disse que a Becky estava conversando com um amigo dele e que depois o médico deixava todo mundo subir. Começaram a me perguntar se ela estava bem e eu disse que sim que o transplante de sangue deu certo e ela vai receber a alta amanhã. A Sophia fez uma cara de alivio e depois me puxou para um canto enquanto Justin conversava com o Chaz.

- O que foi? - Perguntei.
- Sábado é aniversário do Justin e a Becky alugou uma chácara, contratou buffet, alugou ônibus para virem dos estados mais populosos do Brasil com fãs do Justin, alugou dois hotéis para confortar as fãs sem falar que as pulseirinhas com a passagem tem um número que vai estar valendo um prêmio. E que ela falou para o chefe dela conseguir atrações para a festa dele. - Eu fiquei impressionada.

A garota além de ser legal, bonita e gostosa. É rica e quem saber de todo mundo feliz! Eu admito que nunca fária isso pois nunca passaria pela minha cabeça fazer isso mas eu a apoio. Isso é uma boa ação e qualquer ajuda que ela precisar eu vou estar aqui.

- Eu preciso da sua ajuda para terminar de arrumar tudo. O Justin não pode saber de nada. - Eu sorri.
- Tudo bem Sophia, eu ajudo, mais antes quero conversar mais um pouco com a Becky! Quero conhecer ela um pouco mais, quero ser amiga dela. - Ela sorriu. Um sorriso sincero e assentiu.
- Leva o celular dela. - Ela me entregou o celular da Becky.

Todos nós subimos para o andar dela e eu levei eles para o quarto. Eu acho que a Becky vai ficar bem feliz com a presença de todos eles ali. Quer dizer... se ela ainda estiver brava com o Justin, vai ficar meio feliz. Se fosse comigo e um garoto me magoasse e eu me cortasse por causa dele com certeza eu ficaria no minimo 1 semana sem falar com ele, iria para festas, beberia, comeria besteira e faria qualquer coisa para esquece-lo. E depois se eu continuasse gostando dele eu pensaria em modo para que conversássemos civilizadamente para nos resolvermos.

Mais eu tenho certeza que a Becky ama o Justin, com certeza vai perdoa-lo e se for para ser assim eu não vou ficar fazendo a cabeça dela para que ela faça o contrário e se culpe e acabe se cortando de novo, eu vou ajuda-la.
Quando eu fui abri a porta o tal do Diogo abriu ela antes de mim sorrindo como se fosse o melhor dia da vida dele. Mais quando viu o Justin fechou a cara.

- Ela está bem... E não quer ver você. - Eu olhei para trás vendo Justin que estava com uma expressão indignada no rosto.

Eu juro que fiquei com vontade de rir. Depois de muita conversa com a Sophia o Justin desistiu de entrar e sentou em uma das poltronas do corredor junto a Ryan que falava alguma coisa para ele. Nós entramos no quarto e a Becky apreciava uma rosa que estava na mão dela que... o Diogo estava segurando antes de entrar.

POV Becky

- Oi gente. - Disse quando a Sophia, a Eduarda, a Letícia, a Bruna, o Alfredo, o Chaz e a Selena entraram no quarto. Todos correram e me abraçaram com força, menos a Selena. - Calma, calma nem foi tanto tempo assim. - Disse fazendo todos rirem. A Selena entregou meu celular e como eu estava sentada coloquei ele entre minhas pernas. - Mais e aí, oque aconteceu?
- Você não lembra? - Eu alisei meu braço por cima do lençol e um choque com dor me acordou. Eu me cortei... Por causa do Justin. Tirei o lençol de cima do braço e me assustei com oque vi... Vários fiozinhos pretos na minha pele impedindo dos cortes abrirem e outros tinham ataduras em cima. - Nossa, isso está feio. - Eu assenti. - Mais com sorte, em duas semanas você já vai poder tirar os pontos. Dei uma olhada no meu celular e tinha 15 chamadas perdidas da minha mãe.

Hey hey baby you've been on my mind I knew you for a long time...

- Eu preciso mudar esse toque. - Disse para mim mesma antes de atender. - Oi senhora `` estou preocupada. - Suspirei.

Como assim senhora preocupada minha filha? Você quase morreu!
- Mais não morri, para falar a verdade estou bem viva. Se você quer se livrar de mim sinto em te dizer que eu sou feita de ferro. - Todos riram menos Selena porque ela não entendia.
Filha, eu e seu pai ficamos com esperanças de que a você ficaria bem e nós não iriamos precisar ir para o Brasil para eu poder doar o sangue, vai precisar ainda?
Não mãe. - Sorri para Selena que mesmo sem saber do que eu estava falando sorriu de volta.
Ah, nós voltamos daqui 1 semana e você vai ter que voltar para São Paulo para terminar de gravar o filme preguiçosa. Seu pai já está com o elenco inteiro.
Quem eu vou ter que beijar? - Revirei os olhos e eles riram.
Acho que você vai gostar.
Fala logo.
O Caio Castro. - Deixei meu celular cair e peguei o travesseiro, afundei meu rosto nele e comecei a gritar fazendo todos rirem. Peguei o celular de novo.
Não brinca, Caio Castro?
É filha, o Caio Castro!
Ah, você é a melhor mãe de todos os tempos. Eu te amo mais eu tenho que desligar.
Mais filha eu ne... - Coloquei meu celular na minha frente e apertei o botão vermelho fazendo a chamada encerrar. O quarto virou um poço de gargalhadas. - Minha mãe é muito chata.

- E você é muito sortuda! Vai beijar o Caio Castro, meu deus! Me entrega o seu papel pelo amor.

- Se eu pudesse. - Olhei para Selena que estava com uma expressão de excluída pois não entendia nada. - Eu posso conversar com vocês depois? Quero falar com a Selena! - Eles assentiram então me despedi de todo e Selena sentou na cama. - Então...

Esse `` Então... ´´ foi o começo de uma conversa infinita. Ela me contou tanta coisa e eu contei tanta coisa para ela, ficamos intimas em poucos minutos. Tudo oque ela falava era com um ar de verdade que eu ficava com inveja. Sem falar que pessoalmente ela era tão linda, eu queria abraçar ela bem forte e falar que ela sempre foi minha diva.

Ela parecia tão enfeitiçada falando comigo. Me olhava de cima abaixo várias vezes. Disse que lia artigos em sites sobre meu estilo e que eu era totalmente linda e que se um dia eu deixasse de seguir minha moda para seguir a dos outras ela me batia - eu ri.
O que pareciam anos ali com ela eram 2 horas, ela segurou minhas duas mãos e olhou no fundo dos meus olhos e disse:

- Você é a pessoa mais incrível que eu já conheci. Eu sempre me envolvi com as pessoas erradas e fiz coisas erradas, mais agora eu quero seguir o caminho certo e andar com as pessoas certas mais só tem uma pessoa certa, e a pessoa e certa é você.


--------------------------------------------------------------------------------------------------
Oi gente. Desculpa pela demora no capítulo, se vocês perceberem ele ficou bem grande, então eu espero que também tenha bastante comentários. Deixe também o URL do seu blog nos comentários e participe do blog porque eu vou estar divulgando os blogs de vocês, ok? 

                 

                                   Divulgando:

Believe
I Want Bieber
Stories With Bieber - sem querer fazer bullying com os outros blogs mais esse é o melhor

beijokas e até a próxima




3 comentários :

 

©código base por Ana .